Portugal 1 – Argentina 2 … Era uma vez o Cristiano Ronaldo Y o Lionel Messi …

… Y o Cristiano Ronaldo C@gou no Messi. End Of Fairy Tail

Comments

  1. Rodrigo Costa says:

    Na apreciação ao rendimento individual dos argentinos, Gonçalo Guimarães,n’A Bola, elegeu-o a figura do jogo; e diz ser Messi quem esgota os adjectivos. No geral, acha-se que houve empate técnico —logo técnico!!!

    A questão nunca seria Ronaldo ter saído antes do fim do jogo, dando a ideia de que Messi beneficiaria disso. Ronaldo poderia ficar todo o tempo, de todos os jogos… e Messi nem lá estar, porque se força a comparação entre coisas incomparáveis: Ronaldo —mesmo reformulado por Mourinho— está à mão; Messi não é de cá.

    Enquanto jogador, há muitos outros de que nos lembramos, antes de que Ronaldo seja citado. Com Messi, a comparação é estabelecida noutras galáxias: Pélé, Maradona, Cruyff… para falarmos de jogadores do tipo de que Ronaldo nunca será; porque não falamos, apenas, de goleadores, mas de jogadores completos, cerebrais; jogadores com a responsabilidade de gerir o futebol de equipas de grande categoria. Mesmo Eusébio —por, ainda assim, absurda comparação— tinha a explosão e o instinto que não existe em Ronaldo. Em comum, têm a componente física, que, quando esfria, não deixa mais nada —basta lembrar como acabou Eusébio, à medida que, com a idade, foi recuando no terreno, para zonas onde a inteligência é primordial, comparativamente à força, à explosão. No meio-campo, no gabinete onde são elaborados os projectos, é a discrição e a eficácia —a exuberância da eficácia— que nos diz da inteligência.

    Então —como ainda ontem pudemos ver—, Ronaldo viveu dos costumeiros raids inócuos de que se alimentam as nossas câmaras; Messi fartou-se, como de costume, de rasgar, sem ruído, com passes que tornam tudo fácil, que são o mel para qualquer avançado. Não houve diferença entre o Messi do Barcelona e o da Selecção. Houve, apenas, uma pequena diferença: a ausência do Xavi e do Iniesta —outros com quem Ronaldo não pode ser comparado—, para reforçarem a consequência. Mas nunca ouvi dizer, o Messi, que resolve todos os problemas sozinho. Nem Pélé nem Maradona disseram ou conseguiram. Às vezes, até mesmo a um Maicon ou a um Rolando —no estádio em que estão— se deve o primeiro chuto.

    Acho poder afirmar que, se Ronaldo tivesse outra configuração física, não fosse, digamos assim, tão apetecível à frivolidade de um certo feminino, estaria, discretamente, fazendo o seu jogo; marcando uns golos, ganhando bolas de ouro… mas nada que causasse sensação. O Bes, o Bas ou o Bus não o utilizariam nos seus anúncios publicitários. Usam-no como modelo, por assim poder ser, por ser famoso e por ter corpo —não lhe é pedido que diga grande coisa; não há intervenções dramáticas… há, simplesmente, que ler uns curtos textos. A coisa coloca-se deste modo: há homens mais inteligentes e mais bonitos mas que não são famosos; e há homens mais inteligentes e tão famosos, mas que não são bonitos. Não é disto que se alimentam nem a moda nem a publicidade —eu já por lá passei—: meios onde não falta muita gente de caca.

    E há, depois, um outro pormenor: o Raúl Meireles tem estado a salvar o Liverpool; o Dany e o Bruno Alves são pedras fundamentais no Zenit; o Besiktas, agora sim!, porque estão lá o Quaresma, o Hugo Almeida e o Simão Sabrosa; o Real Madrid e o Valdano não merecem o Mourinho… E, por último, o Manchester, que, depois da saída do Ronaldo, já não é a mesma coisa…

    Não vou chamar a isto, propriamente, chauvinismo. Chamar-lhe-ei comportamento próprio de um povo que tem cada vez menos história, e que aproveita toadas as hipóteses de fazer peito ao Mundo.

    Foi assim que a Nely Furtado apareceu por cá e deu voz ao coro da Selecção; porque tinha o sangue de um qualquer português a quem nunca o país ligou a ponta de um corno. Foi assim que apareceu o Obikwelu; africano, a treinar em Espanha, com treinador espanhol, a que, descaradamente, se conseguiu chamar campeão português…

    Era ver, ontem, a horda de calhordas a assobiar o Messi, de cada vez que o rapaz pegava na bola. Faltou-lhes os isqueiros e as bolas de golfe, mas a animalidade foi a mesma, porque assobiaram um rapaz pacífico, discreto, simplório; que se limita, sem alardes, a ser o melhor jogador da actualidade —e voltamos, outras vez, à questão da “verdade desportiva”. Na verdade, têm a possibilidade de ver em acção um indivíduo fabuloso… e o que lhes acontece?… Não passam de complexados tugas… Ninguém goza a verdade nem o espectáculo; vive da inveja e dos resultados. É isto, maioritariamente, o que Portugal tem para oferecer ao Mundo; resumindo, complexos.


  2. Bem, cada vez mais me convenço que o Lionel Messe é assim – digamos – um ser mais consentâneo Y acessível à fantasia erótica masculina que um dia se poderá tornar realidade num qualquer Urinol do Mundo, quiça nas dunas da praia do Meco… O efeito afródisico do Lionel Messi nos Homens tugas é como dizer, uma espécie de de possibilidade de consumarem o amor pela imagem que vêem no espelho. Aquele ser – fisicamente – tão igual, comparável – fealdade a fealdade – com eles. Amam o mMessi, pois assim podem dar largas ao amor que sentem pelo espelho, Y assim nunca sente a mão vazia abandonada, desprezada. Ela está preenchida por um ser que os aceitaria – de tão igual que é à sua Imagem no espelho. Não, nunca seria rejeitados pelo Lionel Messi, o Lionel Messi, o lionel Messi, o Lionel Messi Y repetem como adolescentes enamorados o Nome Lionel Messi. Como já não são adolescentes para o poderem escrever nos canhenhos escolares… repetem o seu nome todo o dia, toda a hora – Assim fazem o seu Homo-erótico Amor uma coisa LIVRE.

    Podia continuar.
    Mas não tenho paciência para o Cintel em torno de Lionel Messi, em que cada um dos adjectivadores compete para ganhar a sua voltinha, quanto o fazem nem se dão conta que o tal Mourinho não darda nada tem é o Di Maria a dar Bailhão de Grande Craque ao gracioso Jovem Messi. Mas isto de viver em terra de Burros Voluntários para o Cintel dá nisto: de tanto terem as palas postas na voltinha que disputam no citel da adjectivação não vêm o Di Maria a conquistar grande espaço.

    Se o Cristano Ronaldo C@agou no Lionel Messi, Yo me cago em los voluntários do Citel.

    PS.: Cintel é área onde a Besta de Carga anda à Volta para fazer mover a Nora.
    PS2: Só discuto futebol tecnicamente com quem se escusa ao JUGO das Palas.
    PS3.: Enquanto o Lionel Messi Erotico-Fantasiado encher a Mão de muito Tuga das Palas não vai ser possível falar sobre Futebol tão cedo.

  3. Nuno Castelo-Branco says:

    Passando à frente da bem conhecida e improfícua “a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha”, viu-se o que vale Cristiano Ronaldo. Bastou sair, para o jogo ficar em pantanas. Mas, vá lá… há uma desculpa plausível. A bandeira argentina é azul e branca e venceu. O infecto trapo que o mau gosto de alguns ousa pendurar esfarrapado á varanda, simboliza bem o princípido do “arranca e pára”: verde para avançar e vermelho para colocar o pezinho no travão. Foi exactamente isso que Paulo Bento fez. “Diz-se” que por “sugestão” do carrancudo Mourinho.
    Não aprendem. Paciência.

  4. Ricardo Santos Pinto says:

    O que ninguém perguntou é por que razão o Cristiano Ronaldo saiu a meia hora do fim. Ou a ideia era não ganhar o jogo, ou houve telefonema prévio do Mourinho para o Paulo Bento. Olha se fosse o Carlos Queirós a fazer issso…
    Já agora, o Messi mete o Cristiano Ronaldo num bolso…


  5. Nuno, essa Imagem dos sinais de trânsito está generosa. Acho que até andamos mais no amarelo 🙂
    O Jogo era amigável, a equipa adversária era acima da Média com dois Jogadores de respeito Mundial( Ou extra-terrestre ehehe como gostam de dizer) 1 Oficial Y outro no prelo. Até considero inteligente o teste do Paulo bento. Há que fazê-lo na altura certa ( esta era propícia, não é quando os jogos já não se jogam a abraços.
    Y o Coentrão estava a precisar de uma reprimenda, o peso do penalti vai ter efeito positivo.


  6. Ricardo: No bolso de trás Ou da frente? Quem é que escolhe: o Messi Ou o CR7? 🙂

    O Cristiano é Grande! fará estragos em qualquer bolso :). Depressa ficariam Rotos :))) Faz a cronometragem do arranque para o golo 🙂 … ele já sabe o que vai acontecer antes de acontecer.
    O Cristiano Está Uns segundos à frente do resto do Mundo.
    {É. O Messi tem de saltar. O Cristiano já está lá :)}

  7. Rodrigo Costa says:

    … Ser Português —como costumo dizer— é traumático e espectacular. Se eu não estivesse habituado a isso, dedilhava umas merdas e daria corda. Tempo perdido; não vale a pena pedir a quem não tem; são coisa que não existe. Se existisse, tinha nome.

    Quanto ao cagar, não interrompa, continue; porque parece ser o que melhor faz.

    nota: peço desculpa por ter comentado no seu espaço; era eu quem devia ter reparado. Agora é tarde. Eu próprio vou cagar em mim, por ter reparado, tarde, onde e com quem estava. Para si não o faço, porque estaria a estragar merda.

  8. Ricardo Santos Pinto says:

    Rodrigo, peço-te que não fales assim. Cada um tem o seu estilo e a De Puta Madre tem todo o direito de se expressar da forma que entende melhor para vincar os seus pontos de vista.
    Minha querida De Puta Madre, o Messi mete o Cristiano Ronaldo em qualquer bolso e sem direito a escolha. Aqui e em qualquer parte do mundo. No presente ou no futuro. Aquilo é (quase) tudo marketing.

  9. A. Pedro says:

    Não concordo nada com o Rodrigo mas, já que ele foi buscar tantos nomes e comparações, vou também comparar:

    Se Messi (falo do estilo) está mais próximo de Maradona, Ronaldo (ainda o estilo) está mais perto de Pelé e ambos, se é que se lembram ou os viram, eram tão diferentes como a água do azeite.

    O que fazem fora de campo interessa-me pouco e nunca misturo simpatias pessoais e cusquices sobre vidas privadas ou mediáticas com rendimento em campo. É precisamente por isso que não concordo com o Rodrigo ou com o Ricardo, porque em termos de rendimento falam os factos.

    O resto é blá-blá, fixe para outras ocasiões mas nada tem a ver com futebol – onde de resto se deve jogar de boca calada. Além disso, nem as poses publicitárias nem as discrições caseiras, nem o sex-appeal nem a falta dele, marcam golos. E disso, golos, percebem Messi e Ronaldo. Passe a imodéstia, mas esta análise é que bate certo se estamos a falar de jogadores de futebol. Já o resto…


  10. Ricardo, deixa lá o Rodrigo desabafar face ao meu raio-X : os feios tb têm potencial erótico Y os homens não são indiferentes ao sex-appeal do Messi ( o pobre rapaz é o alvo, deste entusiasmo masculino) 🙂 … Se ele soubesse o que me fez rir com o texto dele, não o tinha escrito. Pois ficou zangado. Deixo aqui o link de inspiração, por certo, deste patriotismo que nos leva a usar o C@gar Y a M@rda como arremesso quando nada mais há a fazer face ao que não tem remédio: http://lildbi.bireme.br/lildbi/docsonline/lilacs/20090300/150-LILACS-UPLOAD.pdf

    O certo é que o CR7 C@gou em Messi 🙂 … Y o gajo ficou a jogar sozinho, até marcou o Penalti, salvado assim o coração em pulos de dúvida dos seus Apostadores. Oh! Os apostadores de Messi, apostam a vida no Messi. Pobre Messi. Mais do que Jogador, bom jogador, o melhor jogador … não funciona mais do que um Galo, Grilo, Cavalo, Pulga ( totobola, etc.) de aposta projectiva de vidas penduradas dos seus homens de Mão-Morta. Mão de vida morte … F-Se! Não nasceram: nem bo-ni-tos ( Como o CR7); nem Talentosos ( Como o CR7); nem determinados (Como o CR7); nem persistentes ( Como o CR7); nem impertubáveis ( Como o CR7); nem valentes & bravos ( como o CR7); nem ágeis ( Como o CR7); nem pagos por tudo (Como o CR7) … nem Etc ( Como o CR7) Enfim: Nem De Puta Madre ( como o CR7).

    PS: Podem dizer o que quiserem do Messi: que é o “etc” do mundo! colocarem-lhe medalha “etc”; comparam-no com os “etc’s” de outros Y de todos os tempos! Mas ……………
    ………… Mas O Cristiano Ronaldo, só ele, y apenas ele: é O Jogador DE PUTA MADRE!


  11. BARCELONA 5- REAL MADRID 0

    CHEGA Ó TUGAZINHO RONALDO? QUE GAJO SEM NÍVEL…


    • Tugazinha Cristiano Ronaldo Sénior, sff 🙂

      PS* = Se de dá para falar sobre “Where Is My Vote” & de Fraud Election sobre dois magníficos – pelo menos – Jogadores Espanhóis, ficam com a palha palavra “do melhor do mundo” a fazer bola na boca, tal qual como reconhecer ao Ahmadinejad a vitória limpinha nas eleições Iranianas. O Fake, por acaso, é o que bradam, pensem nisso y sejam modestos. O rapaz – Messi – é novo. Não era necessária a antecipação. Tudo não passou de uma Fake projecção. Tanta pressa para quê? Marketing?! O Do Cristiano Ronaldo é Honesto Y não atropela ninguém. O do Messi atropelou pelo menos 2 Jogadores Espanhóis. Coisa triste Y pirosa, só para ser o mais Jovem do Mundo.
      Pachorra para Fakes ( jogadores Y narrativas sobre)? Não há.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.