Negociações com o Ministério da Educação

Enquanto decorrem as negociações entre o Ministério da Educação e os Sindicatos, há algumas preocupações nas redes sociais.

Anda a circular a notícia de que os professores do quadro que venham a ser sujeitos à mobilidade especial não possam ser colocados a mais de 60 quilómetros da sua escola. Há quem pergunte por que razão os professores de quadro de zona pedagógica e os professores contratados não estão abrangidos pela mesma regra.

O alargamento do horário semanal de trabalho para 40 horas será considerado inaceitável, a não ser que recaia exclusivamente sobre o tempo individual de trabalho.

Para além disso, a promessa de que o referido alargamento não incidirá sobre a componente lectiva dos professores já está posta em causa a partir do momento em que o tempo reservado para a direcção de turma deixe de estar integrada nessa componente.

Uma outra preocupação mais ou menos silenciosa reside, no entanto, no facto de estarmos a lidar com um governo que está sempre disposto a cometer ilegalidades e a quebrar promessas.

Comments


  1. O OBJECTIVO DO GOVERNO É COLOCAR PORTUGUESES CONTRA PORTUGUESES!!! TEMOS UM MILHÃO DE MOTIVOS PARA PROTESTARMOS NAS RUAS!!! dia 27 pode ser o começo!!!

  2. Manuel joão Castelo Branco says:

    Este governo não é um interlocutor confiável. Em minha opinião nada farão em defesa de uma escola pública e dos professores que detestam pois a sua orientação pende para entrega a grupos e ao capital privado de serviços públicos.

  3. isabel says:

    vamo-nos manter unidos na greve de dia 27 e sempre para o bem da nossa escola publica

  4. Fernando castro Freitas says:

    Esta classe não pode deixar de estar unida, a escola pública precisa de nós para se manter.

  5. celesteramos.36@gmail.com, says:

    Este Governo não é governo – como não sabem fazer mais nada nem nunca souberam calhou serem o que são e em quem se votou e não há como desalojar estes empregados governamentais

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.