Passos Coelho, o quarto pastorinho

Segundo o DN, Passos Coelho acredita que os portugueses vão fazer férias. Desde o “Sangue, suor e lágrimas” de Churchill que não se ouvia uma frase tão vibrante e plena de grandiosidade em que um governante revelasse uma fé tão profunda nas capacidades dos cidadãos do seu país. Depois do slogan “fazer mais com menos” – a que se juntou recentemente o “ter pior mais caro” –, Passos tem uma visão para o país. Passos fecha os olhos e vê: os portugueses aproveitarão a supressão de subsídios de férias, a diminuição dos salários ou o aumento das despesas para viajar até à marquise, onde, no remanso do alumínio, poderão mergulhar nas águas da bacia de plástico portuguesa. Os mais afortunados poderão deslocar-se aos estaleiros de obras mais próximas, onde lhes será possível participar nos tradicionais concursos de castelos na areia.

Passos Coelho revela, ainda, extrema generosidade ao prescindir de decretar o fim das férias. Torna-se, agora, provável que São Bento passe a integrar a rota das romarias religiosas, o que poderá pôr mesmo em causa o comércio de promessas e oferendas do Santuário de Fátima.

Comments

  1. Margarida Alegria says:

    PCoelho disse iso? 😀
    Afinal, sempre parece ter uma bola de cristal!
    http://margarida-alegria.blogspot.com/2012/03/orabolas-de-neve-bolas-de-cristal.html

  2. MAGRIÇO says:

    Não sei o que me choca mais: se um indivíduo medíocre que envereda pela política por pura ambição pessoal e não tem escrúpulos em enviar milhares de famílias para a pobreza e para o desespero, se a indigência de espírito revelada na foto que ilustra o texto!

  3. Luís says:

    Os actos revelam para quem “o lampreia” governa:
    1050 milhões de euros para o BPN do PSD Perdigoto Amaral com os subsídios de férias e de Natal dos portugueses.
    4.5 milhoes de euros para o Lusoponte PSD Ferreira do Amaral das portagens em Agosto pagas pelos utilizadores.
    Mais horas de trabalho para os portugueses com o fim de feriados, férias e aumento de horas extras menos remuneradas, para reduzir o custo da produção, mas aumento da energia que onera de forma mais violenta essa mesma produção.
    Lucros exorbitantes para a EDP mas milhares de portugueses idosos a morrer de frio.

  4. Fernanda says:

    Fazer castelos na areia nas obras mais próximas podia ser uma alternativa se as obras não estivessem paradas há muito tempo e se a areia ainda lá estivesse.

    ehhhhh

  5. Jorge Anyous says:

    Este homem ou é parvo ou faz de nós parvos.
    Para mim já me sinto insultado por ter ido à BTL,e ainda diz o que disse.
    E a maneira como reage ás críticas fazendo os seus comentários.Se calhar queria uma passadeira vermelha.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.