O interesse das fontes no jornalismo

Se os jornalistas não fizerem o seu trabalho de investigação, cruzando fontes e confirmar o “material” que lhes foi oferecido, estão sempre a fazer um trabalho encomendado. As fontes não estão interessadas em repor a verdade ou em denunciar situações de abuso. A ser assim não precisavam de serem protegidas. Davam a cara.

Há centrais de informação ligadas a interesses instalados muito poderosos, que fazem publicar “notícias” que lhes servem para manter esse poder, afastando adversários . Nessa perpesctiva, certo jornalismo de que o “Independente” foi líder, objectivamente, ajuda a que as corporações se mantenham e se perpetuem no poder. Ao contrário do que querem fazer crer, que se tratam de uma espécie de lutadores pela liberdade, são exactamente o contrário, dando voz ao que há de pior na vida pública .

Publicar notícias sem qualquer contacto pessoal ou telefónico tive várias experiências . Numa delas a jornalista, quando confrontada com documentos que provavam o contrário do que tinha publicado, diz-me “nós não sabemos quando é verdade ou mentira”. Mas nem um contacto prévio fez.

Noutro caso, os jornalistas, se assim lhes podemos chamar, ficaram muito surpreendidos quando perceberam que o projecto de que me acusavam nem sequer estava sob a minha accção, nada tinha a ver com o assunto, e nem havia pessoas comigo ligadas envolvidas, em tal concurso.

Mas ninguem tem dinheiro para manter acções em tribunal contra estes senhores, a não ser quem lhes paga, esses sim ricos e poderosos.

Lembrei-me agora disto ao ver e ouvir aquele “Prós e Contras” em que foram os jornalistas que se queimaram. Foi bom ver e ouvir como se fabricam notícias .

Claro, que a médio prazo quem pratica este tipo de jornalismo miserável, tem o lindo enterro que o “Independente” teve.

E a Justiça que não temos em Portugal tambem ajuda !