Sacudindo a água do capote

Como não dá jeito nenhum constatar o óbvio, que Alberto João Jardim é de direita, continuador do regime de antes do 25 de Abril que nunca chegou à Madeira, a direita continua a despejar megabytes tentando associar o construtor de estradas que servem duas ou três casas ao pobre Keynes, que tem as costas largas.

Não dou lições de economia a ninguém, mas de História Económica (e Social, componente sem a qual a primeira não faz sentido) ainda sei umas coisas. O suficiente para perguntar se, seguindo a mesma lógica, Salazar e sobretudo Duarte Pacheco, Cavaco Silva e as suas auto-estradas, também são keynesianos. E já agora manifestar a minha curiosidade em saber qual o candidato a PR que apoiaram nas últimas eleições, e nas anteriores, e por aí a fora.

Estas orfandades auto-impostas dão um jeitaço. A direita só tem memória de si própria quando lhe convêm. E continua fiel à velha lei da propaganda agora modernizada: um mentira multiplicada até perfazer um gigabyte passa a verdade.

(clique na imagem para ver melhor a aristocracia madeirense. Fonte: DN, via Câmara Corporativa)