Versos anibais

Primeiro levaram o Oliveira e Costa
Mas eu não me importei,
porque não era presidente do BPN

 

Depois, apertaram com o Dias Loureiro
mas eu não me importei,
porque não era da SLN, nem tinha negócios offshore

 

Depois prenderam o Duarte Lima
mas eu não me importei,
porque nunca conheci a secretária do Tomé Feteira…
nem cometi (há o caso das acções e da Coelha… mas que diabo…) fraudes no BPN

 

Agora, estão a subir a escada…
estão a bater-me à porta…

 

E quando percebi
Já era tarde!

Da autoria do Samuel, que bem os podia cantar, embora não seja fadista.

Comments


  1. Não resisti à tentação de contribuir com estes versos “circenses”! 🙂

    Grande Circo AR

    É o circo meus senhores
    É o circo! Venham ver!
    Tem monstros, feios e disformes,
    Contorcionistas capazes de surpreender!

    Tem famosos ilusionistas,
    Únicos na arte da ilusão e dos apartes,
    Que guardam cartas na manga
    Exímios que são nesta e noutras artes!

    Tem tantos, tantos palhaços
    E da selva, tantos animais!
    Tem um coelho que salta da cartola
    Com punhados de ideias geniais!

    Tem artolas e malabaristas,
    Bobos da corte e jograis,
    Que cambaleiam e se balançam
    Num eterno tente-se-não-cais!

    Tem cavalos e cavalgaduras,
    Ursos, patos e serpentes
    De grande envergadura,
    Cães amestrados e obedientes.

    Tem trapezistas de altos voos,
    Que se equilibram na corda bamba,
    E macaquices de chimpanzés
    P’ra animar as matinés!

    É o circo meus senhores,
    É o circo! Venham ver!
    Entre asnadas e louvores
    O circo ainda vai arder!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.