Basta de intrigas!

A intrigalhada socialista que para aí vai, a ponto de pretender nisso envolver o Presidente da República, chega a ser ignóbil. O objectivo é por demais evidente de, a reboque e receosos dos resultados eleitorais que se antecipam, mercê de manobras de diversão, procurar nos últimos dias de campanha, distrair para encobrir o desaire de quatro anos de ineptocracia socrática. Sem ir mais longe, basta evocar dois aspectos irrefutáveis:
· Prometido que foi reduzir a taxa de desemprego em Portugal ao longo da legislatura 2005-2009, com a criação de 150 mil novos postos de trabalho, o número de desempregados já ultrapassa o meio milhão, 150 mil dos quais nos últimos tempos e, segundo a OCDE, a manterem-se as políticas actuais, a taxa de desemprego que é já de 9% atingirá os dois dígitos e a curto prazo serão mais de 600.000 os desempregados em Portugal.
· Prometido foi também que Portugal iria “voltar a aproximar, de forma decidida e sustentada, do nível de desenvolvimento dos países mais avançados da União Europeia”, isto é, que a nossa economia voltaria a convergir, como aconteceu em resultado das políticas dos Governos da República de 1985 a 1995, quando afinal, como é do conhecimento público, Portugal que em 2005 ocupava no ranking dos 27 países da UE, a 18ª posição, baixou em 2008 para a 19ª posição, o que significa ter divergido e não convergido.
É tempo de pôr cobro ao que para aí vai e de no próximo domingo 27, pela via do voto, se responder de forma inequívoca, a toda essa intrigalhada, o mesmo significando dizer ao PS – BASTA!

Francisco Leite Monteiro – Oeiras