CDS-PP: não se passa nada.

 

Submarinos, Paulo Portas, Escom, contrapartidas, Jacinto Leite Capelo Rego e BES. Não se passa nada.

Portucale, Telmo Correia, Herdade da Comporta, despacho de última hora, abate de sobreiros, Abel Pinheiro e BES. Não se passa nada.

Casino de Lisboa, Telmo Correia, Estoril-Sol, despacho de última hora, Abel Pinheiro, Paulo Portas e uma tal de “coisa”. Não se passa nada.

Helicópteros, Paulo Portas, 60 mil cópias de documentos, contrato tóxico e BES. Não se passa nada.

Apesar da presença assídua de Telmo Correia, Abel Pinheiro e dos famosos despachos de última hora, dois nomes sobressaem entre os restantes: Paulo Portas e BES. E era isto que vos vinha cá dizer. Não admira que este vídeo incomode tanta gente no Largo do Caldas. E na Comporta. Mas não se passa nada.

via Uma Página Numa Rede Social

 

E quanto tempo demorou este circo?

Absolvidos todos os arguidos do caso Portucale

Mais um rato parido pela justa montanha. Agora é de pedirem indemnização por terem sido perseguidos estes anos todos.

PS, PSD e CDS de acordo: é preciso cortar na despesa pública

O submarino Tridente vai ficar fundeado em frente ao Ministério das Finanças: dali não sai nem mais um milhão.

Chama-se Tridente em homenagem ao trio partidário que o adquiriu. As instalações sanitárias foram batizadas Sala Portucale, por sugestão do líder do CDS, e serão inauguradas pelo seu conhecido apoiante Jacinto Leite Capelo Rego, ele mesmo, numa homenagem à sociedade civil e à forma como voluntariamente contribui para o financiamento partidário.

Portucale, ou o que também vai acontecer ao processo Face Oculta

Vá lá, “31 meses depois de os arguidos terem sido acusados no âmbito de um inquérito que demorou quase tanto tempo a ser investigado como a entrar na fase final da instrução” começou o debate instrutório do processo Portucale, ou se quiserem do caso BES/CDS.

Como é natural os ex-ministros nem sequer são arguidos e estes mesmo que sejam condenados recorrerão até ao infinito, cumprindo eventualmente pena depois de atingirem a simpática idade de 102 anos, não houvesse uma prescrição pelo meio.

Valham-nos as escutas, as fugas ao segredo de justiça e o jornalismo de buraco de fechadura.