E agora que venha o Barcelona

O melhor jogo da temporada portuguesa foi, de muito longe, o FC Porto – Braga. Simpático da nossa parte oferecer uma réplica ao mundo. Claro que final é final, e réplica não é o original. Mas foi entretido, embora tenha faltado o golo do Braga, e os que se lhe seguiriam.

Coisas que orgulham a pátria: Helton diz ao árbitro que não sofreu falta (também é verdade que ia dar ao mesmo) e a saída de campo dos jogadores do Braga, passando por um respeitoso túnel formado pela equipa do Porto. Mais duas razões pelas quais o Braga mereceu eliminar os apóstolos da luz apagada.

Próxima etapa: a supertaça a disputar com o vencedor da Liga dos Campeões parece que é no Mónaco. Muito perto da Catalunha? Que venha o Barça. Eu sei que profecias só no final do jogo, mas esta já a fiz.

Comments

  1. António Fernando Nabais says:

    Considero esta fotografia de péssimo gosto. Só gostava de saber quem é que permite que coisas destas circulem.


  2. Realmente, esta coisa dos mailes, é muito baixa.

  3. Antonio says:

    Achei ílária sua foto hilária!!

  4. Antonio says:

    Cara, me desculpa, mas, vcis vão tomar de zero deo Barça!!


    • Precisamente porque o Barça vai pensar isso ao entrar em campo, é que vai perder.
      De resto não inventei nada: um dos treinadores derrotado pelo FCP na Uefa foi bem claro: é a única equipa capaz de derrotar o Barcelona.

      • Ricardo says:

        Pela boca morre o peixe… Assim de repente, o Barça está a anos luz do Porto. Mas posso estar enganado.

      • Ricardo says:

        “Porque o Barça vai pensar isso ao entrar em campo”? Você é muito mais inteligente que eu, não tenho dúvidas disso. Mas de vez em quando há aquelas oportunidades… está a ver não está…

  5. Ricardo says:

    Vocês ainda não perceberam: é a tática do ódio a funcionar. O que é que o Benfica tem a ver com este jogo? Nada. Mas os tipos insistem no Benfica, são obcecados.


    • Podia explicar a ligação com a foto, mas quem teve o fairplay de ma enviar que o faça, se estiver para isso.
      E de resto tive a cortesia de não referir o mais interessante resultado do campeonato…

  6. Antonio says:

    Tenho acompanhado de “longe” o campeonato europeu de futebol….Sinceramente, não vejo como o futebol do Porto conseguir uma derrota por menos de de 3 x 1, para o Barça!

  7. Ricardo Santos Pinto says:

    Concordo com o Fernando Nabais. A foto é lamentável. Quando vejo portistas a festejar com cachecóis «Benfica odeio-te» e coisas do género, sinto-me envergonhado. Por que razão havemos de estar a pensar no Benfica no momento da vitória se o nosso palmarés internacional é incomparavelmente superior e se, em numero global de títulos, a partir de Domingo estamos à frente se ganharmos a Final da Taça?
    Não é que os adeptos do Benfica não façam a mesma coisa, mas com os males dos outros posso eu bem. E como eu gostava que fossemos os maiores não só no número de títulos conquistados.

    • Ricardo says:

      A sério? Fale com o seu presidente, o maior incendiário do futebol português…


  8. DA CABEÇA DE FALCÃO AOS PÉS DE HELTON, O PORTO É JUSTO VENCEDOR

    O F.C.Porto conquistou o sétimo troféu internacional (entre 9 finais disputadas) e confirma que é o clube português mais vitorioso fora de portas. No entanto, este foi o jogo mais pobre de todos os anteriores sucessos. Seja como for, e sabendo que as finais são para ganhar, o objectivo principal foi alcançado. Justo vencedor numa partida pouco excitante.

    Na 1ª parte esperava-se um Porto mais em cima do Braga. Não aconteceu de forma clarividente, tendo sido uma superioridade a espaços. Moutinho estava bem vigiado pela equipa de Domingos, Varela era dos menos inspirados no ataque, e só mesmo o génio de Falcão para uma ida confortável para o intervalo. Um golo limpo, um golo a lembrar os muitos do Barcelona da era Guardiola, isto é, mesmo no limite do fora-de-jogo. Mérito para Guarin pela assistência, falha de Rodriguez na perda de bola.
    No capítulo disciplinar, Sílvio devia ter ido sido expulso (pela entrada a Hulk) e há uma falta por marcar na entrada da grande-área de Moutinho sobre Hugo Viana. Curiosamente, o último esteve bastante quizilento em”briguinhas” com outros jogadores e com o árbitro espanhol.

    HÉLTON NÃO É ROBERTO, MOISSORÓ NÃO É FALCÃO
    A 2ª parte começou com o segundo momento mais importante do jogo. Moissoró falha uma soberba oportunidade que podia ter dado um safanão num jogo pouco atractivo (excepção para o golo de Falcão).
    O problema é que estava lá Helton que não é Roberto -principalmente pela experiência acumulada no mesmo clube-, e Moissoró não é o ponta-de-lança colombiano. A defesa do guardião marca o jogo e uma época de ouro do brasileiro, que em momentos fulcrais da época salvou a equipa portista de fortes dissabores.

    A partir daí o Porto abanou um pouco, mas nunca perdeu o controlo da partida. O ritmo na
    última meia-hora acelerou e a qualidade futebolística atingiu pouco mais da mediania. Viu-se sempre um Braga a jogar contra o tempo e os azuis pouco esclarecidos na frente de ataque, tendo sido o seu jogo mais fraco na Liga Europa – juntamente com o de Sevilha no Dragão. Villas Boas ainda tentou com a entrada de Bellushi e James ser mais afoito na concretização. Só deu mesmo para equilibrar o xadrez a meio-campo.
    Domingos quis mudar as coisas a seu favor com as substituições. Podia ter arriscado mais e jogado com Lima e Meyong ao mesmo tempo. Em termos disciplinares, Sapunaru devia ter ido para a rua pela infracção a Sílvio. Mas, como este já não devia estar dentro das quatro linhas…

    VILLAS BOAS VS GUARDIOLA?
    No final das contas, o F.C.Porto merece o troféu e o Sporting de Braga é um honrado derrotado. André Villas-Boas é o homem do momento e, apesar de muitos interessados, é bem possível que continue no Dragão no próximo ano desportivo. Ele, mais que ninguém, sabe que a sua equipa joga “à Champions” e, em Agosto, há Supertaça Europeia frente ao Barcelona ou Manchester. André Villas Boas vs Guardiola em Mónaco? Definitivamente, o mais apetecível.

    juaryreis@gmail.com

  9. Rodrigo Costa says:

    … Há que moderar a euforia!

    Este F C do Porto, o que jogou, ontem, contra o Braga, não terá a mínima hipótese com o Barcelona. Este F C do Porto é, pura e simplesmente, cilindrado, a não ser que saia na rifa o que defrontou o Real Madrid: já cansado, espremido pela época.

    Se sair o Manchester, à partida, é menos complicado… Mas depois do Rolando ter ido para a Juventus, e ter entrado algum central de grande personalidade, porque o Otamendi, sendo bom, não é, propriamente, um “senhor” da área. Esta é, para mim, a grande lacuna.