Papa Bento XVI:

Chegou hoje a Portugal um Chefe de Estado, no caso, do Vaticano e de seu nome Bento XVI, o Papa. Acumula com a responsabilidade de arcar nos ombros toda uma Igreja e uma religião que é, goste-se ou não, partilhada pela grande maioria dos portugueses. Apenas e só isso, o que não é pouco.

Alguns, vários, não gostam do visitante em causa mas são aqueles que mais propaganda fazem à viagem. É irónico. Por mim, é bem-vindo e espero que seja do agrado dos fiéis esta sua passagem. Eu vou aproveitar para colocar a minha agenda em ordem e arrumar alguns assuntos pendentes. Uma forma, como outra qualquer, de aproveitar a tolerância de ponto. Parece que o trânsito vai ficar condicionado aqui no Porto (pelo menos teve o bom gosto de visitar esta nossa cidade). É aborrecido. É como no dia do Cortejo da Queima das Fitas, no S. João, nas manifestações dos sindicatos ou quando o Porto é campeão. Em breve teremos o Obama em Portugal e o mesmo acontecerá. Vamos ver qual o grau de “tolerância” daqueles que hoje tanto criticam a visita do Chefe de Estado do Vaticano…

Declaração de interesses: Agnóstico.

Comments

  1. Carla Romualdo says:

    ó Fernando, não há nenhum chefe de Estado que seja recebido assim… E se tem esta recepção por ser um líder religioso, coitadinho do Dalai Lama, que só faltou ser recebido no armário das vassouras

  2. Luis Moreira says:

    Mas o Dalai Lama não tem 200 000 pessoas a ouvi-lo como hoje em Lisboa Bento XVl teve. A esmagadora maioria do povo português é católico e isso muda tudo!

  3. Luis Moreira says:

    Eu que tambem sou agnóstico já disse mais ou menos isso, e não vejo como poderia ser de outra forma.

  4. Dario Silva says:

    Espero viver o suficiente para ver uma de duas coisas (ou as duas em simultâneo):

    – ser dada tolerância de ponto quando cá vier outro chefe de Estado, qualquer um, pode ser o Obama ou rei de Marrocos;
    – ser dada tolerância de ponto quando cá vier outro líder religioso, de qualquer credo, mais ou menos pacifista.

    Acho indecente um estado dito laico (o nosso) pagar dos cofres de Estado tanta massa para receber um chefe de outro estado. Certamente é a igreja católica que paga a parte da visita que corresponde ao “chefe religioso”.
    Quanto à tolerância de ponto, nem sequer comento. Quem quiser saudar o chefe de estado e/ou líder religioso que falte ao trabalho por sua conta e risco. Rais’parta este estado laica.

  5. Luis Moreira says:

    Sim, mas no artigo dos textos sobre os custos falta lá a outra metade a das receitas, onde se diz que Fátima trás a Portugal 7 milhões de crentes, por ano! Nenhum instituto ligado ao Turismo(mesmo a Associação dos empresários de Turismo) diz que este dinheiro é mal empregue. E a questão volta ao ínicio. A esmagadora maioria do povo português é católica.

  6. Dario Silva says:

    Luis Moreira :
    metade a das receitas, onde se diz que Fátima trás a Portugal 7 milhões de crentes, .

    Tax free, my friend, tax free.

  7. Luis Moreira says:

    Muita massa ,sete milhões de pessoas por ano, embora seja pecado misturar isto tudo…

  8. Julio Oliveira says:

    Queiramos ou não o Papa e um fenomeno que move milhões de pessoas em todo o mundo,e Portugal sendo um Pais maioritariamente catolico,não foge a regra e claro a vinda dele ao nosso Pais vai fazer mover dinheiro e a mim em particular vai dar um dia de descanso(ou não ) Viva o Papa……..

  9. Julio Oliveira says:

    Quanto a Fatima,outro fenomeno dificil de explicar,mas que realmente atrás daquele enorme negocio,que se desenvolveu em redor de Fatima,que dá trabalho directo e indirecto a milhares de pessoas,que todos os anos trazem milhares de euros a Portugal,vindos de todos os cantos deste planeta,e as peregrinacões anuais que levam dinheiro a enumeros restaurantes,hoteis,pensões,cafés e farmacias por esse País fora; Tudo isto so me leva a pensar,tivemos azar so temos uma Fatima em Portugal……

  10. maria monteiro says:

    200.000 pessoas a ouvi-lo pois só se contarem os dois ouvidos… e também tanta publicidade é de quem tinha medo

  11. maria monteiro says:

    se contarmos com o investimento em força que a Igreja está a fazer em relação ao turismo religioso … é sempre dinheiro em caixa mas… para eles

  12. Ricardo Santos Pinto says:

    200 mil pessoas? Não estariam mais de 80 mil.
    Lol, estavam mais na última manifestação de professores.
    Vocês concordam com a tolerância de ponto? Não quero acreditar.
    Se a maioria da população é católica, então mudem a Constituição. Enquanto ela disser que o Estado é laico, o Estado não tem o direito de dar tolerâncias de ponto por vir um líderm religioso catrólico.
    A maior parte das pessoas nem sabe o que é ser católico. Confunde catolicismo com cristianismo. Não é por acaso que ninguém vai à missa e que o numero de casamentos religiosos já é inferior ao numero de casamentos pelo civil.

  13. inquieto says:

    Peço desculpa por misturar alhos com bugalhos mas primeiro deixem-me que vos diga que de facto a Igreja católica move muita gente e o facto de existirem cada vez menos casamentos e baptizados pode querer dizer que as pessoas estão desavindas em relação ás líderes dessa religião e não contra a religião em si. Quanto á laicidade do estado, é “bullshit”. O País da forma que está não está em condições de afrontar a maioria do Zé Povinho. Já agora sendo eu católico, gostaria de dizer que sou absolutamente contra a toplerância de ponto. Quem quiser ver o papa que meta um dia de férias e aproveitava para me juntar ao grupo que protesta contra o Papa para referir que sou contra este governo. A quem é que me queixo?

    • Luís Moreira says:

      Toda a razão! Eu estou contra a tolerância de ponto e concordo que a maioria do povo é católica e isso faz diferença.

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar. Blogue Aventar said: Papa Bento XVI:: Chegou hoje a Portugal um Chefe de Estado, no caso, do Vaticano e de seu nome Bento XVI, o Papa. … http://bit.ly/bquunh […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.