Lixo? é o mercado, estúpidos!

A nossa dívida chegou a lixo. Custou mas foi.

Ora aqui está um belo dia para recordar aos eufóricos absolutistas do neo-liberalismo que tudo começou com os mercados, a liberdade dos mercados, a sacrossanta ditadura dos mercados.

Este artigo da wikipédia, incompleto e fraquinho, serve perfeitamente.

Não, não foi o “socialismo” (palavra que associada ao PS vale tanto como ligar PSD a social-democracia), nem o estado gastador, nem o raio que vos parta. Foi a especulação financeira, a ganância, a ditadura dos mercados sem qualquer controlo por parte dos governos que deveriam representar os povos.

Foram a Moody´s e restantes agências pagas por nós a preço de ouro, que não quiseram chamar lixo ao lixo, e agora inventam lixo onde nem o há com a única e obsessiva ideia de aumentar taxas de juro, logo os lucros do sistema financeiro, em particular dos bancos que tentam recuperar dos seus disparates de 2008-2009.

O resto é conversa, tal como o novo governo a fazer de coitadinho. Conversa de merda, que nem de treta merece o nome.

Comments

  1. Anti-comuna says:

    Foram os mercados que duplicaram a dívida pública em 6 anos?

  2. Anti-comuna says:

    Aumento da dívida pública portuguesa: 1ºsem 2010: 10kM€, 2ºsem 2010: 9kM€, primeiros 5 meses de 2011: 13kM€ (IGCP). É caso para dizer: É a dívida, estúpidos!


  3. Epá isto de viver no lixo é chato, a agência “Moody’s corta rating de Portugal para “lixo”, lixo caramba isto se fosse dito por um qualquer português “este país é um lixo. ” era antipatriótico se fosse um qualquer estrangeiro era uma grande polémica mas como é uma agência de rating é um realismo preocupante, isto mostra como funciona a linguagem económica e como esta não é afinal nada complicada ou complexa “os porcos estão no lixo.” é o inicio de um qualquer conto ou historia ? não são termos económicos isto só vem desmitificar aquela ideia de que a economia é difícil de compreender, não, os porcos estão no lixo, é fácil.

    Agora confirma-se realmente todos aqueles especialistas e comentadores que disseram que Passos Coelho tinha feito um brilharete quando foi ter com os outros primeiros-ministros e até tomou a genial estratégia de cortar os subsídios de natal tudo para segundo os mesmos especialistas se diferenciar da Grécia afinal foi tudo genial mas as agências de rating não concordam “Está bem os vossos especialistas têm todos razão mas vocês são lixo na mesma.”

    E descemos no raking pois aumentou a probabilidade de pedir-mos uma segunda ajuda, de lembrar que á pouco mais de três meses “nem precisávamos” de pedir o primeiro, agora já se fala no segundo ( talvez tenha sido o vento de mudança que soprava com força demais e nós empurrou para baixo) a Grécia já pediu, nós passado um mês já estamos a falar nisso, um mês, neste momento a nossa imagem é a de um zé Povinho muito magro e cansado de jornal velho na mão e a esfregar o braço incessantemente e a dizer ” Vá lá arranja-me mais eu juro que desta vez não gasto tudo, foi só uma recaída eu vou tentar deixar, eu juro, vá lá eu sei que tens mais já ajudas-te o grego.”

    http://senta-te-e-le.blogspot.com/


  4. Ide vender a treta da dívida pública para as Moody’s deste mundo sff. É a dívida privada, estúpidos. A dívida provocada em grande parte pelo crédito fácil, pelas empresas que sobreviviam apenas de empréstimos bancários. BPN, BPP, lembram-se?


  5. Sendo crescente a tendência para considerar inevitável a renegociação da dívida portuguesa, é bastante previsível (e sensato) que se corte o rating de Portugal.

    • Nightwish says:

      Tal já disse o The Economist, tal como o facto de que assim só vamos destruir a Europa. Mas a segunda parte não preocupa ninguém, é preciso é benefeciar quem empresta dinheiro a qualquer risco.


  6. Teoria da conspiração: os accionistas da SP, Moodys, etc.. querem recuperar os milhoes eclipsados no L Brothers e no fumo da bolha imobiliária nos US.