Arranjadinho…

Quem diria que o nosso Primeiro se desse como arranjadinho, o homem que anda de braço dado com os grandes deste país convencido que é um deles.

Como fez bem ao nosso primeiro Ministro a “banhada” das Europeias, muitos erros teriam sido evitados, teria ouvido quem lhe chamou a atenção para o país real, as empresas que asseguram 70% do emprego e 90% da riqueza, teria tido cuidado com os contratos ruinosos que assinou com as empresas onde estão colocados os amigos políticos, reflectido sobre os megainvestimentos que são mais do mesmo e que o país não pode pagar.

Tantos erros por julgar que ter a maioria absoluta é decidir absolutamente, sem cuidar de ouvir o país, encontrar decisões ajustadas mesmo que as que tivesse de negociar, não ter medo de aplicar o que de bom lhe foi aconselhado.

Pois é senhor Primeiro Ministro, Vossa Excelência é muito melhor assim, sem arrogância, percebendo que em Democracia não se é Primeiro ministro, “está-se” Primeiro Ministro, que quem o lá pôs já o desmontou, e ùnicamente porque Vossa excelência governou mal.

O estado do país não deixa dúvidas a ninguem!