Esta lógica de impunidade arrepia-me

Os Estados Unidos deviam recorrer ao assassínio seletivo de responsáveis dos Guardas da Revolução iranianos, sugeriram hoje peritos militares norte-americanos durante uma audição no Congresso, noticiou a agência AFP.

Não posso aceitar uma decisão destas. A logica de impunidade e de policias do mundo tem estes exageros graves.

Comments


  1. Bem vindo Nuno Camilo. E bons textos.

  2. jorge fliscorno says:

    Boas aventadelas e bem vindo, Nuno.


  3. Mas ainda há quem se admire? Se os Americanos apanhassem um dos dos Guardas da Revolução iranianos ou um ayathola qualquer, mesmo que estivesse desarmado e rodeado por a familiares, o mais certo era matarem-no juntamente com a família e acabarem todos a ser atirados de um avião para o fundo do mar, como o outro.

    E contam-se pelos dedos das mãos as vozes que, publicamente, se erguem contra estes assassinos imperialistas (é que não há mesmo outro nome).

    Mas não há-de ser nada, o império está a ruir, tal como todos os impérios anteriores.
    Empurrem, que isto abana por todo lado!

  4. MAGRIÇO says:

    Há dias, ao ver um filme de ficção cientifica, não pude deixar de me lembrar da mensagem enviada, salvo erro, na Voyager, em 1977, em que o Secretário Geral da ONU convidava os eventuais destinatários a visitar o nosso planeta. Ocorreu-me, então, que deveriam ter recomendado que não começassem pelos EU para não correrem o risco de uma recepção demasiado calorosa, com todo o arsenal bélico que o tio Sam tão orgulhosamente gosta de exibir. Este é um país de contrastes e um exemplo de uma sociedade desequilibrada, em que o desenvolvimento tecnológico não foi acompanhado, na sua generalidade, pela evolução do espírito. A cultura predominante do americano médio é a das armas, da violência, do super homem, onde a lei do mais forte – resquícios do far west – é um desígnio nacional. É um povo formatado por consecutivas lavagens ao cérebro, que não ousa criticar o Estado para não correr o risco de ser considerado um mau americano. Espantoso como o Macarthismo ainda hoje condiciona uma sociedade! Em suma, a diferença entre o americano de hoje e do mongol de Gengis Khan é que este não possuía a bomba atómica nem bombardeiros telecomandados. Mas a barbárie é muito semelhante. E é um país destes que se arroga o direito de ditar leis ao resto do mundo. Claro que, nos tempos que correm, o argumento da força é mais poderoso do que a força do argumento.


  5. Bem vindo Nuno Camilo. Desejo-te as maiores felicidades neste “nosso mundo”. Esperamos boas aventadelas.
    Abraços
    José Magalhães


  6. Bem vindo ao Aventar, Nuno!

  7. Nuno Castelo-Branco says:

    Bom dia e bem vindo . Já agora, deixa-me que te diga que estão bem uns para os outros. nem quero imaginar do que são capazes esses tais Guardas da pretensa Revolução. Aliás, sei muito bem do que são capazes. Tenho uma excelente memórias e as imagens ainda estão bem presentes. Só a contabilização de assassinatos a sangue frio, é qualquer coisa de espantar. Coisas do khomeinismo…


  8. Não posso aceitar uma decisão destas. A logica de impunidade e de policias do mundo tem estes exageros graves.

    São as necessidades do Império, nada policiais.

    Bem vindo ao Aventar, Nuno!


  9. Tervetuloa, Nuno!


  10. Ora venham de lá essas postas, Camilo. Abraço.

  11. A. Pedro says:

    Olá Camilo, benvindo a esta nossa casa.