Não estejas triste, José !

jose_socrates-c400Vais ver que a vida é boa, há praias, gente, livrarias, discotecas, restaurantes e tempo para discutir as coisas sérias e importantes da nação. Não é preciso ter sempre razão, nem fazer de cada batalha, a última. A companhia dos filhos é uma benção e namorar é melhor que uma maratona.

Não acredites nos que te segredam que é preciso todos os dias apresentar uma esmola para os pensionistas ou dares um subsídio a quem tem filhos, todos se lembrarão sempre que o que destes ao Jorge Coelho nos contentores de Alcântara, sem concurso, representa muito mais do que todos esses subsídios. E, aqui para nós, é fácil governar assim, dar subsídios a um, ajustes directos a outro, um emprego milionário aquele outro, colocar o Lopes da Mota no Eurojust ou a tua madrinha de casamento, a pior presidente de câmara alguma vez parida pelo PS, em Bruxelas.

Dificil seria criar riqueza, ajudar os empreendedores a avançarem com os projectos, produzir bens e serviços exportáveis, substituir importações, melhorar a Justiça, o SNS, a Educação. Agora, dar subsídios eu próprio dou muito melhor que tu, não tenho que agradar a camaradas , não dependo dos carreiristas dos partidos, não quero renovar mandato nenhum. Estás a ver, à partida os meus subsídios eram mais justos que os teus, por isso, não fiques chateado, bem vistas as coisas há muito que não consegues ter uma só ideia para este país.

Dizes tu que o caminho seguido até aqui é para continuar! Ouviste-te bem, José? Este é o caminho dos que te abandonaram nas Europeias, dos que fugiram e já não voltam, dos que querem que descanses. Sabes, isto, mesmo para uma equipa de gente muito boa, é muito dificil, quanto mais para meia dúzia de homens de meia idade que nunca trabalharam, não têm mundo e nunca deitaram mãos a um projecto e tivessem criado um só posto de trabalho. Um só!

Estamos mais pobres mas a vida continua, incluindo para ti, José! Antes de ti houve muitos que julgavam que eram o “tal” !