Anders Behring Breivik não é um terrorista, é um cristão

Anders Behring Breivik não é muçulmano, não é de esquerda, mas assassinou 91 compatriotas. Temos agora um complexo problema de linguagem atormentando as redacções.

No Público uma alma benzeu-se e conseguiu utilizar a palavra:

Este é o mais grave atentado terrorista na Europa desde que 52 pessoas perderam a vida em Londres em 2005, num ataque levado a cabo por terroristas islâmicos.

Bom esforço: escreve-se terrorista, mas enfia-se islâmico no mesmo parágrafo. No Expresso procuro, e não encontro: atentado, vá lá. Nas primeiras horas ainda se vendeu o peixe do “grupo islâmico”. Ninguém comprou.

Anders Behring Breivik é um filhodaputa de um cristão fundamentalista, com a mania das armas e politicamente de direita. Mas os terroristas só podem existir no outro lado da guerra santa.

Para quem vê o mundo a preto e branco é assim. O perigo vem sempre de Meca, agora que já não vem de Moscovo. São sempre os outros. 91 humanos foram vítimas de “um atentado”.  Nos próximo dias vão convencer-nos  que foi cometido por um “tresloucado”, o que não deixa de ser verdade mas também se aplica aos outros.

Aquilo que está entre o preto o o branco não existe, existe a comunicação social que o apaga, apagando-nos a massa cinzenta.

Cresci a ouvir todos os dias a palavra terrorista associada sempre aos movimentos de libertação. O nosso exército era santo, Wiriamu nunca existiu. Estou habituado.

Comments


  1. As palavras “crsitão” e “fundamentalista” não podem qualificar a mesma pessoa. Não há qualquer fundamento doutrinário no cristianismo que incite, ou apenas justifique, uma tal acção. Muito pelo contrário.

    Além disso, de acordo com a Wikipedia, “ele é membro da Loja Maçônica St. Olaus T.D Tre Søiler, em que ele adquiriu o terceiro grau”, o que resulta noutra brutal contradição com a alegada condição de cristão.

    O homem é um louco de extrema direita e ponto flnal.


    • Quantos fundamentos doutrinários no cristianismo que incitam ao ódio quer? comece por ler o Antigo Testamento. É muito antigo? Vá ler o que escrevem os grupos “pró-vida”, no EUA e mesmo na Europa. A prática de assassinar médicos nos EUA é relativamente frequente.
      Quanto à Loja Maçónica já irrita a mentira de que toda a maçonaria é ateísta, ou algo que o valha. A maçonaria implica a crença num ente supremo, embora por mero interesse alguns agnósticos lá metam os pés. A maçonaria nunca foi uma organização anti-cristã, mas muito simplesmente uma máfia que por vezes foge ao controle das igrejas. E Lojas Maçónicas há muitas, tal como chapéus. Há por exemplo a loja P2 cujas aventuras com o Banco Ambrosiano e o Vaticano são por demais conhecidas.
      Já agora, quanto ao terrorista em causa, note-se que as informações apontam-no como fundamentalista cristão, e não católico. É que a religião oficial da Noruega é luterana… Convém é não esquecer que correntes islâmicas também há muitas.


    • Caro xará Ze De Portugal. Que tal Cruzadas e Inquisição para não precisarmos procurar por outros momentos em que o cristianismo baseou-se na tortura, matança e roubo dos que eram diferentes dele, inclusive dos cristãos ortodoxos do Oriente Médio e Turquia.

      Ao autor do Blog. Amigo, vc tem toda a razão. Vamos suar até encontrar “terrorista cristão” na mídia ocidental. Não sei como foi em Portugal, mas no Brasil, a Guerra dos Balcãns foi travada entre Servios e Muçulmanos… Jamais ente “cristãos servios e muçulmanos bósnios”.

      Abs.


    • Em verdade, o termo “fundamentalismo” surge para designar os cristãos do sul dos EEUU… http://pt.wikipedia.org/wiki/Fundamentalismo


    • Auhaua, maçonaria não é uma religião! é uma confraria, grupo, sociedade que uma de suas regras é ser acreditar em Deus, qual deus não importa, eles não descutem isso!

      A Maçonaria tem Judeus, Cristãos, Mulçumanos, Indús e muitos outros, e lá todos de qualquer religião são bem vindos, os unicos que não podem entrar na maçonaria são Ateus, por não crer em um ou mais Deuses!

      Ou seja. ser maçom não faz o cara deixar de ser católico.

      Alias A Maçonaria é uma das grandes responsáveis pela liberdade religiosa no mundo atual, ( por exemplo, quase todos os fundadores do Estados Unidos eram Maçons )

      voltando ao assunto, A bíblia esta recheada de regras absurdas, que a Sociedade Abomina, e que os cristõas, judeus e outros tem que ignorar completamente para viver na sociedade moderna, ou vc acredita que tem que matar um filho pro desobedecer o pai? ou apredejar até a morte uma pessa que comenteu adultério? ou matar uma pessoa que trabalha no fim de semana? e as dicas de que vc deve matar todos os homens mulheres e crianças das cidades conquistadas, mas podem ficar com as virgens para si? Escravagismo? tudo isso a bíblia prega, mais os cristãos tem que fingir que não existe para não ter peso na consciência, ai quando aparece, um verdadeiro cristão que segue a risca suas escrituras derrepente vira um maluco… hummm

      a Biblia ta cheia de regras que os cristãos ignoram sem o menor pudor, por que sabem que desde que você acredite em Jesus, será perdoado, por que você acha que esse cara não esta nem um pouco preocupado com as consequências?


  2. Tem razão quanto aos conselhos. Portanto não lhe vou dizer o que penso sobre as teorias da conspiração que linkou…


  3. É engraçado vir para aqui um zedeportugal de extrema-direita vir assacar à Maçonaria a responsabilidade por este acto…se calhar até foi este que escreveu na Wikipédia essa informação…sou membro desta e a sua mentira de meia tigela já foi apagada até porque não é fundamentada em nada…tente de novo fazer essa sua graçola seu cretino e eu bloqueio o sei IP de pôr essas falsidades…e pode escrever o que quiser por aqui não falo com cretinos…


    • Sandro, aqui quem bloqueia IP’s sou eu, e mais depressa o faço a quem insulta do que de quem discordo.
      Mas também gostava de entender essa da maçonaria, que circula com imagem (tudo leva a crer que photoshopada) e tudo pela net. Cheira-me a contra-informação dos que hoje andam aflitos por ficar provado que terroristas os há em todas as religiões, e em todas as áreas políticas. As virgens ofendidas têm um hímen complacente e quando o sentem rompido dá-lhes uma dor que desafinam.


    • Sabe o que é ainda mais engraçado? É vir para aqui um Sandro Pires que não conhece o zedeportugal de lado nenhum e afirmar que ele é de extrema direita. Mas, ainda mais engraçado, é acusar o mesmo zedeportugal de ter feito uma entrada na Wikipedia… que estava escrita obviamente por um brasileiro. Isso sim, é uma enorme cretinice.
      Quanto aos insultos e às ameaças que faz, pode ficar sabendo que o zedeportugal não reage a ameaças verbais. Mas, ameaçar um tipo que não se conhece também não é propriamente uma demonstração de inteligência… Cuide-se.

  4. Carlos Oliveira says:

    Toda a crença tem fundamentos, de outra forma não o seria. Mas é a forma como lidamos com ela e a tentamos impôr aos outros que marca a diferença entre “fundamentalismo” e “radicalismo”.
    Um cristão verdadeiramente fundamentalista assenta a sua crença e prática nos fundamentos ensinados pelo Mestre, ou seja: o amor, o respeito pelo próximo, a tolerância, a filantropia, a prática do bem, enfim: tudo aquilo que o monstro norueguês ignorou e repudiou. O rabi Jesus chegou ao ponto de ensinar os Seus seguidores a “darem a outra face” e a “orarem pelos seus inimigos”. Tudo aquilo que Ele ensinou e praticou são os fundamentos de uma crença onde a fé e a vivência de milhões de cristãos assenta e de onde as suas vivências diárias são alimentadas.
    Anders Behring Breivik é o paranóico que a sangue frio revela a sua verdadeira identidade e sentido de vida: a intolerância, o desrespeito, o radicalismo. Em nome de um “direito” que a nenhum ser humano deve pertencer. Ou seja:não permitir a opção do próximo. Não aceitar que ele possa sequer existir. Esse foi o problema de Hitler, de Estaline, de Osama Bin Laden e de tantos outros monstros da História.
    Esse monstro europeu nada tem de cristão, como nada têm de verdadeiros muçulmanos aqueles que se fazem explodir acompanhados de dezenas ou centenas de vítimas inocentes.
    Será por isso precipitado rotular as pessoas de forma tão linear e redutora, em prejuízo de tantos milhões de seguidores e promotores do bem e da paz e que são verdadeiramente “fundamentalistas” na essência e no benefício das acções que promovem, na perseguição e prossecução do bem e da harmonia que defendem entre os seres humanos, ao contrário dos “radicais”, sejam eles de que origem for que são incapazes de entender o direito ao próximo de ser diferente, não só naquilo que ele não pode mudar – como a cor da pele, a raça ou a ancestralidade – mas em especial naquilo que ele julga ser o mais acertado modelo de vida e conduta na sociedade deste tão fragilizado e adoecido planeta.
    Shalom para todos!


  5. CRISTIANISMO, implica dizer seguir os mandamentos de (Jesus) Cristo.
    Quando Jesus fala dos Dois (2) maiores mandamentos que devemos observar, diz:

    “O segundo é este: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Não existe mandamento maior do que estes”.
    “Muito bem, mestre”, disse o homem. “Estás certo ao dizeres que Deus é único e que não existe outro além dele.
    Amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de todas as forças, e amar ao próximo como a si mesmo é mais importante do que todos os sacrifícios e ofertas”.
    (Evangelho de Marcos 12:31-33)

    – NÃO EXISTE NENHUMA CITAÇÃO NOS EVANGELHOS E DEMAIS LIVROS NOVO TESTAMENTO QUE ORIENTE PARA QUALQUER PRÁTICA DE VIOLÊNCIA, OU SEQUER PARA REVIDAR AGRESSÕES..
    – POR ISSO, TODA E QUALQUER ATO VIOLENTO COMETIDO NO PASSADO (cruzadas, inquisição) NÃO FORAM REALIZADOS EM ACORDO COM O CRISTIANISMO (ENSINAMENTOS DE JESUS) MAS, SIM, SEGUNDO ENTENDIMENTO (TOTALMENTE ERRADO) DE NÃO-CRISTÃOS (APENAS RELIGIOSOS).
    – ESSE TERRORISTA É ALGUÉM QUE NÃO CONHECE DEUS, NÃO SABE O PROPÓSITO DA VIDA DELE (de onde veio, porque está aqui e para onde vai). SE CONHECESSE OS ENSINAMENTOS DE JESUS, SABERIA PARA “ONDE VAI” TODO AQUELE QUE NÃO OBEDECE AOS ENSINAMENTOS DE DEUS.
    – UM TERRORISTA (que pratica atos terríveis como estes) OU EU, E VOCÊ QUE ESTA LENDO ESTE COMENTÁRIO, SE NÃO SE ARREPENDER DOS NOSSOS (“pequenos?”) PECADOS, CERTAMENTE TEREMOS O DESTINO TERRÍVEL DE ESTAR POR TODA A ETERNIDADE NO INFERNO (sem segunda chance).
    – QUE OS FAMILIARES CONSIGAM EM JESUS CRISTO FORÇAS PARA PASSAREM ESTE MOMENTO DE DOR TÃO GRANDE.
    – DEUS OS ABENÇOE.


  6. …para mim basta isto,@João José Cardoso; «Para quem vê o mundo a preto e branco é assim. O perigo vem sempre de Meca, agora que já não vem de Moscovo. São sempre os outros. 91 humanos foram vítimas de “um atentado”. Nos próximo dias vão convencer-nos que foi cometido por um “tresloucado”, o que não deixa de ser verdade mas também se aplica aos outros.»

  7. Alberto says:

    Caro Sr. J. J. Cardoso, quero ser sucinto: o senhor certamente é um completo imbecil. Saiba que um pouco de estudo não lhe fará mal, apenas o impedirá de escrever tantas asneiras em tão curto espaço. Acredito em sua melhora, caso haja esforço de sua parte.
    Um abraço

    Alberto de Oliveira Filho

  8. Rodrigo Costa says:

    A vida não está fácil!…

    De tanto amor pregado, fico sem saber de onde é oriundo tanto ódio; não consigo saber quais os deuses que, mesmo que não aconselhem, permitem aos seu seguidores —a alguns, naturalmente— ser tão hipócritas e ou tão violentos. De facto, os deuses não têm culpa —talvez até nem existam—, porque não é possível estancar as consequências de tanta doença.

    Sinceramente, pensei que a ameaça do Inferno já teria desaparecido; pensei, inclusive, que Deus nem fosse ditador ou, como Autor, tivesse construido os seus inventos já preparados para a obediência; sem espaço para o raciocínio, sem hipótese de pensar se é melhor assim ou assado, apesar de a tal, chamarem “livre arbítrio” —o mundo está como está por causa dos religiosos; porque, falsos ou verdadeiros, afectos a uma ou a outra religião, estão em esmagadora maioria.

    Há uns anos atrás, durantem um colóquio sobre o Prof. Agostinho da Silva, um prof., ligado à Universidde Católica, na sua exposição, dizia que a Humanidade era integrada por 5% de ateus, e referia-se ao caos por eles provocado. Finda a sua intervenção, perguntei-lhe se, em função do volume de desmandos, 5% poderia te feito tanto. Claro que não, porque há muito bandido religioso —não me interessa se cristão se muçulmano se outra coisa qualquer; aliás, a multiplicidade de religiões só ajuda a provar a falta de certezas, porque, se as houvesse, a religião era uma só, e não é.

    Um indivíduo que se comporta como este se comportou, nem é religioso nem é ateu, é doente, tem uma ou várias deformações. O apecto religioso não é preponderante: a religião não tem culpa, a política não tem culpa, porque uma e outra área tem, por suporte e corpo, pessoas. Então, há que discutir a natureza humana e todas as possibilidades patrocinadas pelo Instinto, a única divindade que, realmente, conheço.

  9. Rodrigo Costa says:

    Sobre a Bíblia, eu costumo dizer qué a sinopse de um filme que não pode ser realizado.

    Nota: esquci-me, no comentário anterior, de dizerque não sou ateu, e que o meu Deus é o Senso. Portanto… acredito.

  10. Do Pará says:

    Acho que deveria serem lidos todos os texto aqui postados ANTES de divulga-los. Pois bem, esse espaço é para comentar o fato em questão e não troca de mostras de intelectualidade e poder. Ora deem suas opiniões e respeitem as das outras pessoas. Afinal democracia é isso. Respeitar a opinião dos outros não é compartilhar dela. Sugiro a troca de ”elogios” numa sala de bate-papo, ou site de relacionamenteo ou coisa do gênero.

  11. Ricardinho says:

    Para ajudar o esclarecimento: confirmo que a maçonaria não é anti-cristã e que há grupos maçónicos que se consideram cristãos.
    Confirmo também que, igual ao islamismo, o cristianismo é uma ideologia de morte, apesar das tintas com que o disfarçam.Tal está inerente ao conceito de ‘filho de deus’, que foi importado dos heróis guerreiros gregos.
    O cristianismo foi imposto pela força aos povos medievais e a sua violência notou-se nas cruzadas e na inquisição, no nazismo, na ascese e nos martírios, na repressão sexual.
    É continuado nos nossos dias pelo fundamentalismo cristão, que não é uma coisa à parte mas radica na essência da doutrina. Tudo parte da negação deste mundo para viver no ‘céu’.
    Lucas 17:33 Quem perder sua vida salvá-la-á. Filipenses 1:21-23 Morrer é ganho. Desejo partir para estar com Cristo.
    O Deus do Antigo Testamento é justo, mas Jesus é cruel, como os textos apesar de embelezados ainda mostram:
    Lucas 19:27 Os que não quiseram que eu reinasse sobre eles trazei-os e matai-os diante de mim.Mateus 13:42 Serão lançados na fornalha de fogo onde há pranto e ranger de dentes. Lucas 12:47-53;22:36 Mateus 10.21Não vim trazer a paz mas a espada. O servo que não se aprontou será castigado com muitos açoites. Os filhos matarão os pais.
    No anti-semitismo:
    Mateus 23:35 Para que sobre vós caia todo o sangue justo que foi derramado sobre a terra.1 Tess 2:15,16 A ira de Deus caiu sobre os judeus até ao fim.
    A atracção da morte é patente na psicologia de Jesus:João 10:11-21;12:23-33 Ninguém me tira a vida, sou eu de mim mesmo que a dou. Quem odeia sua vida neste mundo guardá-la-á para a vida eterna.

    Por criticar o cristianismo o ‘beatle’ John Lennon foi barbaramente assassinado. No século passado vários grupos cristãos se suicidaram para ‘estarem com Cristo’. Cristo é ideologia de obscurantismo e dominação. Só quem não conhece os fundamentalistas cristãos e suas posições é que terá ficado surpreso com a origem deste incidente.

    Pelos seus frutos os conhecereis. Mateus 7:16

  12. Jota says:

    A expressão “Terrorista Islâmico” surgiu naturalmente porque associado ao terrorismo vinha junto a crença religiosa. A expressão “Terrorista Cristão” não têm a mesma génese tal é a raridade destes eventos…


    • Na Europa são raros. Nos EUA são frequentes, sobretudo os ataques a clínicas onde se praticam abortos.

      • Jota says:

        Por frequentes sabe dizer quantos? E comparados com os realizados pela outra religião, serão ainda frequentes?


      • O caso de Pai e filho espancado por serem confundido com gays, eu chamaria de terrorismo causado pela crença religiosa (deixo pra vcs advininharem qual)…

        se não é terrorismo botar medo em um Pai de abraçar seu filho, não sei o que é.

  13. Carlos Teixeira says:

    Que cambada, nem sequer li tudo, experimentem casar com uma muçulmana e depois digam que os muçulmanos são bonzinhos, até o pai dela a renega, senão a matar até, e porquê?
    Em nome da religião.
    Porque os filhos dela serão cristãos!
    Que direitos as mulheres muçulmanas têm?
    Já pensaram nisso?
    São tudo uma cambada de ignorantes, toda a raça humana gosta de poder, e quando o tem, abusa sempre, e é sempre por ideais…não se esqueçam que também são humanos, tal como os que matam e morrem.
    Sou uma pessoa que me considero tolerante, porque acham que a França meteu a lei da burka?
    Já eram mais as tapadas que as descobertas, assim sempre ajudam a que se vão embora, ou acham que não?
    Se não se sentirem bem num país, por serem perseguidos, acham que ficam lá muito tempo?
    Se ficarem, que acham que acontecerá?
    Colonização, é incrível, mas façam as contas, nós os avançados socialmente, temos interesses, que passam pelo bem estar, eles “os atrasados”(não estou a chamar atrasado a ninguém, apenas advêm em oposição ao avançado) apenas querem continuar o nome, não se importando que passem fome, apenas tem de haver homens para continuar o nome do pai, e assim sucede que são incitados a procurar mulheres fora da sua raça, pois os seus filhos serão muçulmanos, se é verdade?
    Então acham que é mentira? Porque acontece que as mulheres ocidentais que se divorciam de um muçulmano ficam sem os filhos? Porque ao contrário de nós, os filhos pertencem ao pai e não à mãe, por isso o inicial, as mulheres só servem para produzir filhos, muçulmanos, porque se forem cristão, mais vale não viverem.
    Pensem nisso, informem-se, e vejam se não haverá alguma razão nisto, e depois levem ao extremo e vão viver para a Arábia Saudita e tentem apanhar um pifo, ou ir às meninas, e depois venham contar aqui a história.
    Passem bem, e amem-se uns aos outros, mas não se façam de parvos, nem queiram fazer os outros de parvos.


    • Lá vem outro que mete todos os muçulmanos no mesmo saco, não querendo saber do facto de existirem várias correntes islâmicas, umas fundamentalistas, outras não.
      Esperemos que seja só ignorância. É que o Anders Behring Breivik pensa o mesmo, e passou à prática.

      • Carlos Teixeira says:

        Gostava de saber o que pensas, na realidade, porque quem pôs todos os cristãos no mesmo saco, acho que foste tu.
        Eu falo no geral sobre o que os muçulmanos aplicam, quer sejam bons ou não, tu de uma particularidade estás a generalizar.
        Ou será que és daqueles que não são uma coisa nem são outra, apenas são anti-(qualquer-coisa)?
        É que se tens um blogue, também podes ouvir, senão, de que serve?


        • Onde é que eu meti todos os cristãos no mesmo saco? Embora na altura mal informado até referi o facto de a Noruega ser luterana (embora mais tarde se tenha vindo a saber que o fdp ao que parece a queria católica)?
          Meto todos os fundamentalistas, de todas as religiões, e também os ateus que os há, no mesmo saco, isso sim. Não meto todos os devotos de uma religião no saco do fundamentalismo, nem faltava mais nada.
          Se calhar convém leres os comentários dos outros posts, já que a conversa se espalhou um bocado.

          • Carlos Teixeira says:

            Repara no título, quem o lê, que vê, pois, foi sem querer.
            Mas eu acho que não disse mentira nenhuma, se disse, esclarece-me, gosto de ser esclarecido.


          • O título reporta-se directamente às primeiras reacções da comunicação social. E claro que é irónico, tanto mais que além de cristão Anders Behring Breivik é um terrorista, suponho que quanto a isso ninguém terá dúvidas…

  14. Klhodo says:

    Com uma arma na mão ou uma bomba num carro, será mais fácil expressar o que sinto do que estas estúpidas citações que aqui encontrei… não temos mais tempo para discussões políticas e religiosas sem nexo – é tempo de agir, sem palavras!!

  15. maria says:

    Então esse tipo (Anders Behring Breivik) não sabe o que é ser cristão, nem ele, nem os que eram da ordem dos templários (contexto histórico em que ele se baseou para justificar o galicismo), são monstros que não passam de fundamentalistas ignorantes e de sociopatas, que confundiram tudo e adulteraram a religião para proveito próprio.

  16. susana says:

    Caro Cardoso: o seu segundo paragrafo é de tontos perdidos !!! Esquece-se que morreram 200 em Madrid a 11 de Março 2004?? Assim que seja um “jornalisto” serio e corrija o que escreveu. Bye


    • Susana, você contabiliza mortos, eu comento o horror no seu estado puro. E releia o parágrafo, pode ser que o entenda.

      • susana says:

        ok ok…. é bem verdade sim, mas tambem falando de terror, sem duvida que madrid foi bem pior, ou venha perguntar a quem la esteve… enfim…… so é pena q este tipo tenha de matar aos seus, pq se ele diz q é contra o islamismo, q va matar a mouros, no afeganistao, paquistao, etc… ou bem marrocos q muitos sairam de ai para atentar na europa….

  17. Fernando says:

    Deus matou mais de 6 mil pessoas segunda a bíblia
    Deus manda pro inferno, desu castiga se não amá-lo sobre todas as coisas.
    Um deus egocentrico, egpoísta e inseguro. É o que a grande maioria de cristãos é, pensando em seu próprio bem para fazer o bem ao próximo.
    Quer motivo maior pra considerar o cristianismo e qualquer outra religião que pregue o radicalismo um mal pra sociedade?

  18. Quimzinho de Fiore says:

    Ó J.J. parece-me que a tua chamada de atenção para o que chamaste, e bem, um “complexo problema de linguagem”, que nos deve fazer parar e reflectir acaba uma vez mais por dar azo a ataques primários, mais clubistas do que religiosos. E nem me pareceu que algum islamico por aqui se tenha manifestado o quer quer dizer que é treta dentro de casa. É claro e só não vê quem não quer, ou é ignorante e toca de ouvido, que a base de qualquer uma das religiões do Livro é o amor e respeito pelo próximo. Não se trata de meter tudo no mesmo saco e como bem dizes, bem antes pelo contrário. Separemos pois o Trigo do Joio. Lamentavelmente, numa era que se pretende ecuménica, continua a assistir-se por cá a bizarrias medievas como o culto a Santiago Mata-Mouros e a procissões em que as crianças continuam a desfilar com tunicas brancas e cruzes vermelhas em alusão à mais malfadada hipócrita e cretina das cruzadas!…no entanto achamo-nos mais evoluidos que o Islão. Na realidade nunca o fomos e sabemos disso o que nos deixa ainda mais irrascíveis! Resta-me desejar que não cedas às tentações do Maal`Hámen! Um abração amigo!

  19. Di'ferreira says:

    Caro Cardoso, conseguiu aqui criar um infinito de opiniões,(pelo bom sentido) qual delas a mais correcta? nunca vai deixar de haver pessoas que façam ou tentem fazer, o mesmo que A.Breivik, seja cristão ou nao, defendendo a sua religião ou nao, é tudo um misto de coisas que só quem o faz é que sabe o seu real significado (penso eu!) nao querendo ser espertinha, admito que nao conheço metade do que se falou por aqui, mas talvez este pudesse ser “local” para discutir sem ofender, aprender algo com os outro nunca fez mal a ninguem. Boa continuação 🙂

  20. Rodrigo Costa says:

    Continuo a dizer que o que está em causa é a natureza humana, a que acrescento, agora —por pensar que não era necessário—, a educação e os contextos.

    Como calcularão, a viola, por exemplo, foi concebida para que alguém se pudesse expressar por música, mas também se conhece casos em que a mesma serviu para ser enfiada por uma ou outra cabeça abaixo. Há, muitas vezes, uma distância enorme entre a intenção e o uso; e continuo a defender a educação como a melhor arma para combater os fantasmas, para nos permitir ler as incoerências e nos dar a nossa própria voz —há, em cada um de nós, um “catecismo”, um manual de comportamentos que é preciso ser observado.

    • Artur says:

      Caro Rodrigo Costa, mais uma vez partilho das suas opiniões. Enquanto todos os restantes comentadores baseiam os seus argumentos apenas nas ideologias ou nas crenças como causas do que sucedeu, o Rodrigo vai mais longe e toca na mãe de todas as causas: a natureza humana. Sendo esta tão permeável a tantas influências externas, é óbvio que a educação é essencial para que os “maus” comportamentos se tornem progressivamente mais raros.
      Eu diria ainda que as elites têm também o dever de não permitir (através da Lei e da ética) que as “más influências” se propaguem. O incitamento ao racismo, à xenofobia, à violência, ao crime e ao ódio, deve ser permanentemente perseguido. A liberdade de expressão deve ser condicionada quando o ódio e a intolerância sejam as mensagens. A fanáticos e a doentes mentais como é o caso deste individuo não deve ser dado qualquer tempo de antena. A difusão do manifesto não deveria ser permitida.
      A natureza humana, pelas suas fraquezas inatas, deve na medida do possível estar resguardada de influências desta indole. Nem todos têm o discernimento ou educação suficiente que os torne imunes a tanta contaminação cultural que exacerba nefastamente os nossos instintos e os nossos recalcamentos.
      Ainda temos um looooongo caminho pela frente; como tal não fico surpreendido quando acontece qualquer acto em que um ser humano faz mal a outros seres humanos. De facto até fico surpreendido, perante tanta estupidez que nos rodeia, que este tipo de acções não ocorram com maior frequência ou intensidade.

  21. ZeDoBrasil says:

    No início de nossa discussão havia um tópico de um dos amigos que dizia que os cristãos não podiam ser terroristas. Em nossa pressa de comentar o fato atual esquecemos do real terrorismo cristão institucionalizado no século XX por parte do IRA na Irlanda e do Batasuna na Esapanha Basca. Não lhes falta carros bomba, bombas colocadas, emboscadas e assassinatos, por décadas a fio. Também esquecemos de Timoty McVeigh (sobrenome mais irlandês impossível) junto com dois comaprasas, e seu caminhão bomba devastador contra um prédio do governo em Oklahoma, em abril de 1995 que assassinou 168 pessoas e deixou mais de 680 feridos.

  22. luis fernando says:

    Por que um fundamentalista cristão, pintado como islamofóbico (já que o islã hoje é a religião da moda – têm auréola e tudo) não atacou os muçulmanos?

    Por que em seu manifesto não há uma citação de Jesus Cristo?

    Para mim, esse cara é quase tão cristão quanto o João José Cardoso.

    Aproveitando a novilingua hodierna: aos “eclesiofóbicos” de plantão, faço apenas uma proposta.

    Corram a lista do “ranking” dos países com maior índice de IDH da ONU e me digam qual a colocação do primeiro país que não tenha tradição e/ou origem e/ou população majoritariamente cristã.

    Me diagam quais os países muçulmanos (ou mesmo de outra cultura que não seja de origem cristã) onde há sauna gay, balada gay, parada do orgulho gay, gay no parlamento e em todas as camadas sociais.

    Em qual país muçulmano uma mulher pode chegar à presidência? Ou ao parlamento? Ou à máxima cadeira do Poder Judiciário?


  23. Muito sensato o comentário (#2) do Rodrigo Costa.
    O autor do artigo quando afirma que cresceu “a ouvir todos os dias a palavra terrorista associada sempre aos movimentos de libertação” (ou seja, de “esquerda”…), demonstra que na juventude terá estado algo desatento. Por exemplo, será que não ouviu falar em “MDLP”? Citei este por ser “nosso”. Seria um insulto à cultura geral dos “Aventeiros” referir outros… Há muitos mais… “Terrorismos”, infelizmente existem para todos os gostos: de esquerda, de direita, do meio, e até dos lados!…
    E aqui voltamos à questão do “preto e branco”. Insinuar que os media branqueiam os terrorismos de determinada cor parece-me pouco rigoroso. É claro que cada um está exposto às fontes que selecciona…

Trackbacks


  1. […] Esta manhã ainda não tinha visto a manchete do I. É uma obra-prima do terrorismo jornalístico nacional: […]


  2. […] deus existe e deu-nos o livre arbítrio como lei. que bom. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.