JORGE SAMPAIO???

Li há dias que o PS vai tentar reciclar Jorge Sampaio para as presidenciais. Será possível?

Fiz parte de uma comissão de apoio à candidatura de Jorge Sampaio, aquando da eleição para o primeiro mandato. Lamento profundamente ter tomado essa decisão e envergonho-me de o ter feito.

De surpresa em surpresa, de espanto em espanto, de frustração em frustração, ele conseguiu levar-me à desilusão total. Mas desilusão é uma coisa e agressão é outra.

A presidência de Jorge Sampaio, a seguir à de Cavaco, foi, no meu entender, a pior de todas. Já não falo na sua notória incapacidade para ultrapassar a fronteira para além da qual o homem se prefigura como exemplo de inteligência e saber, capaz de levar à admiração. Já não falo da sua aparente “modéstia”, pois não é difícil perceber, pelo que diz e pela forma como pretende insinuar-se e publicitar-se, que é vaidoso e um tanto cabotino. Aparentemente muito simpático, não deixa dúvidas, quanto a mim, que se trata de uma simpatia translúcida, muito pouco genuína. Mas tudo isto não seria grave se não fossem as coisas que fez.

Lembro apenas, entre muitas que configuram alguma cobardia política, as duas seguintes:

1 – O seu veto, em toda aquela questão referente ao Acto Médico. Mostrou, para além de motivos que desconheço, uma total incapacidade de entender o que é a verdadeira medicina, a seriedade do autêntico exercício da medicina séria, a sua dignidade como tarefa humana ímpar, não miscível com toda e qualquer das conspurcações que, infelizmente, a envolvem. Perdeu-se com ele uma oportunidade única de iniciar, com seriedade e responsabilidade, uma barrela na pouca vergonha que alastra como um tsunami sobre a nossa sociedade.

2- A condecoração de Frank Carlucci. Condecorar Frank Carlucci, seja com que condecoração for, é uma agressão à humanidade, uma agressão a Portugal e uma agressão pessoal a este cidadão que em tal presidente confiou. Sei que a perda de confiança em alguém que em nós fez renascer muitas esperanças constitui uma das mais amargas experiências de vida. Se algum dia for re-reeleito e vier a condecorar Augusto Pinochet, este cidadão que nele confiou, já sem forças para tremer, terá ainda algum resquício de forças para vomitar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.