Oaris

Oaris é o nome iconográfico da nova automotora apta a 350 km/h desenvolvida pela empresa espanhola CAF; o animal dispõe de bogies bi-bitola (para circular nas linhas de bitola ibérica e nas de bitola “europeia”) e capacidade para trabalhar sob duas voltagens de catenária (a de 3 kV “espanhola” e a 25 kV “portuguesa” e “europeia”). Este protótipo foi apresentado recentemente no Forum Ferroviário de Valência. Com as mesmas peculiares características não existe outro comboio igual no mundo.

Houve um tempo em que a tecnologia ferroviária mundial era guiada pelos ingleses, depois pelos franceses, pelos japoneses, pelos alemães…

Comments

  1. Luís Moreira says:

    E o Sócrates foi para Marrocos dizer que vende TGVs…

  2. maria monteiro says:

    que coisa linda…. até fiquei com vontade de pegar na mochila

  3. Pedro Rocha says:

    Se calhar, as bestas que andam há anos a dizer mal do TGV, deveriam era ter proactivamente levado os decisores a investir na tecnologia que suporta o TGV. Agora, vamos obrigatoriamente ter TGV (outra coisa não era possível) mas não temos tecnologia. Ou seja, estamos mais pobres (de acordo com os iluminados que nunca vão andar de TGV) duas vezes.
    É fácil dizer e escrever asneiras!

  4. Roberto says:

    Dario,

    Os espanhóis têm tecnologia, mas não deixa de ser uma tecnologia muito low-cost, que dá muitos problemas etc.

    O pato já tinha sido anunciado que iria dar os 350, onde andam eles…Na realidade estão limitados a 330, e chegou-se à conclusão que são comboios muito leves para os 330, circulam a 300.

    Já em relação aos franceses, acho que continuam na frente, agora acompanhados pelos alemães. Espanha só vende por ser barato, mas o barato sai caro.

    Mas pondo isso de parte, o que é certo é que a indústria chamada “caminho-de-ferro” tornou-se em poucos anos uma das principais fontes de receita de Espanha.

  5. maria monteiro says:

    “Então e nós, que fomos com Sócrates vender o TGv a Marrocos?” pergunta política, passa!


  6. A opinião dum velho ferroviário,é que é preciso novas tecnologias para o TGV circular a 350km/h.Segurança máxima!Já pensaram um combóio a circulará 80km/h á entrada duma estação acontecer um choque por erro humano!Ora com nova tecnologia ,de se eliminarem todas as agulhas,e serem subestituidas por charriot rolante,acabavam os acidentes nas estações.Quero deixar um aviso,a via férrea nacional com bitola 1.668m é mais seura 13,5 % do que a europeia que apenas mede 1,443m o que dá menos estabilidade ao combóio.Os rodados em vez de terem dois verdugos pasariam a ter quatro,sendo o atrito com os carris dividido por dois,o que daria o dobro da segurança ao combóio.Estas inovações deviam ser ensaiadas,no laboratório do I S T de Lisboa.Espero que tenham gostado.Mauricio Arrais.Abrantes,26 de Agosto de 2010.P/S-Não preciso da patente.

  7. Dario Silva says:

    Mauricio Arrais :
    A opinião dum velho ferroviário,é que é preciso novas tecnologias para o TGV circular a 350km/h.Segurança máxima!Já pensaram um combóio a circulará 80km/h á entrada duma estação acontecer um choque por erro humano!Ora com nova tecnologia ,de se eliminarem todas as agulhas,e serem subestituidas por charriot rolante,acabavam os acidentes nas estações.Quero deixar um aviso,a via férrea nacional com bitola 1.668m é mais seura 13,5 % do que a europeia que apenas mede 1,443m o que dá menos estabilidade ao combóio.Os rodados em vez de terem dois verdugos pasariam a ter quatro,sendo o atrito com os carris dividido por dois,o que daria o dobro da segurança ao combóio.Estas inovações deviam ser ensaiadas,no laboratório do I S T de Lisboa.Espero que tenham gostado.Mauricio Arrais.Abrantes,26 de Agosto de 2010.P/S-Não preciso da patente.

    Como saberá, poucos ou nenhuns acidentes alguma vez houve devido à falha do verdugo que é, ele próprio, e em condições óptimas, redundante para o equilíbrio do comboio em cima dos carris… todos os acidentes por descarrilamento se deveram antes a outras razões, algumas delas difíceis de contornar (a queda de pedras ou grandes objectos na via).


  8. Como nas linhas construidas ,com travessas de eucalipto,azinho,carvalho ,pinho etc,com a bitola sugeita a dilatar,nas curvas,pelo atrito do verdugo da fila alta,dava origem a descarrilamento.agora com travessas de betão,não existe esse perigo..Comoparece saber as travessas,chegavam a estar ao serviço mais de 50 anos,muitas já nem seguravam os tirifondes.Foi por isso que alvitrei dois verdugos em cada roda,o que quanto a mim duplicaria a segurança do combóio,Não era a minha especialidade,mas sim chefe de combóio na Estrela de Èvora,muitos anos,e sei por experiencia própria,o que me aconteceu.O verdugo exterior irá ter influencia na velocidade do combóio,devido ao atrito?Só em laboratório no I S T de Lisboa se pode tirar conclusões.Noutros comentários já disse que os bancos das carruagens devem ser munidos de cintos de segurança largos,pois em caso de acidente os passaçeiros saem disparados com uma velocidade,dificil de calcular.È morte certa num combóio a 250km/h.Refer poucos,acidentes,mas só que se de um ,é a morte do artista,.O artista não pode falhar!Nunca é tarde para ensinar.Mauricio Arrais.Abrantes,18 de Setembro de 2010..


  9. Ò Snr Pedro Rocha,já pensou viajar de L.Oriente ,A Elvas,no TGV a 250km/h,sempre pela mesma via,sem o combóio pisar agulhas,ter cruzamentos,ou ultrapassagens? O senhor compare a segurança e comodidade com outros meios de transporte.Para sua informação a bitola da via portuguesa,1,668,é 13,5% mais segura do que a da Europa.O combóio tem mais estabilidade.Os bilhetes é qoe devem ser estudados,para terem clientes.Um combóio em dupla tracção,com dois maquinistas,pode transportar qualquer mercadoria de L.Oriente,ou de Sines para Badajoz,na ordem de 6000 toneladas!Um combóio pode transportar 2000 ou mais passageiros,e se for de dois andares,muito mais.Agora com travessas de betão a segurança da via é máxima.Noutra mensagem eu darei novas tecnologias de máxima segurança para o T G V.Em 1942 estudei TECNOLOGIA,na Escola Industrial Afonso Domingues,emLisboa,Xabregas.Mauricio Arrais,.Abrantes,29/)/2010.


  10. Logo que sou bem vindo.As vias férreas devem ser duplas em todos os paises.Via ascendente e via descendente.As estações em vez de agulhas,passam a ter dois CHARRIOTES rolantes um na via ascendente,e o outro na via descendente.Viramo choque de hoje 40 mortos,e as carruagens todas num monte de destroços,dentro da estação,erro humano.O combóio circulando pela sua via,de origem a destino sem agulhas,ultrapassagens,e cruzamentos,a segurança é máxima.Nos combóios de passageiros os bancos devem ter todos um cinto de segurança devidamente estudado,para suportar um choque a 250Km/h.O impulso originado pela acção do choque,lança o ocupante a uma veócidade incálculavel,é morte certa.Em caso de choque quanto a distância entre carruagens for maior,mairor,são os embates sucessivos entre as restantes carruagens do combóio.As distâncias entre carruagens deve ser estudada em laboratório.Um tampão de choque a toda a largura da carruagem deve ser estudado!Noutro comentário,já abordei a roda em vez de um verdugo ter dois.Antes da partida da estação de origem,terá de aver uma vigilãncia de que a via está toda livre,que não aja sabotagem ,ou veiculos a impedir a livre circulação.As passagens de nivel,terão de ser fechadas a cadeado,e o agente informar a estação de origem o sim de cancelas fechadas.As vias devem ser guarnecidas por rede metálica,com postes de cimento,de ambos os lados,para evitar,que animais,ou veiculos,interrompam a livre circulação do combóio.Os avanços e partida dos combóios deve só ser feito pelo chefe da estação.As rodas dos combóios,são primitivas,talvez fôsse bom um estudo!Por hoje é tudo.


  11. Não forma sentido termos o TGV,e as limhas e ramais do Alentejo,ficarem eternamente encerradas.Nas décadas de 50 e 60 o Alentejo era o CELEIRO DE PORTUGAL.Por experiência própria sei que as estações do Alentejo,eram mais rentáveis do que as das linhas da Beira Alta,e da Beira Baixa já renovadas e electrificadas.Agora o Alentejo está abandonado!Para se ir do Sul de Portugal para o Norte é preciso dar a volta por Lisboa.Já não existe ligação por Portalegre.O Alentejo está sem combóios!Estes ramais devem ser renovados,e garantir um serviço minimo.


  12. Volto novamente para rectificar a margem de segurança da bitola Ibérica ,sobre a da Europa,para 11,6%.Lapso da minha parte.Não concordo que a nossa bitola 1,668m mais segura do que a da França e Alemanha ,1,435,seja Portugal e Espanha,a mudar de bitola,reduzindo o,233mo ,o que reduz a estabilidade aos combóios.A uniformizar os padrões das vias europeias,deviam ser os franceses e alemães,a passarem as suas vias para 1,668m.Deviam ser eles a corrigir as suas vias.O seguro morreu de velho!Os engenheiros responsáveis ainda não viram o erro,já no século vinte e um!Os combóios de alta velocidade devem ter composições,com poucas unidades,porque quanto mais unidades,em caso de acidente,passam umas por cima das outras.como já assisti num combóio de mercadorias.,os vagons uns por cima dos outros e dentro da estação,a pouca velocidade.Fico por aqui.


  13. Hoje o tema é Portugal e a Espanha terem que alterar a bitola da via do TGV de 1,668m,para 1,435m,Se a bitola ibérica ,é mais segura 11,5 por cento ,do que a europeia,deviam ser a França e a Alemanha a aumentar a bitola,para a portuguesa 1,668m.Não estou de acordo com a furação interior das travessas,que já fizeram de Casa Branca a Èvora.Sendo assim o ponto centrifugo das carruagens,não fica no centro da travessa o que a meu ver origina um desiquilibrio de cerca de 11,5 graus das carruagens.Se desde o ano 1844,a Espanha tem as vias com bitola,de 1,668,devia continuar.Não sei que bitola os espanhois estão a usar nas novas linhas que tem construido,e renovado mais de 1500Km.A bitola 1,435,é muito estreita ,para combóios de alta velocidade,è uma bitola pouco maior do que a dos eletricos emLisboa.A largura das locomotivas e carruagens,saem para fora do carril cerca de um metro.Se a bitola 1,668m,é mais segura do que a da Europa,devia ser a França,e Alemanha obrigados a construir as linhas com bitola ,ibérica.Combóios a circularem a velocidades de 300 e mais Km/h,devem ter a maior estabilidade possivel.Hoje é tudo.


  14. Só agora informo ,que a bitola dita estreita ou europeia,1,435m, teve origem em Inglaterra,por volta de 1814.Foi numa mina de carvão,em que a locomotiva ,tinha rodado identico a uma diligência,ou carroça!Avia das vagonetes era portanto de 1,435m!Foi uma medida feita sem investigação cientifica,nem calculos de engenheiros!Portanto a bitola da via do ano de 1814,que era utilizada nas minas de carvão,é a mesma que temos no ano 2010,para combóios que circulam a 350Km/h!Esta bitola ,não justificaria ser muito bem estudada ,pelos engenheiros no I S T de Lisboa?Em Portugal tinhamos algumas linhas de via reduzida,onde os combóios circulavam a baixa velocidade.Portugal tem que seguir,o sistema espanhol ,renovar as linhas do Alentejo,porque não forma sentido termos o TGV ,a atravessar o Alentejo,e todas as linhas encerradas.


  15. O sr. Maurício tem claramente uma luta longa a fazer com a bitola.
    Como saberá, a largura da via não é o único factor a definir o padrão de segurança das circulações, é apenas um de entre vários.
    Se eu lhe pedir uma lista com meia dúzia de acidentes graves e com fatalidades ocorridos devido à exiguidade da bitola, consegue apresentá-la? – não, por falta de ocorrências.
    Em que se baseia para afirmar “cientificamente” que a bitola ibérica (1668 mm) é 11 ou 13% mais segura que o padrão internacional desde há um século (1435 mm)? Leu isso em algum estudo que me tenha passado ao lado?
    Talvez queira apenas dizer que a bitola ibérica é 11% mais larga que o padrão internacional, não?

    Por falar em bitolas “estreitas” ou inseguras, sabe que o Tilt Train na Austrália atinge os 170 km/h em bitola 1100mm?
    http://www.railaustralia.com.au/tiltTrain.php
    http://en.wikipedia.org/wiki/Tilt_Train

    Specifications
    Maximum speed 160 km/h (99 mph) (service)
    210 km/h (130 mph) (record)

    Cumprimentos,

    Dario Silva.


  16. Rectifico, bitola do Queensland Tilt Train: 1067 mm

    (a bitola do Cabo)


  17. Ò S.Silva.O seu comentário foi um pequeno ataque aos meus comentários.Não gostou das tecnologias que apresentei?Embora tivesse sido o melhor aluno em matemática,acredito que os numeros não estejam exactos.Em vez de me comentar,porque não apresenta novas tecnologias para o TGV?A minha luta pela bitola nacional,não pode ser longa,pois as primaveras já são muitas,e a maior parte passadas em cima dos combóios ,com bitola de 1,668,sem ter um acidente,na Estrela de Èvora.Eu fazendo as contas,verifico que uma via com 1,668m, dá mais estabilidade ao combóio,a uma velocidade de 300Km/h do que uma via de 1,435m, que data de 1814 duma mina de carvão em Inglaterra, á 196 anos,dois séculos.No século vinte e um vão obrigar Potugal e Espanha a reduzir a bitola,dando menos estabilidade,a combóios de alta velocidade.È uma pena,estragarem o que deu tanto trabalho a construir.E assim vai este pobre Mundo.Gosto de comentários,com novas técnologias para o TGV de Portugal.


  18. Ò S.Silva.O seu comentário foi um pequeno ataque aos meus comentários.Não gostou das tecnologias que apresentei?Embora tivesse sido o melhor aluno em matemática,acredito que os numeros não estejam exactos.Em vez de me comentar,porque não apresenta novas tecnologias para o TGV?A minha luta pela bitola nacional,não pode ser longa,pois as primaveras já são muitas,e a maior parte passadas em cima dos combóios ,com bitola de 1,668,sem ter um acidente,na Estrela de Èvora.Eu fazendo as contas,verifico que uma via com 1,668m, dá mais estabilidade ao combóio,a uma velocidade de 300Km/h do que uma via de 1,435m, que data de 1814 duma mina de carvão em Inglaterra, á 196 anos,dois séculos.No século vinte e um vão obrigar Potugal e Espanha a reduzir a bitola,dando menos estabilidade,a combóios de alta velocidade.È uma pena,estragarem o que deu tanto trabalho a construir.E assim vai este pobre Mundo.Gosto de comentários,com novas técnologias para o TGV de Portugal.Agradeço corrija algum erro da minha parte,mas nada de ataques negativos.Mauricio Arrais .Abrantes.


  19. N

  20. Dario Silva says:

    Oh senhor Maurício,

    Coloquei-lhe uma ou duas questões a que, gentilmente, não deu resposta. E isso, diz, é um ataque meu ao seu comentário científico, é isso??
    A sério, não tenho tempo para isto…!

  21. Pedro Costa says:

    Li tudo e tenho a dizer que os comboios circulam de forma a que (em linha recta) possam ter o centro de gravidade sem tocar com os verdugos, sendo isso facilmente comprovado na linha do norte onde esta renovada e a velocidade de 220km/h e praticada. Existem locais com AMV’s onde os comboios passam a essa velocidade e posso garantir que e muito mais suave que passar nas agulhas em lisboa santa apolonia.

    E nem refiro a tecnologia pendular que em curva coloca todo o peso no meio do eixos do bogie, pois inclina-se e desliza lateralmente a caixa, o que provoca um desgaste muito inferior.

    E nos 1435mm foi obtido o recorde mundial de velocidade com um comboio a 574.8km/h… em total segurança.

  22. José Teixeira says:

    Sr. Mauricio….
    desculpe a minha ignorância, e também sou muito mau a matemática……
    Há qualquer coisa que não entendo….. Como é possível essa perda de estabilidade, se o TGV bateu o recorde mundial de velocidade (574,8 Km/h), em bitola europeia (1435mm), já para não falar do recorde do ICE e do Shinkansen (este ainda tem bitola inferior…)
    Importa-se de esclarecer um leigo na matéria????, Por favor…….


  23. Snr.Silva e Teixeira.Pelos vossos comentátios fácilmente se percebe,que são muito novos,e nunca estudara m as leis da Fisica.Não disseram se gostaram das novas técnologias de alta segurança que apresentei.para o TGV.Aprnas apresentam ataques falhados!Para os ilucidar melhor,se quiserem,o meu primo Dr.Décio Ruivo Martins,professor de Fìsica na Universidade de Coimbra, se ele quiser,tira todas as dúvidas.Não se metam em assuntos,que não percebem.Vejam os vossos cérebros,quererem dizer que está bem Portugal e a Espanha,mudarem as vias de bitola larga 1,668m,para bitola estreita de 1,435m,bitola de 1814 na mina de carvão em Inglaterra,que servia para vagonetes,Chamo a isto já no ano 2010,andar para trás,como o combóio de Chelas.Por favor apresentem antes novas técnologias para o TGV,r deixem de ataques, baratos ,a um antigo profissional.Os passageiros merecem segurança máxima no T:G:V:Até sempre. Mauricio Arrais.Abrantes.

  24. Dario Silva says:

    Mauricio Arrais :
    Snr.Silva e Teixeira.Pelos vossos comentátios fácilmente se percebe,que são muito novos,e nunca estudara m as leis da Fisica.Não disseram se gostaram das novas técnologias de alta segurança que apresentei.para o TGV.Aprnas apresentam ataques falhados!Para os ilucidar melhor,se quiserem,o meu primo Dr.Décio Ruivo Martins,professor de Fìsica na Universidade de Coimbra, se ele quiser,tira todas as dúvidas.Não se metam em assuntos,que não percebem.Vejam os vossos cérebros,quererem dizer que está bem Portugal e a Espanha,mudarem as vias de bitola larga 1,668m,para bitola estreita de 1,435m,bitola de 1814 na mina de carvão em Inglaterra,que servia para vagonetes,Chamo a isto já no ano 2010,andar para trás,como o combóio de Chelas.Por favor apresentem antes novas técnologias para o TGV,r deixem de ataques, baratos ,a um antigo profissional.Os passageiros merecem segurança máxima no T:G:V:Até sempre. Mauricio Arrais.Abrantes.

    Sr. Maurício,

    Estou espantado com a sua eloquência, até me admira como é que a Alemanha – que tem comboio acima dos 160 km/h desde há 80 anos – não o veio buscar para fazer uma revolução…
    Fora isso, são todos burros, os japoneses, os franceses, os outros que desde 1964 exploram serviços regulares acima dos 200 km/h. Sim, com uma brutal falta de segurança…
    A sério, não tenho tempo.

  25. Pedro Costa says:

    Sr. Maurício sabe o que é falta de segurança na minha opinião?… É estarmos no século XXI e ainda haver linhas sujeitas a erro humano, por avanço telefónico entre estações.

    Imagine bem o custo de mudar a bitola em todos os outros países da europa em comparação com dois países aqui no cantinho a beira mar plantados (portugal e espanha)… completamente incalculável.

  26. José Teixeira says:

    Sr. Maurício
    desculpe a minha insistência, e não se trata de ataques baratos, primeiro porque não sou militar e segundo porque não sou ponta de lança……..
    Face à insegurança que aponta, no TGV, é capaz de colocar aqui um histórico de acidentes dessas altas velocidades??
    Sinceramente, não entendo porque insiste na falta de segurança do TGV…….. lembro-me vagamente dum descarrilamento do TGV, a alta velocidade, e se não me engano, não houve um único ferido…….
    O sr. devia era estar preocupado, com a linha do Douro e outras que ainda funcionam em cantonamento telefónico, sistema sujeito a erros que originam desastres gravíssimos, como o de Alcafache….

  27. José Teixeira says:

    Sr. Maurício
    esqueci-me de acrescentar……. preocupe-se com o estado da via e a forma como certos trabalhos são executados. Muitos desses trabalhos nocturnos, são acompanhados por pessoas que não tem os mínimos conhecimentos sobre construção e manutenção da via, porque a REFER não quer pagar a técnicos qualificados, durante a noite…..
    Resultado …….. os empreiteiros se são bons fazem o trabalho bem feito, se querem é fazer muitos metros de via numa interdição, fazem o trabalho aldrabado e depois……..
    “garrotes” …….. via fora de escala …….. etc.etc…..
    Resultado:
    lá vai um “martelo” para as couves…….. afrouxamentos com fartura………


  28. Quem é o Snr. Costa?Eu numca dei a partida a um combóio,sem avanço,ou sem ter o original do avanço,no meu bolso.Percebe?Na circulação,ou manobra de combóios ,não pode haver falhas,custam muito caras a quem as comete..Meu caro amigo,se está em Lisboa deve perguntar no I S T,no Arieiro a um professor de Fisica,dos quatro paises,os quais deviam corrigir a bitola da via.Ou então como já disse aos dois comentadores,anteriores,para pedirem Prf.Dr. Décio Ruivo, em Fisica,na Universidade de Coimbra e meu primo,que lhe de explicações.Por acaso sabe o nome da ferramenta com que um funcionário mede a bitola da via?Não se meta em assuntos de que não percebe.Tem alguma nova tecnologia para segurançado TGV’?Os passageiros precisam é de segurança máxima quando viajam.Até sempre.Mauricio Arrais Abrantes.


  29. Semhores responsáveis por este programa,retirem por favor o meu nome ,pois não estou com disposição ,para responder a pessoas ,que não se identeficam,e que revelam uma ignorância total do que é a circulação dum combóio.Obrigado.Mauricio Arrais. Abrantes.

  30. Pedro Costa says:

    Sou uma pessoa ligada ao meio ferroviario, e posso garantir que a pouco mais de um ano atras, graças a um telemovel se evitou um grande acidente em portugal graças a um avanço telefonico mal realizado!!! Peço desculpa mas confio mais nos computadores do que numa pessoa cansada durante o seu turno numa estação sem eclipse por exemplo.

    Sabe que uma MATISSA consegue colocar a via na escala que queremos, á décima de milimetro?!

    Como o Sr. Teixeira disse existem trabalhos durante a noite que nao sao fiscalizados por pessoas com conhecimentos… sabe que no ultimo acidente do tua nas noites anteriores houveram obras junto a via com maquinas retroescavadoras em cima da via (fragil de si propria)…?

    Acredite que conheço muito bem o meio ferroviário desde muito pequeno…


  31. Como tiraram os meus comentários com novas tecnologias de alta segurança para a circulação do TGV.só responderei ,a quem se identifique como tendo conhecimentos ,da circulação de combóios.Os assunto que tratei ,foram novas tecnologias de grande segurança do TGV.Cortaram o meu comentário,Já não cortam mais,pois não perco tempo,com pessoas ,que não sabem o que é uma GRANDEZA.Até sempre.Mauricio Arrais,Abrantes.


  32. Mauricio Arrais :
    Como tiraram os meus comentários com novas tecnologias de alta segurança para a circulação do TGV.só responderei ,a quem se identifique como tendo conhecimentos ,da circulação de combóios.Os assunto que tratei ,foram novas tecnologias de grande segurança do TGV.Cortaram o meu comentário,Já não cortam mais,pois não perco tempo,com pessoas ,que não sabem o que é uma GRANDEZA.Até sempre.Mauricio Arrais,Abrantes.

    Não se apoquente, os seus preciosos comentários continuam cá todos… na página 1: http://www.aventar.eu/2010/06/11/oaris/comment-page-1/#comments

    A tecnologia é fodida…

  33. A. Pedro says:

    Ó sr. Maurício, a mim pode chamar ignorante à vontade porque, em questões de combóios, sou-o.
    Mas, ainda que mal pergunte, quem é pôs o seu nome? Eu li o artigo do sr. Silva e não vem lá o seu nome. Nos comentários sim, vem. Mas, ou anda alguém a comentar em seu nome, ou foi o sr. que lá o pôs.

  34. A. Pedro says:

    Eu, no comentário anterior, estava a responder a isto:

    “Semhores responsáveis por este programa,retirem por favor o meu nome ,pois não estou com disposição ,para responder a pessoas ,que não se identeficam,e que revelam uma ignorância total do que é a circulação dum combóio.Obrigado.Mauricio Arrais. Abrantes.”

    Agora vejo isto:
    “Como tiraram os meus comentários com novas tecnologias de alta segurança para a circulação do TGV.só responderei…”

    Parece-me que anda um bocado indeciso… ah, e já me identifiquei como ignorante em comboios.


  35. O grande acidente em Alcafache aconteceu por erros humanos ,uns quatro agentes que não devo citar.Se fossem duas vias ,ascendente e descendente não tinha acontecido.Peço desculpa por dois lapsos a via estreita é de 1,435m,e a segurança da via larga ,em relação á estreita ,e´´de 11,6% por cento.dividindo 1,668 por 1,435 o resultado é 11,623.mais segurança.Mauricio Arrais. Abrantes.P/S-É pena o meu primo Prf.Dr.Décio Ruivo Martins,professor da Fisica ,na Universidade de Ccoimbra,não comentar as tecnologias.Eu era fraco em Fisica e em Tecnologia!


  36. Mauricio Arrais :
    O grande acidente em Alcafache aconteceu por erros humanos ,uns quatro agentes que não devo citar.Se fossem duas vias ,ascendente e descendente não tinha acontecido.Peço desculpa por dois lapsos a via estreita é de 1,435m,e a segurança da via larga ,em relação á estreita ,e´´de 11,6% por cento.dividindo 1,668 por 1,435 o resultado é 11,623.mais segurança.Mauricio Arrais. Abrantes.P/S-É pena o meu primo Prf.Dr.Décio Ruivo Martins,professor da Fisica ,na Universidade de Ccoimbra,não comentar as tecnologias.Eu era fraco em Fisica e em Tecnologia!

    Eu estava – até este preciso momento! – de que o acidente de Alcafache se tinha devido a um problema de bitola. Afinal não.


  37. Esta observação,por baixo do meu comentário,sem nome do autor,é cinica!Todos os portugueses,souberam mais cedo ou mais tarde,que foi um choque entre dois combóios em plena via da linha da Beira Alta.O seu cérebro precisa de ser tratado.Mauricio Arrais. Abrantes.


  38. Ah, mas esse choque não se deveu a um problema de bitola, já que tanto insiste na teoria.
    A sério, saia de casa um pouco, vá passear.


  39. Mauricio Arrais :
    Esta observação,por baixo do meu comentário,sem nome do autor,é cinica!Todos os portugueses,souberam mais cedo ou mais tarde,que foi um choque entre dois combóios em plena via da linha da Beira Alta.O seu cérebro precisa de ser tratado.Mauricio Arrais. Abrantes.

    O nome do autor, parvalhão, está na barra azul por cima do texto. É o que dá entregarem computadores com ligação à net a analfabetos funcionais…

  40. José Teixeira says:

    Sr. Maurício
    fiquei decepcionado por não obter resposta às questões, que considero gravíssimas, sobre a segurança da circulação de comboios……
    Desculpe-me a observação mas, primeiro deve aprender algo de informática e segundo pense nas questões que mencionei……. antes de pensar em segurança do material circulante, pense primeiro na segurança da infraestrutura de via e na própria via……
    Imagino que domine o tema, verdade???

  41. José Teixeira says:

    Sr. Maurício
    já agora acrescento uma correcção…..
    A bitola de 1.435mm, é normalmente conhecida por bitola internacional.
    A bitola de 1.000mm, é conhecida por via métrica.
    Todas as bitolas abaixo dos 1.000mm ….. e são várias… são as vias estreitas………


  42. Sou muito fraquinho com o computador,pois posso ser avô ,desses senhores todos,que de combóios ,nada percebem.Durante 25 anos fui chefe de estação e de combóio.Lamento que não apresentem novas tecnologias para maior segurança do combóio TGV,e percam tempo,com comentários sem interesse,e portanto a demostrar,ignorância total do sistema ferroviário.Nenhum desses senhores sabe definir o que é uma RAZÃO!Não perco mais tempo.Até sempre.Mauricio Arrais.Abrantes.

  43. Pedro Costa says:

    Mais segurança?..

    -manter a linha vedada e sem passagens de nivel (algo obrigatorio para cima dos 160km/h) que ja existe
    – montar cameras de vigilancia ao longo de toda a linha de alta velocidade para evitar actos de terrorismo

    A ideia de rodas de duplo verdugo iria ter que alterar todos os AMV’s, iria criar um atrito muito maior nos carris (logo maior consumo de electricidade) e maior desgaste na via e material motor.

    E atenção que essas contas de “segurança” não são proporcionalmente directas… é um gráfico a tender para zero conforme se aumenta a distancia da bitola.


  44. Se não estou enganado,os senhores Silva e Teixeira,são sócios de uma Junta de Freguesia ,lá de cima do Douro,e pelos vistos gostam de combóios.Nunca foram chefes de estação e de combóios,não deviam colocar questões,sobre combóios,mas sim sobre Juntas de Freguesias.Como não gostaram das minhas inovações,sobre segurança de combóios,tiveram a triste ideia de me ofenderem.Deviam era ir os dois á pesca para o rio Douro.São os dois muito novos!Nunca é tarde para ensinar.Mauricio Arrais.Abrantes.


  45. Para conhecimento de todos os bons portugueses,eu informo:No ano de 1860,foi criada a COMPANHIA REAL DOS CAMINHOS DE FERRO PORTUGUEZES. COM O CAPITAL SOCIAL ,TRINTA E CINCO MILHÕES DE FRANCOS. ACÇÃO DE QUINHENTOS FRANCOS.A minha acção tem o numero n29542.Senhores governantes talvez seja bom lembrar iniciativas do passado.Mauricio Arrais Abrantes.17/11/2010.


  46. A bitola da via férrea portuguesa,é das mais seguras do Mundo,para a segurança máxima dos combóios.

  47. José Teixeira says:

    Mauricio Arrais diz:
    18 de Outubro de 2010 ás 17:40

    Se não estou enganado,os senhores Silva e Teixeira,são sócios de uma Junta de Freguesia ,lá de cima do Douro,e pelos vistos gostam de combóios.Nunca foram chefes de estação e de combóios,não deviam colocar questões,sobre combóios,mas sim sobre Juntas de Freguesias.Como não gostaram das minhas inovações,sobre segurança de combóios,tiveram a triste ideia de me ofenderem.Deviam era ir os dois á pesca para o rio Douro.São os dois muito novos!Nunca é tarde para ensinar.Mauricio Arrais.Abrantes.

    Sr. Maurício……

    só hoje li esta mensagem……. tenho-lhe a dizer o seguinte……
    Não sou, nem nunca fui, sócio de uma junta de freguesia. E que eu saiba as juntas de freguesia não tem sócios…….
    Por acaso até sou pescador…. mas costumo andar pela ria de Aveiro, ou pelo mar da Torreira…..
    Quanto a ser novo ou velho.. apenas lhe digo que já poderia ser avô………
    Em relação aos comboios, tomaram muitos ferroviários saber tanto de comboios como eu sei………
    Ainda não o insultei, nem penso fazer, pelo respeito que merece qualquer pessoa, mas não me pise muito o “rabo” porque senão posso fazer como os gatos e dar algum miado de que não goste………

    Cumprimentos.

    José Teixeira


  48. A Internete deixa já tudo pronto para eu responder,obrigado.Alguem me chamou parvalhão,sem me conhecer.Pelos vários comentários que tenho feito,deve compreender ,que foram muitos anos ,como chefe de estação e de combóio.Essa de saber tanto como muitos ferroviários,eu acredito,mas para mim tem que comer muito pão o resto da vida,e depois faça comentários.O senhor a querer ensinar-me,sobre bitolas,é ter falta de consideração,e por em causa os meus conhecimentos sobre combóios.Quem me chamou parvalhão?Tambem sou pescador de rio!Pode mandar-me ir á pesca aqui para o Tejo,o maior de Portugal,que eu até gosto!O tema que estavam a tratar era somente a bitola da via,e o TGV.Como sabe então de combóios,deve saber que a nossa bitola,é das mais seguras no Mundo,alem salvo erro da India.Em fisica quanto mais larga é a bitola ,mais estabilidade tem o combóio em movimento.Se quer saber mais sobre combóios é só ler os meus comentários.Folgo muito em saber que gosta de combóios.Meu pai foi chefe no Entroncamento,meu tio foi chefe em Castelo Branco,uma familia de ferroviários.O Estado se emitir cento e oitenta mil ACÇÕES,não precisa pedir dinheiro ao estrangeiro,com juros altos.Cumprimentos.Nunca é tarde para ensinar.São 83 primaveras.Mauricio Arrais.Abrantes.


  49. Segundo a internet o Snr,Dário Silva foi ou ainda é o Secretário da Junta de Freguesia,de Oliveira do Douro.Talvez goste de ver um dos meus blogues HISTÓRIA DOS ARRAIS NO MUNDO.Podia dar uma ajuda ao Clube Futebol Oliveira do Douro.Escrevi o livro APONTAMENTOS TÈCNICOS DE FUTEBOL.Mauricio Arrais Abrantes.


  50. Snr Dário,e restantes comentadores,para de uma vez para toda a eternidade ,a bitola ibérica ,que é a usada em Portugal 1,668m,é a segunda bitola mais segura no Mundo a seguir á India,se a memória não me falha.A bitola europeia que mede 1,435m,portanto mais estreita,o,233m,dá menos estabilidade ao combóio em movimento.Quanto mais larga for a bitola,mais estabilidade tem o combóio em movimento.Ou a fisica não serve para nada.Pela sua saude,e por boas pescarias no rio Douro,não falem mais em bitolas.Bom trabalho na Junta de Freguesia.Cumprimentos deste parvalhão.Mauricio Arrais. Abrantes.


  51. Que me desculpem,já não sou bom a matemática,errei os meus calculos,peço desculpa,são as muitas primaveras.Ora vejamos Snr .Dário:O combóio TGV a circular na linha de bitola 1,668m,ibérica mais moderna,a 300km/h,admitindo uma segurança,na circulação de 98%,e em França ,circula na linha de bitola europeia 1,435m,outro combóio,a 300km/h.Qual a percentagem de segurança deste combóio em França?Aminha operação:1,435×100:-1,668=86%,03,esta é a margem de segurança do combóio,a circular na linha de bitola europeia.Portanto em contas redondas menos 14% de segurança em relação ao combóio TGV ,que circula na linha iberica,moderna de bitola 1,668m.98%-84%=14%.Será assim?Seria muito bonito ,os combóios de alta velocidade,circularem com a máxima segurança,na nossa bitola,de 1,668m,de Lisboa oriente,por Madrid,Paris,Moscovo ,atéSãoPetersburgo,até aos Montes Urais,até a´´ Sibéria,até ao Mar Cantábrico.Gostava de ainda ir pescar ao Rio Sália,na Primavera.Mauricio Arrais.Abrantes.1 de Dezembro de 2010.RAZÃO:È o resultada da comparação entre duas grandezas.


  52. Que me desculpem,já não sou bom a matemática,errei os meus calculos,peço desculpa,são as muitas primaveras.Ora vejamos Snr .Dário:O combóio TGV a circular na linha de bitola 1,668m,ibérica mais moderna,a 300km/h,admitindo uma segurança,na circulação de 98%,e em França ,circula na linha de bitola europeia 1,435m,outro combóio,a 300km/h.Qual a percentagem de segurança deste combóio em França?Aminha operação:1,435×100:-1,668=86%,03,esta é a margem de segurança do combóio,a circular na linha de bitola europeia.Portanto em contas redondas menos 14% de segurança em relação ao combóio TGV ,que circula na linha iberica,moderna de bitola 1,668m.98%-84%=14%.Será assim?Seria muito bonito ,os combóios de alta velocidade,circularem com a máxima segurança,na nossa bitola,de 1,668m,de Lisboa oriente,por Madrid,Paris,Moscovo ,atéSãoPetersburgo,até aos Montes Urais,até a´´ Sibéria,até ao Mar Cantábrico.Gostava de ainda ir pescar ao Rio Sália,na Primavera.Mauricio Arrais.Abrantes.1 de Dezembro de 2010.RAZÃO:È o resultada da comparação entre duas grandezas.


  53. Quero corrigir;1,435×98%:- 1,668m=84%31,.Resulta uma segurança inferior mais exacta de 13%,69 em relação aos 98% da bitola ibéricaBOAS FESTASMauricio Arrais Abrantes.


  54. Quero corrigir;1,435×98%:- 1,668m=84%31,.Resulta uma segurança inferior mais exacta de 13%,69 em relação aos 98% da bitola ibéricaBOAS FESTASMauricio Arrais Abrantes.È corrigir um erro!


  55. Snr.Dário,espero que me desculpe,sair do seu tema.Logo que gosta muito de combóios,e seguiu outra profissão,vou tentar esclarecer os portugueses sobre a composição do TGV.Gosto muito da cor branca de toda a composição que aparece na internet.Não gosto da locomotiva nada aerodinâmica,e as carruagens,tipo caixote.Gosto dos bancos ,faltando um cinto especial de segurança.As janelas devem ser,todas panorâmicas,e não janelas tão pequenas.O T.G.V. não deve ter mais de tres unidades de dois pisos,pelas seguintes razões:A constução dessas unidades,deve ser mais económica,do que seis de um piso.A tonelagem a rebocar pela locomotiva é muito inferior,logo menos consumo.Em caso de acidente,é menos grave do que se forem seis unidades.Nas estações é mais fácil a sua manobra.Com os habitantes que temos tres unidades de dois pisos,deve ser sufeciente.Não fazer a ponte,já são muitas,e o TGV,sair de L.Oriente pela ponte 25 de Abril,paragem em Pinhal Novo,Centro Ferroviário do Sul,2 minutos,com ligações do Algarve.Em Évora paragem de 5minutos para visturia a toda a composição,e paragem em Elvas,2 minutos para desembarque e embarque de passageiros.As composições de passageiros,não passarem de Badajoz,pois os espanhóis,deixaram-se enganar pelos franceses,do Snr Napoleão,tinham uma das vias mais seguras do Mundo,foram eles os pais da bitola ibérica,e agora andam a estragar o que lhe deu tanto trabalho,e custos.Penso que temos engenheiros,para se construirem as carruagens,mais modernas,que as da Bombardier,nas oficinas da Sorefame.Boas Festas.Mauricio Arrais.Abrantes.2/12/2010.


  56. Sublinham sempre o meu nome,gostam do meu nome?Parece que os comentadores,já estam mais ou menos ,satisfeitos com os meus esclarecimentos de segurança para o comboio TGV,e com as minhas operações de regra tres simples.Nunca mais apareceu nenhum comentário.BOAS FESTAS,para todos e para a INTRNETE.Mauricio Arrais.Abrantes.5/12/2010.

    • Pedro says:

      Existe um ditado na minha terra que diz “nunca te ponhas a discutir com um idiota… ele obriga-te a baixar ao nivel dele e ganha-te em experiencia.”


  57. Pedro e Teixeira,deixem de ofender ,um ferroviário com vinte cinco anos a trabalhar com combóios.Nunca apresentaram nada de válido,nos comentários! São venenosos,e mal educados.Quando não tem conhecimentos,para divulgar vão pelo insulto á distância.Desistem por falta de estudos de conhecimentos.Ainda nenhum de todos os comentaristas,foi capaz de se identificar profissionalmente.Na Calçada do Duque n 20 em Lisboa,está a minha folha de serviços durante vinte e cinco anos.Desde Julho de 1947 até Dezembro de 1974.Se quiserem ofender,ofendam quem não lhe deu educação.Acreditam isso sim na ignorância.Eu costumo dizer,que a vaidade é filha da ignorância.RAZÃO:É o resultado da comparação entre duas grandezas!A vossa em combóios é igual a ZERO.Não aturo gente mal educada.FIM PARA TODA A ETERNIDADE.Mauricio Arrais. Abrantes.6/12/2010.

  58. Dario Silva says:

    Pedro,

    tens razão: a experiência conta muito.

  59. Pedro says:

    Será que é mesmo o fim?..

    Bem eu conheço um pouco da calçada do duque, já la entrei uma meia duzia de vezes, talvez porque estou ligado ao caminho de ferro de certa forma.

    Andei no outro dia em bitola europeia.. diesel T-160… mas que suavidade! senti-me mais seguro a 160 do que a T-80 na linha do douro.


  60. Obrigado pela atenção.Não tenho paciência,para aturar pessoas,que nunca foram ferroviários,e com comentários sem nenhum sentido.BOAS FESTAS.Mauricio Arrais.Abrantes.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.