Os eleitores do PSD votaram na CDU?

Loures

Sim, eu sei que a gestão de uma autarquia não tem nada a ver com a gestão do país. Mas não é a gestão dos destinos da sociedade que está aqui em questão. É antes esse tema do momento, central na argumentação da direita radicalizada, que confronta os eleitores dos partidos à esquerda com a seguinte pergunta: os eleitores do PS votaram no partido com a perspectiva de um entendimento com o BE e a CDU? E os eleitores do BE e da CDU, terão eles votado nestes partidos com a perspectiva de uma aliança com o PS? 

Convenhamos que a pergunta é parva. Penso não dizer uma grande asneira quando afirmo que a esmagadora maioria dos portugueses não vota num partido em função de cenários que antecipa. Vota na força que entende ser a que mais vai de encontro aos seus anseios, sejam eles quais forem. Mas seguindo esta lógica parva, e num contexto em que o principal alvo da direita tem sido a CDU, com referências frequentes ao estalinismo e à suposta vontade dos comunistas de instaurar um regime de partido único, há uma pergunta que se impõe: os eleitores sociais-democratas de Loures votaram no PSD com a perspectiva de uma aliança com os perigosos comunistas que comem crianças ao pequeno-almoço? A composição CDU/PSD da CM de Loures contará como traição para esta direita nervosa?

Foto: Miguel Manso@Público

Comments

  1. Ana A. says:

    O mal de certos eleitores é verem as forças políticas como se de religiões se tratassem! Eu voto à esquerda do PS! Não sou fã de governos maioritários porque todos sabemos, que passa tudo na A.R., sem que o povo possa interferir, pois somos uma democracia representativa (que bom que era se fosse MESMO…), e não uma democracia participativa. Assim, acho que quantas mais forças políticas estiverem a governar, em coligação ou “só” com apoio parlamentar, e consequentes negociações, mais beneficiado sai o povo e a democracia, pois certamente não serão cometidos os excessos do poder absoluto das maiorias! Claro, que não tomo como exemplo, o chilique do Paulo Portas e da sua irrevogável decisão, pois afinal o que ele queria era ser Vice!

    • martinhopm says:

      Gosto do seu comentário. Parece-me inteiramente justo. Também não gosto de maiorias absolutas. Os resultados são péssimos. Basta atentar na do Sócrates e nesta do Coelho/Portas. Que é que de bom nos trouxeram? Arrogância, desprezo pelos outros e tomada de medidas sem medir as consequências. Quem tem maioria absoluta, é tentado pelo ‘quero, posso e mando’ e não dar cavaco a ninguém, numa palavra um autocrata.


      • ” Basta atentar na do Sócrates e nesta do Coelho/Portas. Que é que de bom nos trouxeram? ”

        Eu muito sinceramente fico parvo quando comparam a governação de Sócrates com Coelho /Portas. O que fez a coligação que melhorasse a vida dos portugueses diga-me uma só coisa. Sócrates com todos os seus defeitos ainda fez por exemplo;
        Eliminação de subvenções especiais para cargos políticos Criação da Autoridade nacional de Protecção Civil
        Legalização do aborto até às 10 semanas de gravidez.
        Nova Lei do Divórcio em que desaparece a culpa de um dos conjugues.
        Aumento do apoio judiciário e isenção de custas judiciais para os mais pobres.
        Desenvolvimento dos meios alternativos de resolução de conflitos com a criação ou desenvolvimento dos Julgados de Paz e Centros especiais de arbitragem.
        Em 2009 o tempo médio de criação de uma empresa era de 35 minutos
        Venda de medicamentos sem receita fora das farmácias.
        Obrigação do livro de reclamações em balcões públicos e privados
        Aposta na produção de electricidade por energias renováveis.
        Planos de ordenamento para áreas de natureza protegida.
        Alargamento da Rede Natura em 178.000 hectares.
        POLIS litoral.
        Ordenamento da orla costeira.
        Promoção da Reabilitação Urbana
        Programa Simplex.
        Cartão do Cidadão que vem substituir 4 documentos.
        Documento Único Automóvel
        Fim da emissão em papel do Diário da República cuja edição electrónica passou a universal e gratuita.
        Acesso electrónico online a serviços públicos como Netemprego e Segurança Social.
        Empresa na hora. criadas cerca de 70.000 até Junho de 2009
        Ensino do Inglês em todas as escola do ensino básico.
        Ensino artístico com mais 40% de alunos em musica.
        Estudo acompanhado musica e actividade desportiva no básico.
        Plano nacional de leitura e plano de acção para a matemática.
        Baixa da taxa de abandono escolar e do insucesso escolar.
        O acesso à acção social escolar passou de 240.000 para 700.000 alunos.
        Refeições gratuitas e pagamento integral dos manuais escolares para famílias de menores rendimentos.
        Programa Novas Oportunidades.
        Complemento Solidário para Idosos.
        Assistência médica dentária e óptica para idosos.
        Genéricos gratuitos para pensionista de mais baixos rendimentos.
        Salário mínimo para 500€.
        Aumento do abono de família para famílias de mais baixos rendimentos.
        Novas regras nos aumentos de pensões para beneficiar as mais baixas.
        Aumento do número de beneficiários do Rendimento Social de Inserção etc, etc..
        Depois claro Sócrates com o seu extraordinário poder desencadeou uma crise nos EUA, foi de férias a Grécia e também arrebentou com o país , depois passou por Itália, Espanha, Irlanda e deixou todos esses países na bancarrota..

        • Ana A. says:

          OK! MN,
          Agora enumere tudo o que ele fez de mal ao país, enquanto governo com maioria absoluta, e não só, pois quando governou com o apoio da Direita, também estamos conversados.
          Do que se trata, nos comentários acima, é do poder autocrata das maiorias!


          • Não existem governos perfeitos Ana, todos eles tem medidas que agradam a uns e a outros não, umas mais consensuais outras mais polémicas. Agora estes quase 5 anos de maioria da coligação foram um desastre para os portugueses menos para os abastados. Acho muito injusto porem Passos ao nível de Sócrates sequer compara-los como iguais ou parecidos.
            Com o apoio da direita foi em minoria no segundo mandato e para fazer passar os PEC`s , quando o último não passou teve a dignidade de se demitir e convocar eleições. Estes quase que é preciso arrasta-los para saírem. Depois em 2011 tornou-se um desígnio nacional derrubar Sócrates que nem repararam na merda que aí vinha!
            Eu fui prejudicado com as politicas mais austeras do 2º governo de Sócrates mas não sou hipócrita para só lhe reconhecer defeitos e abafar politicas positivas e boas para o país.

          • antifascista says:

            enumere o srº o que Sócrates fez que prejudicasse os portugueses . Se o passos coelho tudo o que fez pagou a pronto ,tudo bém .

        • Ironia says:

          Adoro ironia

          • joão lopes says:

            por acaso não acho ironia alguma.foi um “designio nacional” fazer do socrates,o bode expiatorio,mas justiça seja feita,o CM não foi censurado,foi acusado de não seguir os deveres proprios do jornalismo.Alias,o CM faz tudo menos jornalismo


          • Eu também 🙂

  2. José Meireles Graça says:

    Uma aliança para gerir um município não é a mesma coisa que uma aliança para gerir o País. Não se foge de municípios governados por comunistas; mas foge-se de países governados por comunistas. Isto deveria ser óbvio.

    • joão lopes says:

      não se foge de municipios governados por comunistas…e emigra-se(há quem diga fugir) de paises governados por Pafiosos,obvio..

    • Rui Moringa says:

      Votei PCP. Não gostaria de ver o PCP, sozinho no governo. Acharia muito mau.
      Já disse que não ou comunista, mas conheço a ideologia.
      De interesse no PCP actual, encontro-lhe o nacionalismo e o facto de ser pela saída do Euro.
      Quem não gosta de si, não poderá gostar dos outros.
      Quem entrega a emissão de moeda a outros arrica-se a não “mandar” nada. Fomos invadidos de forma consentida e palerma, sem exército.
      Não me venham com as teoricas finaceiras e económicas. Há-as para todos os gostos.
      Sei que no casinos ganham os donos. Com o Euro ganham os alemães.
      Temos a circunstância de os alemães aceitarem, por razões óbvias, que o Dragui coloque moeda a circular. Quando isso for contrariado, voltamos outra vez a mais desgraça, porque não mandamos nada, mesmo nada.


    • Não é nada óbvio José Meireles Graça: o que aqui está em causa é saber se os eleitores do PSD votaram no partido com a perspectiva de uma coligação com a CDU. Deixe a propaganda pafista para outra oportunidade. Os comunistas já estiveram no governo de diferentes países europeus e não há registo de fugas ou perseguições.

      • José Meireles Graça says:

        A sua tese é que votar no PSD num município e descobrir depois que o PSD se aliou à CDU para o gerir é a mesma coisa que votar no PS para gerir o país e descobrir depois que este se aliou à sua esquerda. Não é, e a diferença é de tal modo gritante que quem necessitar que se lhe o explique não está em condições de entender a explicação. Quano aos pcês que se coligaram para governar na Europa ou fizeram a revolução ou desapareceram quase completamente. Não me parece que o PCP queira desaparecer.


        • Não é tese nenhuma, é uma opinião. E essa opinião resume-se a isto: nenhum eleitor vota num partido com a perspectiva que se vá coligar com A ou B (ainda que uma coligação PSD/CDU seja, vá lá, singular). E, neste caso específico, face à propaganda barata do PàF, pretendi estabelecer aqui um paralelo que não pareceu incomodar as hostes agitadas anti-governo de esquerda.