Na mouche

Lula e Haddad.

De uma panela

No vídeo seguinte, um suposto político denúncia casos de corrupção envolvendo todos os partidos. Mas, ao polícia que o ouve, só lhe importa um dos lados, encontrando em jogos fonéticos as razões para as prisões que queria realizar.

[Read more…]

De Sócrates a Lula e a Putin

Não é nada meu! (nunca é nada deles)

Brasil, o fim da linha para Dilma e Lula da Silva?

Os acontecimentos no Brasil dominaram a semana política em Portugal, o que não aconteceu em nenhum outro país, à excepção do Brasil é claro. E começando precisamente por aqui, subsistem ainda resquícios de paternalismo colonial, não por acaso partilhado com outros países e cidadãos europeus em assuntos relativos às suas antigas colónias. O primeiro erro dos europeus é arrogarem-se insuportavelmente como civilizacionalmente superiores, julgando os povos dos outros continentes à luz dos seus valores políticos e filosóficos. Apesar de séculos como colonizadores, raramente compreendem os povos árabes, asiáticos, africanos, ou latino-americanos, resultado da incapacidade de verem para além do seu umbigo, que levaram em meados do sec XX os povos colonizados a inúmeras revoltas e lutas pela independência no mundo inteiro, para se libertarem de governos europeus e colonos que tratavam nativos como servos e ainda consideravam estar a praticar o bem. Após desastrosas intervenções no exterior, o velho continente está a braços com tragédias humanitárias que mais não são que consequências da sua desastrosa política de tentar levar a democracia a quem não a quer, deseja ou compreende. [Read more…]

Telenovela brasileira

Esta não tem o selo da Globo e qualquer semelhança com pessoas reais não será mera coincidência…

Ó Santana

Aumenta aí a odd no Lula. Isto promete.

Porque é que foi o juiz a publicar as escutas?

No Brasil não há um Correio da Manhã?

Só usa em caso de necessidade!

Eu queria um apartamento no Guarujá

Em louvor do Presidente Lula, passando por Sócrates

Grande Presidente que agora sai do seu posto  , deixando  uma grande obra feita no Brasil!
É admirável  tirar 30 milhões de pessoas da pobreza, fazer entrar outros tantos na classe média, sem revolução,nem massificação,nem radicalismos, e conseguir tantos objectivos sociais em 8 anos! Ele conseguiu  na América do  Sul impôr valores da social democracia, que aqui na Europa parecem estar moribundos.

Os nossos líderes têm muito a aprender com este Homem, que não é Dr. nem Eng., um ex operário e  sindicalista ,mas soube encarnar as esperanças de um Povo, e falar -lhe directo e verdade,sempre que foi preciso.Esta é a fibra dos grandes lideres,com ética, e que quando  acreditam que é necessário atingir um objectivo social ,sem pôr em causa a estabilidade social , sabem transmitir esse objectivo ao Povo que o escuta .
Espero e desejo que Sócrates, que agora vai ao Brasil para assistir à tomada de posse da Presidente Dilma,uma mulher à frente de um grande estado  possa aprofundar as nossa relação com este país, em beneficio de ambos, e da CPLP que deve ser um grande desígnio nacional. Só temos todos a ganhar com isso.

Sócrates  que é um resiliente,  se  quiser voltar a vencer- e de que não se vê alternativa no partido,sendo Antonio Costa uma reserva que não pretende avançar- tem de fazer  grandes mudanças no discurso , e  ouvir muito bem Lula ,e quiçá também Dilma. Esperemos que  traga novidades em termos de compra da dívida soberana,e de importações-exportações .

Entretanto, Portugal tem de ultrapssar as barreiras dos nacionalismos estéreis, entender- se bem a nível Ibérico,ultrapassar  os   indidualismos pessoais, de classe ,ou corporativos,que não se justificam neste tempo de crises. [Read more…]

Os resultados da política de Lula no Brasil


(via comentadora Sandra)

Lá, no Brasil, um só Banco tem 1 bilião de reais de lucros por mês. Aqui, são 4 milhões de euros por dia.
Claro que nem era necessário este pequeno exemplo, que mostra que o Brasil não é assim tão diferente de Portugal. Bastava ler as palavras de Lula.

Como as eleições brasileiras vão chamar a atenção do mundo (III)

Por CHICO JUNIOR

continuação daqui

Agendadas para outubro deste ano, as eleições no Brasil vão permitir que o povo brasileiro escolha candidatos para os cargos de Presidente, Senadores, Deputados Federais, Governador e Deputados Estaduais. Os três primeiros cargos estão relacionados à esfera federal, os seguintes se referem às unidades que compõem a Federação. A Presidência da República é o mais alto posto e recebe maior atenção por ser lugar onde os olhares dos demais países se deitam. Dentre os mais bem cotados e conhecidos a disputar a vaga estão a ex-ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o ex-governador de São Paulo, José Serra, e a ex-senadora do Acre, Marina Silva – todos afastados dos respectivos cargos para darem andamento a candidaturas, oficializadas recentemente.

Além da responsabilidade de comandar o Poder Executivo de uma nação emergente que conquista espaço geopolítico e econômico, quem vencer as eleições presidências precisará tratar de complicadas questões internas e externas. Internamente, uma delas é a de obter base política no Legislativo a fim de conseguir a chamada governabilidade do País. Em outras palavras, é preciso oferecer cargos e outras benesses para que os projetos do Governo sejam aprovados no Parlamento. Em 2002, quando tomou posse, o Presidente Lula enfrentou uma situação desta ordem e foi nela (ou dela) que se originou o escândalo denominado por Mensalão – uma espécie de benefício financeiro dado aos parlamentares para votar a favor das propostas da presidência. [Read more…]

Como as eleições brasileiras vão chamar a atenção do Mundo (I)

Com interesse nas futuras possibilidades de acordos internacionais, as nações desenvolvidas vão olhar atentamente para o que acontecerá até o resultado das urnas do gigante país emergente da América Latina. Neste ano, mais precisamente em outubro, o Brasil terá eleições para que sejam escolhidos Presidente da República, Senadores, Deputados Federais, Governador e Deputados Estaduais. A atenção maior reside sobre a figura do chefe de Estado, representante do Poder Executivo Federal, que vai suceder ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre os principais presidenciáveis estão o governador de São Paulo, José Serra, pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), oposição a gestão atual do Partido dos Trabalhadores (PT), que tenta se perpetuar no governo com a candidatura da ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Ambos precisarão se afinar bem ao interesse da comunidade internacional. Propostas monetárias e de política internacional dos candidatos à Presidência hão de fazer diferença considerável sobre o cenário eleitoral e aproximar ou afastar atores expressivos de outros países. [Read more…]

Brasil e a globalização

Artigo: O Brasil finalmente adere à Globalização

05/11/09, 10:06

OJE/Lusa

 

 Mas que grande notícia! Então o Brasil diz que quer aderir à Globalização, ou seja, a um comportamento cujo “crepúsculo dos deuses” já começou há muito e que se materializou na grande crise económica em curso? Quer, nesta fase, ainda aderir ao jogo de soma nula de uma Pax Americana e seus parceiros de liderança – nós – que tendo caminhado por caminhos errôneos nos levou ao atoleiro? Então no Brasil ainda não se descobriu que essa Globalização não constitui um desígnio nobre da humanidade mas sim uma intenção egocêntrica de saque aos eco e sócio sistemas?

 

 

Para dizer a verdade, estando tudo no mundo entrelaçado, os estados BRIC, entre eles o Brasil, já se encontram envolvidos até o pescoço na Globalização. Com efeito, foram em grande parte eles que permitiram que no contexto dessa Globalização executada de sinal errado os países do dito primeiro mundo pudessem exceder os seus limítes da sua própria “pegada ecológica”. Foi basicamente daí que veio essa ascensão económica dos estados BRIC. E eles, em troca pelos seus préstimos, receberam gigantescas importâncias em dólares falando-se, no caso da China, de uma reserva de divisas de $ 2 milhões de milhões. Repare-se que se trata de promessas de pagamento de um subsistema outrora líder incontestado do mundo e cuja moeda hoje corre perigo de virar “dinheiro macaco”. Basta que só a China coloque apenas uma parte dessas divisas à venda nos mercados mundiais e já está.

 

Esperemos para o bem de todos nós que a Pax Americana em breve volte a caír em pé ganhando, assim, um novo e são folego. Costuma-se dizer nestes casos aparentemente perdidos que “isto já foi chão que deu uvas” mas com a estratégia certa – objectivo: maximização de benefícios em vez de maximização de lucros – é perfeitamente possível que um chão esgotado volte a dar uvas.

 

Escrevi sobre isto no meu artigo anexo que foi publicado no jornal VidaEconomica de 23.11.2007.

 

Voltando ao Brasil: é sabido que tanto na fase crescente e de auge da construção de sóciosistemas pujantes e sãos – sistemas abertos! – como no seu declínio/saque – sistema fechado – se pode ganhar fortunas colossais. Alimentando as primeiras uma espiral de desenvolvimento positiva que não conhece limítes, as segundas alimentam a espiral negativa de um aparente sucesso que não deixando de ser passageiro reserva no fim a queda.

 

Sendo amigo do Brasil, espero que este grande país saiba distinguir as situações e encontre uma maneira para proteger-se contra o turbilhão final que vai engolir tudo. O Brasil tem pontos fortes únicos e inconfundíveis que terá que identificar* para explorá-los seguidamente em prol de algum grupo-alvo privilegiado onde podendo dar cartas deixa de precisar participar no saque aos ecosistemas. Só assim terá um sucesso sustentável a médio e longo prazo sem graves reveses.

 

Quanto mais Globalização, melhor – mas uma Globalização sob outros sinais e virada para fora e não para dentro!

 

RD

Rolf Dahmer

* Tem uma boa base, p.ex., Embraer, etc.