Pussy Riot, arte, punk e futurismo

Ou o neo-futurismo russo explicado aos portugueses.

Comments


  1. Realmente não se entende como é possível dar uma valoração negativa a um post tão singelo.
    A única explicação que encontro é ter sido algum(a) fanático(a) religioso(a) que não entende o que significa “liberdade de expressão”… Tipo o teu amigo Joaquim…


    • Ter amigos é a única prova de vida que me interessa, Albano. Muito mais dos outros, mas também destes.
      Antes isto que uma certidão de nascimento + declaração da junta de freguesia (que no meu caso é assinada por um senhor de sua profissão cangalheiro).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.