A Gestão por objectivos e pela Qualidade na escola

Uma das caraterísticas que definem uma qualquer organização (seja comercial, industrial, prestadora de serviços…) é a fixação de objectivos, mensuráveis, alcançáveis, e que sejam procurados. De nada serve ter uma organização se os objectivos que pretende atingir, não sejam necessários e por isso, não sejam procurados.

Os objectivos de uma organização existem sempre, podem é ser assumidos conscientemente, ou existirem informalmente. Se existirem informalmente, corre-se o risco de não serem compreendidos e a eficácia ser menor. Por exemplo, numa escola. Os professores quando iniciam o dia não sabem o que vão fazer ? Vão dar determinada matéria, durante x tempo, para uma determinada turma. E o que é que tentam atingir? Descarregar a matéria rapidamente e em força, nada lhes interessando se a matéria foi compreendida? Ou pelo contrário tentam que o objectivo seja que os alunos absorvam a matéria e a compreendam? Estamos perante objectivos informais que os professores tentam alcançar. Não são, por sistema, medidos, negociados, nem têm efeitos para a sua carreira, mas os objectivos estão lá.

Não servem é à escola que como organização tem como principal objectivo preparar os alunos para os exames futuros na Universidade e melhorar as suas capacidades para enfrentar a vida adulta.

Numa escola, como organização complexa que é, a fixação de objectivos, negociados e aceites por todos, é absolutamente fundamental. Desde logo, porque se assim não for, corremos o risco de cada um fazer o que gosta de fazer e não o que tem de fazer, para alcançar os objectivos. Por exemplo, um dos professor de Português dá a lírica de Camões e não os Lusíadas.

E assim sucessivamente. Vão-me dizer, mas isso da matéria a dar, ja é corrente nas escolas públicas. Pois é, e como vêm é um objectivo, mensurável e aceite por todos. O que não é, é negociado e avaliado, nem concorre para a evolução da carreira dos professores. O professor que não dá a matéria, fica à espera sentado que lhe digam alguma coisa. E chega ao topo, como os outros que dão a matéria .Ninguem diz nada para não ser mau colega, tem amigos e camaradas no Sindicato e ainda arranjo um problema, quero lá saber, vou fazendo o meu trabalho.

Mas se essa organização, no caso a escola, saber exactamente o que é que o Ministério espera ,os pais, as actividades económicas do local, a capacidade de aqueles alunos poderem seguir ou não os seus estudos superiores, atendendo ao ambiente social e económico, comparar com a “performance” de escolas inseridas no mesmo ambiente e com as mesmas dificuldades, é fácil estabelecer objectivos consensuais, mensuráveis e serem pagos segundo o mérito.

Afinal o que é uma organização senão, uma reunião de meios financeiros, humanos e tecnicos com o objectivo de alcançar metas?

Se não sabemos onde estão as metas corremos em que direcção?