Para o porto, para tudo?

Claro que não. Felizmente, o AO90 não está em vigor.

manif

A propósito, graças a João Roque Dias, soube desta notícia *eletrizante (trata-se de fenómeno que, infelizmente, já conhecemos).

General Eletric

Na passada terça-feira, como andava por aquelas bandas, ainda fui a tempo de passar pela Lexington, a caminho das Nações Unidas, para verificar se tudo estava como dantes.

Lexington

Sim, estava.

No dia seguinte, apanhei um comboio para o Connecticut (sim, com <nn> e -ct-, claro). A que propósito veio agora à baila o Connecticut? Obviamente, devido à sequência -ct- e, menos obviamente, por causa de um postal que comprei na tabacaria da estação de New Haven e sobre o qual escreverei umas linhas, na próxima oportunidade.

Continuação de um óptimo fim-de-semana.

Comments


  1. Hilariante!

    Pus-me a meditar: será que seundo o AO90 se deverá escrever Coneticut?

Trackbacks


  1. […] ironia é “erros de alemão” serem notícia num jornal português que suprime o cê de ‘electric’ (sim, é […]


  2. […] Neste episódio, um leitor é atacado por ‘atual‘ e por ‘actriz‘, ao ler um texto publicado no Expresso, em que se conta algo de insólito ocorrido na cidade que nunca dorme, antes de uma representação da peça “Hand to God“, de Robert Askins, no teatro Booth  — para quem não souber, este teatro fica a cerca de vinte minutos a pé de um edifício nosso conhecido. […]


  3. […] no elevador e comecei a imaginar um grupo de fervorosos adeptos plantados no cruzamento da 1.ª Avenida com a Rua 46 e, vá lá saber-se porquê, lembrei-me de Valentim […]


  4. […] por não prestar uma muito necessária atenção aos seus próprios desempenhos em alemão, em inglês e, claro, claro, obviamente, obviamente, em ortografia portuguesa europeia, quer teórica, quer […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.