RSI – rendimento social de inveja?

O CDS-PP fez do rendimento mínimo (agora chamado de rendimento social de inserção) uma bandeira.

E, se me permitem o abuso, caras e caros leitores, antes de continuar a mostrar a demagogia da velha direita, sugiro uma visita ao site da segurança social para ficar a saber mais sobre os 189 € / mês que os malandros recebem.

Paulo Portas, a cara da velha direita, não tem qualquer problema em se chegar à frente nas críticas ao RSI. Muitas delas, justas, mas como em quase tudo, o problema não está no conceito, mas na sua aplicação. Esta forma de apoio social é fundamental para que algumas pessoas, em situação de exclusão total consigam ter o que comer. E, quanto a isso, não vejo qualquer problema. Há abusos? Claro que sim. Então que se garantam as condições para que a fiscalização seja eficaz.

Mas, vamos a contas: na contabilidade do CDS foram depositados 1.060.250 euros, isto é, mais de 56 mil meses de RSI. Nas contas do Ministro, em média o RSI teve a duração de 22 meses. Fazendo as contas, os depósitos do CDS dariam para 2549 pessoas receberem o RSI durante 22 meses.

Os últimos dados indicam que há 330 mil pessoas a receber RSI, o que daria, se todos recebessem o valor máximo, qualquer coisa como 62 milhões de despesa mensal para o estado.

A despesa com o BPN corresponde a quantos meses de RSI? A mais de sete anos completos.

É por isso, profundamente demagógico o comportamento do governo que coloca este tipo de questões no espaço mediático, quando, financeiramente, o seu impacto é nulo. E socialmente é pouco mais que nada. Ou alguém acredita que o Governo vai conseguir, ao mesmo tempo que corta na fiscalização e nos funcionários públicos, colocar esta gente, tradicionalmente marginalizada, a trabalhar em museus e bibliotecas? A apoiar os centros de dia?

Nas escolas aqui à volta, há ciganos que vão à escola para que os pais possam receber o RSI. No entanto, aposto o meu subsídio de férias deste ano que o Governo não vai conseguir colocar um único a limpar as ruas ou no centro de dia. Querem apostar?

Comments

  1. Pisca says:

    O CDS tem uma boa forma de resolver o assunto que tanto engulho lhe coloca, o exemplo vem dos EUA
    Um fulano que recebia da Assistência, teve azar e levou com 46 (quarenta e seis) tiros de 6 policias, menos um a extorquir o estado


  2. O BPN pode vir a custar-nos 8300 milhões

    Não esquecer também que mais de metade do dinheiro emprestado ou a ser emprestado pela Troika vai directamente para os bancos – o que é muito mais que 8300 milhões de euros…


  3. Este tema deixa-me sempre arrepiada!
    Os considerandos dos senhores governantes sobre os beneficiários do RSI, parecem-me a mais rasteira, a mais mesquinha inveja daqueles que não tem nada e que nada deveriam ter, nem sequer a migalha que representa o RSI!
    Claro que há abusos. Sempre houve e sempre haverá, mas não é com penalizações e humilhações aos mais pobres que eles acabarão!


  4. Para não falar no rombo de submarinos, pandur´s e helicópteros…
    É ir aqui ao site de Eugénio Rosa, para se saber quem rouba quem: http://www.eugeniorosa.com/default.aspx?Page=1050
    Infelizmente as pessoas não estão muito viradas para este tipo de leitura… a tv é muito mais importante.


  5. Mas isto é talvez, a maior bandeira da direita populista. Não há ninguém que eu conheça (de direita) que não fique “titilado” com esta caça às bruxas, deixando transparecer racismo e pedantismo social (os que dizem sempre: coitadinhos dos pobrezinhos). Com o resgate iminente de Espanha e com a nossa catástrofe social e financeira cada vez mais perto, acho imensa piada às prioridades escolhidas por este governo fantoche – esmagar os fracos – pela mão de um partido pequeno nas ideias e no tamanho, com um enorme fétiche pela “glória” do antigamente, sejam eles ditadores ou monarcas.

  6. MAGRIÇO says:

    Eis um pequeno exemplo da competência e honestidade dos que escolheram a carreira política para colher dividendos fáceis:
    EXEMPLO 1
    Ora atentem lá nesta coisa vinda no Diário da República nº 255 de 6 de Novembro:
    No aviso nº —- (2ª Série), declara-se aberto concurso no I.P.J.
    Para um cargo de “ASSESSOR”, cujo vencimento anda à roda de 3500 euros).
    Na alínea 7:… “Método de selecção a utilizar é o concurso de prova pública que consiste na
    “… Apreciação e discussão do currículo profissional do candidato.”

    EXEMPLO 2
    Já no aviso simples da pág. 26922, a Câmara Municipal de Lisboa lança concurso externo de ingresso para COVEIRO, cujo vencimento anda à roda de 450 EUR mensais.

    Método de selecção:

    Prova de conhecimentos globais de natureza teórica e escrita com a duração de 90 minutos.
    A prova consiste no seguinte:

    1. – Direitos e Deveres da Função Pública e Deontologia Profissional;
    2. – Regime de Férias, Faltas e Licenças;
    3. – Estatuto Disciplinar dos Funcionários Públicos.
    4. – Depois vem a prova de conhecimentos técnicos: Inumações, cremações, exumações, trasladações, ossários, jazigos, columbários ou cendrários.
    5. -Por fim, o homem tem que perceber de transporte e remoção de restos mortais.
    6. – Os cemitérios fornecem documentação para estudo.
    Para rematar, se o candidato tiver:
    – A escolaridade obrigatória somará + 16 valores;
    – O 11º ano de escolaridade somará + 18 valores;
    – O 12º ano de escolaridade somará + 20 valores.
    7. – No final haverá um exame médico para aferimento das capacidades físicas e psíquicas do candidato.

    Elucidativo, não acham?


    • verdadeiramente elucidativo!

    • Eu mesma says:

      Não vamos mais longe, caro Magriço.
      Também não gosto de ciganada a usar o RSI para abastecer os carrões por forma a alimentar o tráfico de droga e a venda de Iphones e malas de marca na rua. Também não gosto de malta que prefere estar o dia todo no café a encher o bandulho sem querer trabalhar. Mas isso não me tira o respeito por quem REALMENTE precisa do RSI e não o tem.
      Eu, licenciada, desempregada depois de estar dois anos em trabalho temporário on/off e sem direito a subsídio de desemprego (o gasóil para o Audi do Ministro Lambretas está caro…) estou a concorrer para dois concursos públicos de emprego, os únicos deste semestre que admitem como candidatos pessoas sem qualquer vínculo à função pública. O que é o meu caso.
      No Aviso 10590/2012, Procedimento Concursal Comum para preenchimento de lugar de Assistente Técnico (categoria mais baixa) numa universidade pública, os que passarem à fase do exame público vão ter de estudar o seguinte:
      11.2 — Temáticas da prova de conhecimentos e legislação/ bibliografia
      necessárias à preparação da mesma:
      a) Código do Procedimento Administrativo;
      b) Constituição da República Portuguesa;
      c) Regime jurídico das instituições do Ensino Superior (Lei n.º 62/2007,
      de 10 de setembro);
      d) Estatutos da Universidade de Lisboa (Despacho normativo
      n.º 36/2008, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 148, de
      1 de agosto de 2008);
      e) Estatutos da Unidade Instituto de Orientação Profissional (IOP);
      f) Estatuto Disciplinar dos trabalhadores que exercem funções públicas
      (Lei n.º 58/2008, de 9 de setembro);
      g) Estatutos da Carreira de Investigação Científica, aprovado pelo
      Decreto -Lei n.º 124/99, de 20 de abril, alterado pela Lei n.º 157/99, de
      14 de setembro;
      h) Regime da Administração Financeira do Estado (Decreto -Lei
      n.º 155/92, de 28 de julho);
      i) lei do Orçamento de Estado para 2012 (Lei n.º 64 -B/2011, de 30
      de dezembro);
      j) Lei de Enquadramento Orçamental (Lei n.º 52/2011, de 13 de outubro,
      que alterou e republicou a Lei n.º 91/2001, de 20 de agosto);
      k) Portaria 83 -A/2009, de 22 de janeiro, alterada pela Portaria
      145 -A/2011, de 6 de abril, que regulamenta a tramitação de procedimento
      concursal;
      l) Regime de vinculação, de carreiras e de remunerações dos trabalhadores
      que exercem funções públicas (Lei n.º 12 -A/2008, de 27 de
      fevereiro);
      m) Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas e respetivo
      regulamento (Lei n.º 59/2008, de 11 de setembro);
      n) Regime de férias, faltas e licenças dos funcionários da Administração
      Pública (Decreto -Lei n.º 100/99, de 31 de março, com a última
      alteração da Lei n.º 64 -A/2008, de 31 de dezembro);
      o) Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na administração
      pública — SIADAP (Lei n.º 66 -B/2007, de 28 de dezembro).

      Por sua vez, no Aviso 11203/2012, também para a categoria mais baixa na biblioteca de uma faculdade pública, exigem que os candidatos que passarem à fase do exame escrito marrem:
      APDIS, BAD, INCITE—Código de Ética [Em linha]. Disponível
      em:
      http://www.apbad.pt/Downloads/codigo_etica.pdf
      ECO, Umberto. A Biblioteca. Lisboa: Difel, 1983
      Instituto Politécnico de Leiria — Glossário de termos biblioteconómicos
      [Em linha], [Consult. 7 Jul. 2012]. Disponível em: http://www.
      ipleiria.pt/portal/sdoc?p_id=96901
      Escola Superior de Educação de Lisboa — Gestão de Sistemas Documentais
      II. Tema 3 — O registo [Em linha], [Consult. 7 Jul. 2012].
      Disponível em: http://www.eselx.ipl.pt/curso_bibliotecas/documentaisII/
      tema3.htm
      E isto, quando os requisitos para se candidatar ao cargo não estão feitos à medida daquela pessoa que por acaso está lá há uns tempos a recibos verdes e até merecia, coitadinha, passar para os quadros…
      Ou seja, se o Relvas Podres é licenciado, então eu estou a caminho de ser doutorada!

      • MAGRIÇO says:

        Minha cara, uma licenciatura perde sempre para o cartão do partido! E, possivelmente, a sua licenciatura nem sequer tem a chancela dos créditos e das equivalências. Como vê, está em manifesta desvantagem.
        Sem ironia, desejo-lhe sorte na sua épica tarefa de conseguir colocação.

        • Eu mesma says:

          Pelo menos não sou uma senhora de má vida política. O dormir de consciência tranquila dona da minha independência de pensamento e de que a minha dignidade está intacta é muito importante para mim. Isto foi-me ensinado pelos meus saudosos avós.

  7. nightwishpt says:

    Não percebem que o trabalho trás a liberdade, como disse o querido líder Portas?


  8. O pior é que está tão difundida a ideia que se recebe uma fortuna de RSI que o própio povo roubado pelos artistas de gravata, injuria e revela um grande ódio por quem benefecia do RSI.

  9. vitor monteiro says:

    esta é uma questao idelógica o estado neste momento e´um instrumento ao serviço do grande capital e nao haja ilusoes ,so´a revluçao socilista rumo ao comunismo acabara com isto

Trackbacks


  1. […] ainda tenta lançar umas cortinas de fumo para tapar os olhos ao povo – por um lado Pedrinho e o RSI e por outro a magia da RTP, que afinal, quem sabe ainda vai encher os bolsos de […]


  2. […] satisfeito, ainda tenta lançar umas cortinas de fumo para tapar os olhos ao povo – por um lado Pedrinho e o RSI e por outro a magia da RTP, que afinal, quem sabe ainda vai encher os bolsos de […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.