MAR "FLAT"

ONDAS PARADAS

Tudo parado. Ondas paradas, máquinas paradas, parque parado, energia parada. Na Aguçadoura, tudo parado há cinco meses. E quer a EDP, ser uma empresa líder na área das energias renováveis. Pelos vistos, tudo isto é normal. A paragem é fruto dos reveses a que estão sujeitos os processos de investigação. A tecnologia não está ainda estabilizada, dizem agora. Será que é assim em todo o lado, ou só neste nosso País? Tudo isto me parece um fracasso. Esta bandeira deste governo, fracassou! Mentiras e mais mentiras, é o que este (des)governo nos dá. As três máquinas estavam no mar desde 15 de Julho p.p., se calhar para “Inglês ver”, e foram retiradas cerca de 2 meses depois, devido a “problemas técnicos”. O certo é que não voltaram ao mar e estão em Leixões, a seco, ao sol. O preço das máquinas foi de nove milhões de euros. Uma bagatela, se tivermos em conta o que se esbanja diariamente só em juros da dívida pública ao estrangeiro. Dizem agora que os problemas técnicos não existem, que há falta de dinheiro da detentora do projecto, desdizendo as notícias anteriores. Mais mentiras, ou as outras é que o eram? Afinal, como sempre, é tudo uma questão de notas de euro. Mas os nove milhões já lá vão, voaram baixinho. Eram 3 máquinas, que já não são, e iriam ser 25 que , pelo que se vê, nunca irão ser. O certo é Portugal ter perdido a corrida pela liderança nesta área, e tudo estar na estaca zero, excepto o dinheirinho, nosso, já gasto. Tudo foi inaugurado como se estivesse bom e a funcionar, à boa maneira do nosso Primeiro, que tem mais exemplos como este. O do Magalhães que deu e tirou computadores aos meninos pois era só para a comunicação social ver, os alunos que afinal não eram – eram contratados – nos quadros interactivos das escolas, a Escola de Soares dos Reis que afinal ainda não está pronta nem para lá caminha apesar de inaugurada com pompa e circunstância, e tantos outros.

Continuo tão contente com a nossa (des)governação.

Comments


  1. Era bom que se esclarecesse este caso da Póvoa. Se há avaria, ‘apenas’ falta de dinheiro ou outra coisa qualquer. Para que também neste assunto não se faça a festa, se atirem os foguetes e depois os papalvos (os contribuintes) tenham de pagar a despesa. O projecto pode ser bom. Mas tem de passar da parte do ‘pode’ para chegar ao ‘é bom’.Nos Açores, na ilha do Pico, colocaram um equipamento do género. Bem mais pequeno, é certo. Logo, mais baratinho. Só tem um probleminha, uma coisa insignificante. Funciona durante uns meses e depois avaria. A ondulação no local em causa, em particular no Inverno, é demasiado forte para aquela estrutura. Pelos vistos, contaram-me, não foi bem dimensionada. A mesma pessoa que me disse isto, encolheu os ombros e olhou-me daquela forma que costumamos olhar para os outros quando queremos dizer que é o costume. É escusado confirmar que quando surge a avaria demora meses até ser reparada, com os inerentes custos técnicos.

  2. Luis Moreira says:

    Se tirarem as devidas lições, vá lá.mas claro que isto nunca é como nos contam.Esta dificuldade com a verdade…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.