Brasil: golpe (de Estado) mediático em curso?

Perante a cobertura mediática da crise política no Brasil, que não se tem pautado pela isenção e que insiste em tratar de forma diferente aquilo que é igual, a televisão Al-Jazeera apresenta-nos uma nova perspectiva sobre os acontecimentos que tem marcado o Brasil, com o foco na cobertura mediática da imprensa brasileira, cujos principais órgãos de comunicação social são controlados por famílias ligadas ao regime ditatorial e, actualmente, à direita brasileira. O caso da Rede Globo e da família Marinho, que ergueu o seu gigantesco império de comunicação social com o apoio da ditadura, ilustra bem o seu posicionamento e a forma sectária como tem acompanhado a crise brasileira. [Read more…]

Breve sumário da crise política brasileira

A era da informação trouxe-nos um obstáculo de maior quando nos debruçamos perante este tipo de acontecimentos: a cada hora que passa, o rol de informações e contra-informações que os órgãos de comunicação social nos dão a conhecer a uma velocidade, diria, de torpedo, fazem com que por vezes, o nosso discernimento sobre o ponto de situação seja cada vez mais difícil e confuso. Grande valia no mundo actual é conseguir, no meio do cataclismo informativo que nos injectam, conseguir criar uma âncora que nos permita fundar uma opinião limpa e isenta.

Sobre a actual crise brasileira, resumidamente, chego a 4 conclusões e 3 dúvidas:

[Read more…]

Respostas para a crise no Brasil?

87_1280

Escrevi, há dias, um post sobre a crise no Brasil que, mais do que respostas, fornecia perguntas. A minha ignorância, a distância, o desconhecimento de muitos dos protagonistas e dos seus interesses e ligações, a não verificação da verdade ou da mentira nos “factos” mediáticos, a velocidade dos acontecimentos e a minha própria estupefacção, tudo isso me aconselhava a ter mais dúvidas do que certezas.

Nestes dias vertiginosos fui procurando entender melhor a situação. Avancei pouco e, separado o joio, quase não me sobra  trigo.

Duas ou três certezas,  tenho: o país está divido, a Política e a Justiça não estão devidamente separadas (e ambas albergam muita gente pouco recomendável), o regime (não me refiro ao governo) precisa de refundar-se, a corrupção é transversal e endémica – chegando-se ao ponto de indiciados e pronunciados por corrupção se atreverem, sem um pingo de vergonha ou de oposição no interior dos seus próprios partidos, a acusar, apreciar, votar e pertencer a comissões de investigação de corrupção (aqui chegados, estamos no grau zero da credibilidade)-, a democracia corre riscos evidentes de sequestro. [Read more…]

Dilma tinha que nascer duas vezes para perceber tanto destes esquemas como Cavaco

CSDL

Anda por aí muito moralista de direita nacional indignado com o esquema engendrado por Dilma Roussef para proteger Lula da Silva da justiça brasileira. Questiono-me sobre onde estavam eles em 2008, quando o caso BPN rebentou e Dias Loureiro, antigo ministro de Cavaco Silva e referência de Pedro Passos Coelho, gozava da imunidade de conselheiro de Estado que o manteve protegido da investigação em curso durante mais de um ano. Apesar dos factos e do escândalo, Cavaco recusou-se a destituí-lo do cargo e deu ao seu amigo 15 meses para se preparar para o que aí vinha. Claro que, como estamos em Portugal, a culpa morreu solteira. Portanto se alguém achava que Dilma foi particularmente original com a nomeação de Lula da Silva para a sua Casa Civil, Cavaco está cá para provar à lusofonia que usar o poder para proteger amigos da justiça não é novidade nenhuma. Dilma tinha que nascer duas vezes para perceber tanto destes esquemas como Cavaco.

A imparcialidade de Itagiba Catta Preta Neto

Itagiba

Um juiz não deixa de ser um cidadão de pleno direito pelas funções que exerce. Mas é expectável que assuma uma postura de imparcialidade. Não parece ser o caso de Itagiba Catta Preta Neto, o juiz que ontem suspendeu a nomeação da Lula da Silva para a Casa Civil de Dilma Roussef, assumido apoiante de Aécio Neves, principal opositor de Dilma Roussef nas últimas eleições brasileiras, e autor de inúmeras publicações contra o governo brasileiro nas redes sociais. O apelo à queda de Dilma para que os brasileiros, perdão, as elites dos helicópteros possam voltar a viajar para Miami e Orlando porque a queda da presidente levaria à queda do dólar é absolutamente notável. Já o embaraço causado é tal que este juiz se viu forçado a desactivar a conta no Facebook. A internet, porém, não perdoa.

Para entender melhor a crise no Brasil

palacio_planalto

Uma leitora brasileira enviou-nos uma lista de sites e blogues de jornalistas que dão uma visão dos acontecimentos no Brasil a partir de quem os vive de perto.

Se a situação é complexa e divide os brasileiros, ainda o é mais para quem, a partir de Portugal e da nossa imprensa, tenta compreendê-la. Estamos perante uma tentativa de “golpe de estado judicial”, como já li? Existe uma campanha orquestrada para derrubar Lula? Essa campanha conta com o apoio dos militares e da Globo? É possível, como também li, que se corram riscos sérios e generalizados de derramamento de sangue nas ruas? Ou tudo não passa, afinal, de uma manobra desesperada do PT para boicotar uma investigação judicial? Dilma e Lula deram um tiro no pé com a recente nomeação do ex-presidente como ministro? Quais as consequências desta crise para a democracia brasileira? [Read more…]

Brasil: o povo na rua?

Brasil

Flutes, iates, limousines e extrema-direita. Eis a face visível da agenda política que procura aproveitar o tiro no pé do governo de Dilma para regressar ao passado de opressão e exploração do povo brasileiro. Os tais que se manifestam pelo fim da democracia. Que se manifestam contra o direito de se manifestar. Irónico e triste.

Fotomontagem via Diário de uma Cadeirante Cinefila

Pelo fim da democracia

Brasil

Já aqui falei sobre o tiro que Dilma Roussef deu no próprio pé. Usar o poder para evitar que Lula da Silva enfrente a justiça é um grave abuso e custar-lhe-á muito caro. Mas desenganem-se aqueles que vêm nestas manifestações nada mais do que patriotas a lutar pela democracia. Alguns assumem-no e pedem mesmo o fim da democracia e uma intervenção militar no Brasil. Sim, existe revolta genuína contra a corrupção que esmaga o Brasil. Mas também existe uma agenda política. Uma agenda que não hesitará em reverter o recuo do fosso e do grosso das políticas com que o PT tirou milhões da miséria. Assim vai o Brasil, encurralado entre a corrupção, a ganância e o fascismo.

Conselheiro do Papa Francisco defende Lula da Silva

Carta de Leonardo Boff.

Lula

Nem tudo é o que parece.
As manifestações “espontâneas” de cidadãos, do Brasil à Ucrânia, de Hong Kong ao Cairo, são operações militares organizadas a partir do exterior com o propósito de criar instabilidade e operar mudanças de governo ou regime. Na verdade são actos de guerra disfarçados de grandes clamores democráticos e revolucionários que, sob pretextos as mais das vezes pouco imaginativos, lançam o caos nas ruas e a desordem nas instituições.

O Brasil está sob ataque há vários anos, pagando o preço da sua política de alianças internacionais, designadamente no contexto dos BRICS. Lula aceita ser ministro e faz muito bem.

O resgate de Lula da Silva

LulaDS

Quando um político suspeito de envolvimento em crimes de corrupção vem a terreiro afirmar “estou vivo e sou mais honesto que vocês“, a tendência que tenho é para desconfiar. Quando esse político, em vias de ser detido, é resgatado pelo governo do seu partido e transformado em ministro, tornando-se assim imune à investigação do gigantesco caso de corrupção que o poderia levar para a prisão, então a margem para dúvidas torna-se praticamente nula. Bem sei que Lula da Silva tirou milhões de brasileiros da pobreza e das garras da exploração de um país que tem tanto de rico como de desigual. Mas isso não pode justificar tudo. E se Lula é mesmo inocente, gritar que é honesto para de seguida ser blindado dos avanços da justiça por uma jogada política desta natureza não abona rigorosamente nada em favor da sua pretensão. As ruas cheias de protestos são o espelho disso mesmo.

Foto: Reuters@DN

Basta que saibam ler e escrever

Luiz Inácio Lula da Silva

Descobrem-se coisas fantásticas, talvez ainda mais fantásticas que uma nova partícula. Por exemplo: a licenciatura RVCC de Miguel Relvas é perfeitamente legal, e as suas mentiras sobre habilitações ficam-se afinal por umas cadeiras que disse ter feito mas parece que não fez.

Pela parte que me toca, além da fascinante observação de que muitos dos que discutiram outra licenciatura dizem agora o contrário numa finta de camaleão digna da pátria dos vira-casacas, e não me querendo misturar com quem tem da crítica política a noção de que vale tudo incluindo fechar os olhos, quero deixar aqui bem claro como me estou nas tintas para as habilitações enquanto parte sequer interessante na apreciação de um político de carreira (já o conceito de carreira política me irrita um bocado, mas isso é outro assunto). [Read more…]

Com muito orgulho

na minha universidade, que tem as suas coisas, mas também tem destas:

lula honoris causa coimbra @arturcouto

Lula da Silva, doutor honoris causa pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra

E depois uma aragem de ironia deve ter varrido a Biblioteca Joanina, obra superior do nosso barroco-com-o-ouro-do-Brasil, quando os presidentes agora a visitaram. Espero que nenhuma das lâminas do ouro com que Manuel da Silva por ali ornamentou se tenha desfolhado das madeiras, rindo à gargalhada.

fotografia Artur Couto

Força, Brasil

No dia em que o Brasil sofre a maior calamidade dos últimos 50 anos e quando muitas pessoas lutam ainda para não morrer, todas as palavras de apoio seriam poucas e todas as críticas demasiadas.

Fica apenas aqui um discurso recente e histórico de Lula da Silva, a quem alguns chamaram “o apedeuta”. Porque a força está no homem e não na sua condição, força nesta hora difícil, Brasil.

“Foi gostoso governar o Brasil”

blogue-lula-lulaObrigado Lula da Silva por teres  demonstrado à evidência e sapiência que governar um país não depende de habilitações mas da sabedoria, e a sabedoria não se aprende apenas nos livros e só existe quando também aprendemos fora deles, obrigado Lula da Silva pela lição de História  que deste ao mundo, em particular ao pequeno mundo dos que te cognominaram de apedeuta, os idiotas do costume, obrigado Lula da Silva por seres povo, e no Brasil pela primeira vez povo ter sido presidente.

Obrigado, obrigado, obrigado.

Os silêncios de Lula da Silva


Estes novos-ricos do petróleo têm atitudes que oscilam entre a discrição – quando o preço baixa – e a arrogante empáfia -, quando existe uma maior recolha de proventos. Se durante anos nos habituámos às variantes de humor de Putin, existe agora um novo ponto de interesse.

Lula da Silva herdou uma situação económica mais saneada e de facto, a presidência de Fernando Henrique Cardoso marcou a viragem há muito aguardada pela imensa maioria dos brasileiros. Lula prosseguiu a sua política de aproximação às camadas mais pobres e foi capaz de capitalizar a esperança de dezenas de milhões. A ele se deve o renascimento da esperança para uma mole imensa de desesperados pela miséria.

O gigante brasileiro hoje pode surgir de forma mais evidente na arena internacional, proporcionando também a oportunidade dos seus dirigentes, sobretudo Lula da Silva, de por vezes assumirem posições pouco consentâneas com o almejado estatuto de “futura grande potência”. Embora faça parte do grupo “BRIC”, o Brasil ainda está longe de ser uma Rússia ou China.

Relações controversas com alguns dos párias da comunidade internacional, mancham aquela desejada credibilidade que é apanágio de regimes estáveis e cumpridores dos requisitos impostos pela diplomacia internacional. A lista é conhecida, desde Chávez a Moralles, os irmãos Castro e Ahmadinedjad. Com profundos laços económicos estabelecidos há muito com o seu grande vizinho do norte – os EUA -, estranha-se esta insistência no fechar de olhos perante aquilo que todos reconhecem ser situações anacrónicas, onde o despotismo se mescla com o populismo revanchista. Internamente usando da retórica conveniente dos “direitos humanos”, Lula passeia-se como um igual nas capitais dos ditadores, num ostensivo silêncio perante abusos que inevitavelmente desacreditam o posicionamento do seu governo noutras latitudes bem mais decisivas, no hemisfério norte. Se a isto acrescentarmos os ímpetos rearmamentistas com o claro propósito de fazer figura – apesar das controversas compras efectuadas em França -, urge colocar a questão: quem quer Lula impressionar? Pretenderá apenas tomar posições para consumo interno, excitando uma opinião pública onde hoje já se denotam euforias de prometida grandeza, ou pelo contrário, terá Lula da Silva qualquer tipo de ilusões acerca do verdadeiro conhecimento que americanos e europeus têm acerca da realidade política e económica brasileira?

[Read more…]

Uma matriarca à maneira

 

"Dona Canô", a mãe do cantor brasileiro Caetano Veloso, afirmou que vai pedir desculpas em seu nome ao presidente Lula da Silva, depois do filho o ter chamado de "analfabeto".

Com 102 anos, a popular "Dona Canô" garante que esse pedido será feito em pessoa quando Lula da Silva visitar o Estado da Baía, avançou o diário A Tarde de Salvador.

Também mãe da cantora Maria Bethânia, Claudionor Viana, assim se chama Dona Canô, expressou o seu incómodo pelas declarações do filho Caetano, que, no dia 5 de Novembro, classificou Lula como "analfabeto, ordinário e grosseiro".

Dona Canô é ainda mãe da poetisa Mabel Veloso e de outra cantora, Belô Veloso. Mas é mais que uma mãe, que uma lutadora, que uma protagonista de décadas de vida do Brasil. É também um símbolo. Da Baía e do Brasil. Uma matriarca à moda antiga.