Adeus Morais e Castro

Morreu hoje o actor Morais e Castro, que em 2006 comemorou 50 anos de carreira. Vítima de cancro.

moraisecastro_2808

José Armando Tavares de Morais e Castro nasceu em Lisboa a 30 de Setembro de 1939. Actor e encenador, Morais e Castro era também licenciado em Direito pela Universidade de Direito de Lisboa, tendo igualmente exercido a profissão de advogado.

Foi dirigente do Partido Comunista Português (PCP), que serviu desde muito cedo, e era casado com a actriz Linda Silva. Fez a estreia com o Grupo Cénico do Centro 25 da Mocidade Portuguesa, ainda estudante do secundário. A sua estreia a nível profissional foi no Teatro do Gerifalto,em A Ilha do Tesouro.

Em 1958 estreou-se na televisão intrepretando “O rei veado”, de Carlo Gozzi, realizado por Artur Ramos.

Em 1968, com Irene Cruz, João Lourenço e Rui Mendes, fundou o Grupo 4, no Teatro Aberto, levando à cena autores como Peter Weiss, Brecht, Peter Handke e Boris Vian.

Já em 1985 integra o elenco da comédia Pouco Barulho, com Nicolau Breyner, passando depois pela Companhia Teatral do Chiado. Com Mário Viegas fez o imortal À espera de Godot, de Samuel Beckett.

Em 2004, dirigido por Joaquim Benite, interpretou O fazedor de teatro, de Thomas Bernard, com a Companhia de Teatro de Almada, que lhe valeu a Menção Honrosa Crítica nesse ano.

Nas décadas de 1980 e 1990 participou em diversas novelas e séries portuguesas de televisão. Um dos sucessos mais populares ocorreu entre 1996 e 1998, com as As lições do Tonecas, ao lado de Luís Aleluia.

Entrevista de Morais e Castro à SPA.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.