Testamento vital

Aqui está um importante instrumento político com larga influência em várias facetas da vida dos cidadãos e do próprio Estado.

 

É hoje pacífico que as modernas tecnologias hospitalares permitem manter a vida muito para além do razoável, nos casos em que a esperança na qualidade de vida se perdeu.

 

"Prolongar a morte" mantendo artificialmente a vida é, até sob o ponto de vista económico, insustentável.

 

Abrir o caminho a que cada doente, na plena posse das suas faculdades mentais possa, juntamente com a sua família e com o seu médico, definir até que ponto aceita as acções médicas para o manter vivo.

 

Nos últimos cinco anos acompanhei a doença de um grande amigo que morreu em sofrimento, rodeado por toda a cafernália de equipamentos que o mantinham artificialmente vivo, nos últimos meses. Conhecia-o o suficiente para saber que não seria essa a sua opção, principalmente pelo sofrimento que originou na família. Quando morreu foi como uma libertação.

 

Virão as vozes de sempre "próvida", confundir tudo com os costumeiros argumendos, que se "faça a vontade do Senhor" como se falassem todos os dias ao jantar com Deus. Baralhando com os papões de sempre, e aqui virão com a eutanásia, fazendo crer que uma e outra coisa são o mesmo. Não são, embora eu esteja de acordo com ambas, mas não são a mesma coisa.

 

A eutanásia é proceder activamente para que a morte chegue em determinadas condições.O Testamento vital, é um documento onde a pessoa regista que não quer que determinados procedimentos lhe sejam ministrados, numa determinada situação.

 

Vale a pena estar atento e lutar a favor deste direito!

Comments


  1. Totalmente de acordo!

  2. maria monteiro says:

    Também totalmente de acordo! mas… há muitas instituições que já vêm no “prolongamento da morte” a árvore das patacas abençoada do céu…


  3. sugestão de audiçãohttp://oportoemconversa.wordpress.com/category/clube-literario-do-porto/Conferência / Debate sobre Consentimento Informado e Testamentos de VontadeNo dia 10 Julho de 2009 realizou-se no Clube Literário do Porto (http://www.clubeliterariodoporto.co.pt/) a Conferência / Debate sobre Consentimento Informado e Testamentos de Vontade com base no Projecto de Lei apresentado pelo PS.Participantes: Guilherme de Oliveira, Miguel Leão, Freitas de Sousa