Equações políticas

Se Sócrates não conseguir formar governo maioritário e não conseguir, mínimamente, encontrar apoios para as sua políticas, poderá ser um forte incentivo para que o arco político mexa.

Os quinhentos mil votos que já mostraram poder sair do PS, com Alegre e mostrando-se volante como agora nas legislativas e nas Europeias, junta-se ao BE. Temos um PSOE à portuguesa com 1. 200.000 votos.

Ficavam no PS os restantes 700 000 votos acrescidos dos sociais democratas que ainda votam no PSD e que andam à volta dos 500 000 votos. Temos outro partido, este social democrata, com 1 200 000 votos.

À direita teríamos 1 000 000 votos com os liberais que ficam no PSD e os sociais democratas do CDS/PP.

O PCP vai continuar só e bem porque não quer sofrer o “abraço de urso”.

Eu acredito que é isto, em termos de votação, que já está a contecer embora os partidos ainda não estejam interessados e assobiem para o lado, mas mais tarde ou cedo vão ter que se adaptar. A abstenção, cada vez maior, está aí para mostrar que alguma coisa tem que mexer para que os quadros sociais e politicos se harmonizem.

Como é que isto se faz? Houve uma tentativa gorada com Alegre e o BE que deixaram o PCP de fora, o que mostra bem que foi muito sério para muita gente. A agressividade de Louçã para Sócrates é outro sintoma em como ele se revê num PS que não é este. As presidenciais vão colocar a questão em cima da mesa? Não sei, julgo que essa questão prévia está tratada entre Alegre e Sócrates.

No PSD ainda é mais fácil, tal é a fractura hoje existente entre Sociais Democratas e Liberais. Aqui é muito possível que apareça um Partido Liberal, a partir das reuniões do Beato e dos gestores que já não precisam de trabalhar mas que gostariam de experimentar o poder de Estado.

Estamos à beira do fim do “CENTRÃO” dos negócios, das empresas públicas monopolistas e dos grupos privados que fazem lucros fabulosos à sombra do Estado?

Haverá ainda esperança para este país e para este povo que não consegue sair da miséria?

Comments

  1. Belina Moura says:

    A esperança é a última a morrer, afinal de contas.