As multas por falta do cinto de segurança: a PSP preocupa-se com os portugueses


foto daqui

Acabo de ser aliviado de 120 euros que, há que confessá-lo, não me pesavam na carteira. Tudo porque não tinha posto o cinto de segurança no momento em que o agente da PSP me mandou parar o carro.
Não discuto a legalidade da coisa. É contra-ordenação, dá multa. Eu sabia, não pus o cinto, por isso é bem feito.
Só é pena que o agente se tenha cansado depressa de tão dura labuta. Tão depressa que eu fui o último a ser multado. Logo a seguir, atravessou a rua e foi conversar com o dono de um stand que estava mesmo em frente. Os restantes 5 agentes continuaram dentro da viatura.
Também tenho pena que a viatura da PSP tenha estado estacionada durante uma manhã inteira mesmo em cima de uma paragem dos STCP. E que os agentes de serviço não tenham reparado nos vários carros estacionados na passadeira e em cima do passeio.
Afinal, o que é um estacionamento na paragem de autocarro, na passadeira ou no passeio (30 euros) – pondo em causa a segurança dos peões – comparando com o grave crime que é não pôr o cinto de segurança? Algo que, no fim de contas, não prejudica ninguém a não ser o próprio em caso de acidente.
Mas percebe-se, 120 euros é muito mais do que 30 e não é por acaso que as multas em 2011 subiram 80% em relação a 2010. O país está em crise e se calhar esse aumento de receita até estava prevista no Memorando da Troika.
Seja como for, é bom saber que os senhores agentes da PSP se preocupam com a nossa segurança e que saem do quentinho da Esquadra, a um Sábado de manhã, unicamente para verificar se os condutores puseram o cinto de segurança.

Comments

  1. paula says:

    Antes de se por a actuação do Polícia em causa acho que se deveria por em causa o civismo das pessoas. Em relação ás prisões elas não estão cheias por os policias estarem no quentinho da esquadra.

  2. João Paulo says:

    A parte de passar a multa a um portista parece-me sempre bem!


  3. #1
    Em relação ás prisões elas não estão cheias por os policias estarem no quentinho da esquadra.
    Ai não? Então é porquê?

  4. Tiro ao Alvo says:

    Não há dúvida: os polícias são uns malandros. Sempre.
    Mas essa do perigo para os peões ser um perigo tão grande como a falta de cinto, é uma boa questão para pôr aos legisladores, quando o Código for alterado. Todavia, chamo-lhe a atenção para os riscos que os condutores correm quando andam sem cinto, sujeitos a acidentes graves, acidentes que, para além dos “prejuízos” que possam causar esses condutores indisciplinados, vão dar origem a elevadas despesas hospitalares, essas a cargos de todos os contribuintes…


  5. Quanto ao cinto está tudo dito…
    Em relação a “multas” também sinto que vigora a insanidade total. Desproporção entre “crime” e “castigo”, absurdo de valores mínimos e máximos, etc. Acho que ainda ninguém deve ter olhado para as “tabelas” com um mínimo de racionalidade…

  6. Zuruspa says:

    Pensa lá bem: um condutor sem cinto tem um acdente e morre, logo já näo se lhe podem passar mais multas!

    No Sociedade Civil de 20/02/12 o sr. da PSP diz para se tirarem fotos dos prevaricadores, incluindo se forem polícias
    http://ww1.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=23283&c_id=1&dif=tv&idpod=72507


  7. Estacionar em cima do passeio, na minha opinião, é bem mais grave do que viajar sem cinto..Estacionar em cima do passeio pode matar terceiros, viajar sem cinto apenas acarreta danos ao condutor.

    Quanto à caça à multa, deixo aqui um link interessante:

    http://menos1carro.blogs.sapo.pt/255652.html#comentarios

  8. jorge fliscorno says:

    Eu gostava de conhecer uma análise que mostrasse os valores das multas por tipo de infracção. Só para perceber se estaria errado quando me parece que certas infracções – as de multas elevadas – são muito mais vigiadas do que outras. Por exemplo, quantos condutores terão sido multados por pisarem o risco contínuo? E por não pararem numa passadeira? E por condução agressiva, como o triste hábito de conduzir em cima do que vai à frente e a fazer máximos?

  9. anti-ontem says:

    eu creio que terá havido recentemente uma qualquer actualização dos valores das multas (mas vocês podem descobrir isso mais facilmente do que eu). digo isto porque uma amiga que foi multada por estacionamento e rebocada na semana passada pagou, não os 30 euros de multa e 60 do reboque mas sim, á volta de 200 euros de multa e 100 para o reboque (ela não precisou os valores). a ser esse o caso a questão da injustiça pelo tipo de infracção já não se coloca. mas continua a colocar-se a de estarmos a ser esmifrados com taxas e impostos, multas e contra-ordenaçãos em toda e qualquer actividade, de lazer ou não, que façamos quotidianamente.

  10. Zuruspa says:

    E quando um carro se atira ao passeio (em zona histórica, ao nível da rua, tudo calcetado, separados por pedra escura), mesmo à frente de um peäo, só parando a 0,1 cm da parede???
    Até me deu um fanico, que pareceu que o homem tinha sido passado a ferro!
    Respirei de alívio ao ver o homem sair por detrás do carro, *pela estrada*, obviamente, correndo o risco de ser atropelado.
    Quando passou por mim, perguntei-lhe: “Olhe lá, entäo e nem fez o reparo ao idiota que o ia matando?” e ele, muy humildemente “Já se sabe que cá é assim…”!!!

    Penso eu: e irei eu chatear-me, quando quem está mal se acomoda?

  11. Alendaqui says:

    Boas…
    Fiquem vocês sabendo que durante os dias de Carnaval em Sines houve um controlo rigoroso feito pela “brigada de trânsito” de LISBOA. E não foi nos acessos a Sines foi mesmo nas ruas e ruelas da cidade.
    Na minha opnião foi um ataque prepertado a mando do governo ( não ler ESTADO) a quem os contrariou.
    Cpts

  12. Jorge Anyous says:

    A polícia só multa a quem lhes paga.Com a criminalidade violenta a aumentar todos os dias nunca há prisões em flagrante ou perseguições policiais.Os policias perseguem quem sabem que não lhes vai fazer mal.


  13. Olá.
    Eu acabo de ser presentiada com uma multa de falta de cinto de segurança. Eu sei que é uma contra-ordenação e tudo mais mas, onde estão as imagens que eu estava sem cinto naquela hora?! É isso mesmo. Recebi a multa em casa, de um tal dia, que a suposta hora eu teria passado numa praça sem cinto. Mais, o carro está em nome do meu pai, e no auto, não existe nem uma única referência ao sexo da pessoa que conduzia a viatura. A multa vem com o nome do pai a carta e tudo mais.. Ou seja, o SENHOR GUARDA viu que supostamente não teria cinto, mas não me olhou para a cara para pelo menos distinguir se era homem ou mulher.
    E se eu vinha com o cinto? Como é que me defendo contra uma lei, que dá total valor aos agentes policiais, mesmo sem ser parada em alguma operação, sem passar em radares, sem imagens, sem sentir a presença dos policiais, sem nada. E mais uma questão, o uso de cinto de segurança é para isso mesmo, para nossa segurança e para a segurança dos outros, então o SENHOR GUARDA, supostamente viu-me sem cinto, multou-me e não me manda parar para acabar com essa situação, deixa-me seguir sem cinto?! Quando pagar a multa, ja não sou um perigo para os automobilistas.

  14. Paulo says:

    Olá,
    eu fui multado em 120€ por falta de cinto de segurança e apreenderam-me a carta de condução…será legal tirarem-me a carta?
    O agente disse que sim, mas já me disseram que ele não o poderia ter feito!

  15. Pedro Manaças says:

    Quem aplica temporáriamente inibição de conduzir aos condutores é o IMTT mediante informação das autoridades. A carta “propriedade” sua pois pagou por ela e não deve ser entre a ninguém.

  16. são factos says:

    Deveriamos ter por algum tempo a sociedade sem policia, a ver o resultado do civismo das pessoas, aqueles que são multados, dizem mas dos agentes, tudo e mais alguma coisa, mas esquecem-se que são eles que zelam 24h pela sua segurança, quando não conseguem resolver os seus problemas ligam para quem, para o batmam ou super homem, não, ligam para aqueles homens de farda que ha pouco tempo chamaram de tudo e mais alguma coisa………..o cidadão só é multado porque quer, se tivessem mais civismo e respeito certamente evitavam muita coisa. E porque quando são multados, porque reclamam dos outros que estão mal, antes de criticarem os outros deveriam ver o exemplo que estão a dar, e preocuparem-se exclusivamente com o seu próprio erro.

  17. Manel says:

    Se o condutor partir os cornos por falta de cinto o problema é dele e não do Estado!…
    Por isso os senhores agentes já têm idade para se preocuparem com outras coisas, muito mais graves, que pra aí andam… bem sabem do que falo…

  18. avelar says:

    Eu ia no meu carro com minha namorada,passei pelo carro da PSP,e dei o pisca para a esquerda a uns 500 mt ouvi a sirene da PSP….espantado comentei,que raio, mas o que é que eu fiz…parei o carro,o primeiro agente chegou a minha beira e perguntei,sro agente que fiz eu de errado,o agente disse que eu
    vinha sem o cinto.
    O curioso e o mais caricato que é…eu tinha o cinto….sim eu tinha o cinto….agora que faço eu, pago a multa,não pago…o que posso fazer,ha e depois saiu o outro agente do carro da PSP com a mesma afirmação,que não tinha o cinto…ok a minha namorada confirma que ambos tinha-mos o cinto…mas ai esta é a nossa palavra contra a dos dois agentes….viram mal…o certo é que tinha o cinto posto tal como a minha namorada,agora estou sujeito a pagar por algo que não cometi???
    É assim agora as atitudes de certos agentes.
    Isto aqui nos Açores na ilha de s.jorge,com apenas oito mil e poucos habitantes,e não imaginam a caça á multa que aqui anda.

  19. Guiness says:

    Preocupados é em levar o ordenado deles ao fim do mês. Braços direitos do sistema corrupto isso sim.Preocupados uma pinoia! Mandaram parar numa curva (dois sentidos) com traço continuo. Os outros carros tinha que ir em contra mão e sobre o traço continuo numa curva!

  20. carlos pinha says:

    se forem ao youtube veem um video do marcelo rebelo de sousa a conduzir sem sinto de seguranca. sera que a lei nao e para todos

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.