TDT: Tirar Dinheiro a Todos

Em Alcácer, muitos perderam a companhia da televisão e um reformado de Setúbal considera um roubo a obrigação de comprar um descodificador.

Num ano em que os preços sobem, em que os salários continuam a diminuir, em que o desemprego aumenta, enfim, num ano em que os cidadãos vêem as despesas a aumentar e as receitas a diminuir, acrescentar a tudo isso a necessidade de comprar um descodificador para poder ver televisão é só mais um sinal da insensibilidade que caracteriza mais um governo que se limita a fazer o que lhe manda o poder económico. Seja como for, a decisão de não adiar a implantação da TDT, obrigando os cidadãos a pagar mais e garantindo lucros a empresas, é uma afirmação de coerência. Estranho seria que gente sinistra como Passos Coelho ou Miguel Relvas começasse, agora, a preocupar-se com os portugueses.

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Não poderia ser de outra forma! Por cá, tomam-se decisões levianamente, faz-se tudo com enorme falta de profissionalismo, muda-se só porque sim ou para dar oportunidade de negócio aos amigos, porque, em qualquer caso, alguém há-de pagar. Somos muito céleres a copiar o pior que vem de fora, mas temos grande dificuldade em adoptar o que é bom. Será falta de bom senso ou tendência para o masoquismo? A Espanha adoptou o sistema TDT e a população ficou a ganhar: por cá, o interesse da população nem sequer foi equacionado. O mesmo se passa com a economia cá do burgo, em que se procuram e anunciam medidas patéticas para aumentar a “competitividade” das empresas (como o aumento de meia hora de produção gratuita) quando não conseguem compreender que o problema está na produtividade e esta passa, sobretudo, pela boa gestão e pela modernização dos meios de produção. Por absurdo, não lembra a ninguém, por exemplo, competir no fabrico de garrafas por meio do tradicional sistema de sopro, com os modernos processos automáticos. Mais uma vez não resisto a citar Camões (que via mais com um só olho do que os nossos doutos governantes com os dois): “Um fraco rei faz fraca a forte gente”.

  2. Ildefonso Duarte Manuel de Castro Silva Mendes Cunha de Matos Proença e Sá em says:

    Realmente este processo de migração para o digital é muito aborrecido pois já estavamos todos acomodados ao analógico e agora vamos ter que gastar mais 34 euros para continuar a ver os mesmos 4 canais. Mas também não é nada demais para quem ganhe o salário minimo e pagou de 100 a 300 euros por um receptor de TV. Os velhotes reformados esses poderão e deverão ser ajudados pelos filhos ou pelas juntas de freguesia. Talvez se pudesse prolongar por mais um tempo o funcionamento dos emissores de sinal analógico em simultanêo com a ativaçao do sinal TDT mas os governantes assim não o entenderam e como eles foram eleitos pela maioria dos portugueses para zelarem pelos nossos interesses por isso não temos que nos queixar.


  3. Depois do UHF e VHF…
    Que durante muitos anos se caraterizava por: «motivos técnicos alheios à nossa vontade impedem a transmissão» e «pedimos desculpa por esta interrupção, o programa segue dentro de momentos»…
    Agora, temos o TDT (tirar dinheiro a todos), ou «Totós dão tostão», penso que de seguida muitos vão ter TSS – Tá-se Sem Sinal…
    Haja, pachorra…

  4. Capitâo Moura says:

    Tal como antes era preciso comprar uma televisão e uma antena para ver emissões de tv agora é necessário acrescentar á lista de compras um descodificador de TDT se o aparelho já for antigo. Os preços começam nos 28 euros (mais cabo SCART) e vão até aos 150 euros. Porque será que há sempre tanta resistência à mudança? Só é pena serem apenas 4 canais gratuitos pois os “nuestros hermanos” tem bastantes mais.

  5. António Fernando Nabais says:

    #4
    Mas qual resistência à mudança? Penso que ninguém está contra a TDT. O problema está no momento em que obrigam pessoas que vivem em dificuldades crescentes a gastar dinheiro que não têm. Para muitas pessoas, 28 euros pode ser uma fortuna.

  6. Capitâo Moura says:

    Mas se existem ajudas por parte das autarquias para os mais carenciados que podem atingir 50% do valor do equipamento!!! E então? 14 euros comparado com o valor do equipamento também será uma fortuna? Repito: o ideal seria que mantivessem o sinal analógico mais tempo no ar ao mesmo tempo que a TDT (que já está activa a algum tempo) mas os decisores assim não entenderam. As pessoas só ficarão sem emissão se quiserem pois já se viram Muitos LCDs em casas de desempregados e benificiários do Rendimento Mínimo. Deixemo-nos de demagogia.

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Preocupa-se com o Rendimento Mínimo, não se preocupa com os milhões que a PT ganha com tudo isto sem ser obrigada a cobrir 100% do território nacional. É tão fácil atacar os pobres e deixar de lado os ricos.

  7. António Fernando Nabais says:

    #6
    Pois claro: como há desempregados e beneficiários do Rendimento Mínimo que têm LCDs em casa, ficamos a saber que, afinal, todos os desempregados e todos os beneficiários do RM têm LCDs em casa e que são todos uns parasitas cheios de dinheiro ganho à custa de expedientes desonestos. Afinal, isto é um país em que os cidadãos são todos ricos. Nem percebo como é que estamos nesta crise: deve ser por causa do dinheiro gasto pelos (falsos) pobres em LCDs.
    Deixarmo-nos de demagogias era uma boa ideia, era.

  8. Capitâo Moura says:

    Então vamos parar o progresso e voltar à tv a preto e branco porque os pobrezinhos não podem gastar 14 ou 20 euros a comprar um descodificador (e a constituição diz que todos os cidadãos tem direito a emissões de televisão a cores e com alta definição gratuítas 🙂 ) Vamos nivelar por baixo! Porra 20 euros é preço de 5 maços de tabaco. Isto tudo num país onde as televisões por cabo tem quase 2 milhões de clientes!!!!!

  9. António Fernando Nabais says:

    #10
    Pobrezinho.

Trackbacks


  1. […] vociferou “Pagamento ou morte!” Também a formação contínua dos professores, o negócio da TDT ou a infindável dívida das SCUTs, entre muitas outras sobrecargas, podem servir de exemplo para […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.