O Kim da Megaupload, o FBI e a Democracia

Que o Kim(zinho) da Megaupload não é flor que se cheire, é claro e óbvio. Que a Megaupload fazia tábua rasa de direitos de cópia e de autor, também parece evidente. Que a maior preocupação do FBI e do pessoal da SOPA não são propriamente os autores, os criadores e os artistas, também não carece de desenho.

A luta é pelo controlo da internet e pela limitação da liberdade aqui instituída. A vontade é a aquisição de ferramentas legais para o encerramento de sites e para o cerceamento de correntes de opinião mais “inconvenientes”, o silenciamento de vozes incómodas. Não são, sequer, os prejuízos causados a utilizadores anónimos e a gente sem rosto, ou decisões de tribunal, que vão fazê-los recuar. O que os faz recuar (por enquanto) é o facto do conhecimento estar desequilibrado a favor dos utilizadores da internet. O que os faz recuar é o facto de serem atacados e terem muito a perder.

Defender a liberdade na net não é defender o Kimzinho da Megaupload nem subvalorizar os direitos de autores e criadores. Defender a liberdade na net é defender a última frincha popular que ainda náo foi tomada e controlada. É defender a última sombra de democracia que ainda tem alguma autenticidade. Nada menos do que isso.

Comments

  1. Nightwish says:

    O facto de o Público chamar a toda a gente com conta “piratas” diz muita coisa: grande parte desta luta não tem a ver com a pirataria (porque as pessoas preferem recompensar quem cria coisas que sentem que têm valor, desde que ganhem para isso, e é impossível pedir a todos os estudantes para pagarem o Photoshop), mas sim com tentar controlar quem mais pode criar e partilhar. Esta gente faz coisas como processar quem faz documentários porque numa televisão estava a passar um filme dos Simpsons ou quando cantam uma música no Youtube. Os média querem cobrar ao Google para este lhes mandar tráfego! Isto enquanto pagam mal a artistas e jornalistas, e o dinheiro destes julgamentos e taxas nunca lhes chega.
    Sinceramente, a minha resposta a esta gente é dar-lhes o mesmo respeito que me dão a mim e arranjar o que me apetece por qualquer meio. Ainda por cima nesta altura em que temos que reduzir as importações.


  2. Não poderia concordar mais! Enquanto existirem pessoas atentas às verdadeiras intenções dos “grandes”, temos a nossa liberdade assegurada! Agora se essas pessoas se deixarem subjugar por leis como a da S.O.P.A., aí o caso começa a ser preocupante…


  3. Não foi o Kim(zinho) que “pensou” as taxas da cópia privada que em Portugal são ainda maiores do que em ootros países europeus mais ricos. O FBI está-se nas tintas para o Kim(zinho) e a Canavilhas nem sabia da sua existência, e no entantanto as “leis na defesa dos direitos de autor” surgiram numa ofensiva europeia e norte-americana, feita em simultâneo. Ninguém acha estranho?

  4. A. Pedro says:

    José Lopes,
    A lei de defesa de direitos de autor, essa que agrava os suportes independentemente do tipo de cópia, não é para defender autores nem criadores. É para defender a indústria, as SPAS e suas congéneres europeias, etc. Os autores são o mexilhão.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.