Comércio é no Shopping

Pelo menos em Gaia, com Menezes, o comércio tradicional, morreu – basta pensar no Arrábida, no Gaia, no El Corte, no ex-Carrefour, todos eles situados em Gaia para perceber a paixão de Menezes pelo comércio tradicional. Mas, agora no Porto, é que vai ser – ou será que não é para o comércio tradicional e estamos a falar de mais um elefante branco para dar uns cobres aos amigos?

Seria bom que a aposta no bolhão fosse real e mostrasse um interesse sério na dinamização da economia  local e do comércio tradicional, mas isso terá que ser analisado por Marco António Costa, o candidato (real!) do PSD ao Porto.

A parte das rendas grátis é uma medida à Menezes que, estou certo, Vitor Gaspar, Passos Coelho e todos os deputados do PSD terão o cuidado de defender.

Comments

  1. Konigvs says:

    E no Porto não é já igual? Quando numa mesma rua da baixa conseguiram construir dois centros comerciais um em frente ao outro…. quer dizer.
    Basta olhar para o que era há vinte anos a Avenida Fernão de Magalhães ou a rua do Heroísmo e ver o que são agora, um completo deserto. Aliás depois das 7 da tarde a cidade do Porto mais parece uma cidade fantasma, com a própria rua Santa Catarina, Praça da Liberdade e Batalha incluídas.
    Depois, além dos centros comerciais temos essa verdadeira praga que são os parquímetros em todo o lado!! Se eu quiser ir à baixa do Porto fazer compras, primeiro tenho de andar às voltas para arranjar lugar e depois se arranjar tenho de pagar, dependendo do sítio entre 0.50 e 1€ por hora, quando posso ir a um centro comercial, deixar lá o carro às 10 da manhã e sair de lá à uma da manhã sem pagar um cêntimo.
    Eu detesto centro comerciais, principalmente aqueles cheios de gente como o Norte (que por acaso é em Matosinhos) mas só vou a centros comerciais quando preciso, não vou passear para ver lojas, e até gosto bastante de andar a pé, mas quer dizer, não dão condições às pessoas, as pessoas não vão sair prejudicadas só porque é muito bonito apoiar o comércio tradicional não é?

    • João Paulo says:

      Meu caro, obrigado pelo comentário. Mas, em que é que o meu post diz o contrário do seu comentário, passe a contradição. Estamos de acordo – eu subscrevo o que diz. Quase integralmente. E esse é o ponto – não vejo competência em quem se candidata para resolver o problema do Porto porque a herança que deixou por cá é igual ao que agora diz que vai resolver. Ou seja, não vai!
      É esse o meu ponto.
      JP

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.