ETICA E EDUCAÇÃO (9)

ETICA E EDUCAÇÃO (9)
Considerações sobre Ética e Educação escolar
Com a liberdade, a virtude e o bem como bagagem indispensável, está pronto um filho para sair da família e iniciar a sua grande viagem da vida, começando pela escola. A escola continua a ser a única instituição cuja função oficial e exclusiva é a educação. Há uma relação dialéctica entre a escola, a ética e educação. Há uma ética da educação e uma educação da ética. Por outro lado há uma grande afinidade entre ensinar, educar e aprender. Ensinar e aprender é por demais sabido que constituem as duas faces de uma mesma moeda. O formando também é sujeito de produção do saber. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Embora diferentes, quem forma também se forma, ao formar, e quem é formado, também forma, ao formar-se. Ambas as faces constituem um todo, de tal maneira que uma nunca acontece sem a outra. O estatuto ético da relação educativa, enquanto relação interpessoal marcada por uma intenção e por um projecto, obriga, antes de tudo, ao respeito mútuo, numa profunda partilha de testemunhos, sonhos e vontades. O respeito devido àquele que ensina, que se presume bem preparado do ponto de vista intelectual, emocional e comunicacional, que dá testemunho de uma experiência e de um saber, que explica e que interpela, que abre caminho a verdades desejadas, tem de ter como base indispensável a motivação e a disponibilidade de quem aprende, a disponibilidade e o interesse para se deixar ensinar, a disponibilidade para acolher e valorizar a presença daquele que ensina. O respeito pelos educandos, infelizmente inexistente na incompetência e fraca formação de alguns educadores desmotivados e pouco evoluídos, deve ser considerado um direito de quem aprende, e o reconhecimento deste direito é o primeiro dever de um professor.

                         (manel cruz)

(manel cruz)

Deixar uma resposta