Fragilizar o sócio na governação

TVI, Público, Cavaco Silva, desapareceram muito convenientemente com a credibilidade que lhes estava associada, da vida dos portugueses. Todos em momentos escolhidos a dedo.

Dois dias depois das eleições, com o conhecer de quem é que vai ser o consorte ( mais com azar) o seu líder salta para as luzes da ribalta pela pior das razões. Os submarinos! Curiosamente, há bem pouco tempo, Portas tinha lembrado que nunca tinha sido ouvido ou acusado de nada e o assunto, como tinha aparecido, assim tinha desaparecido.

Pois, sim, mas agora Portas tem peso, canta de galo, vai levar uma “bebedeira” que lhe baixa a “crista” como em perú em véspera de Natal. Pois é, compincha, somos como as mulheres da vida, temos que ser uns para os outros, chora aí no ombro que alguma coisa se há-de arranjar e, entretanto, vamos negociar.

Pode ser assim, a não ser que tudo isto se passe na zona de Fátima e tratam-se de milagres, ou são fenómenos nunca vistos e são da área do Entroncamento.

Mas se quisermos esquecer tudo o que dizemos todos os dias, principios de sempre da acção política, “não há coincidências em política “, “o que parece é “, o “abraço de urso”, “quem tem amigos destes não precisa de inimigos” então, meus caros, estamos mesmo em presença de uma escolinha de crianças e não de um partido que está há 11 anos no governo.

Quando chegará a vez de o Aventar ser acomodado? Preparem-se !

Comments

  1. Belina Moura says:

    … “mulheres da vida”, “zona de Fátima” e “escolinha de crianças”… tudo no mesmo artigo (post) é obra!ehehehehe;-)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.