Os esforços dos EUA para compreender Mossadegh

O Departamento de Estado publicou a história oficial do golpe da CIA no Irão. Veja também este artigo.

Jogar às cartas com a CIA

A espionagem norte americana achou que valia a pena vasculhar os computadores dos informáticos e, por isso, construiu uma ferramenta de hacking dirigida a um dos editores mais usados por estes profissionais, o Notepad++. Para isso, construiu um pedaço de software, semelhante ao original e que é carregado pelo Notepad++ quando este começa a correr (detalhes).

O que espera a CIA encontrar no computador de um programador? Possivelmente, fotografias de miúdas, ou não fosse essa a forma como o Facebook começou. A parte perturbante em todo este processo é, um dia, estamos a jogar Solitaire e descobrirmos que, afinal, não estamos sozinhos. Your turn, Dude – ouviu-se em timbre metálico no altifalante do computador.

Sorria

Todos os equipamentos electrónicos com ligação à internet, incluindo automóveis ou outros veículos de transporte, têm uma “porta dos fundos”, quer dizer, a possibilidade de serem totalmente comandados à distância sem o conhecimento do seu proprietário ou utilizador. Seja ele um cidadão comum, ou um chefe de estado – Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, tem sido espiado, designadamente através do seu telemóvel, vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana. O sistema operativo Windows, só para dar um exemplo, já traz de origem o código que permite a intrusão, vigilância, manipulação, cópia ou destruição de ficheiros e de hardware, incluindo microfones e as câmeras de vídeo. O mesmo se aplica a smartphones, Ipads, smart tv e por aí adiante.

Esta é, sucintamente, a última revelação da Wikileaks.

Não é claro, nesta altura, se a informação assim obtida estará a ser comercializada, ou de algum modo partilhada. Ou seja, não se sabe, embora isso seja plausível, se os detentores da tecnologia que permite este tipo de acção prestam “serviços” a clientes – leia-se Estados ou grandes empresas – espalhados pelo mundo, como, por exemplo, em Paris, em Bruxelas ou em Freixo de Espada à Cinta.

[Read more…]

Contas da História

If ever there was a time for America to look at itself in the mirror, if ever there was a time of reckoning and accountability, it is now.

Ariel Dorfman
Conselheiro Cultural de Salvador Allende, entre 1970 e 1973

State of Surveillance

state_of_surveillance

State of Surveillance – episódio da série VICE da HBO sobre os programas de vigilância desenvolvidos por países como os EUA. Mostra-se neste episódio como é generalizada a vigilância, feita em nome de causas sempre nobres, seja o combate ao terrorismo ou outra coisa qualquer. Mostra-se também como estes programas de vigilância falham completamente os seus objectivos expressos ao mesmo tempo que retiram direitos aos cidadãos e se criam ferramentas de opressão a estados ditatoriais.

Em inglês.

Será Arnaldo Matos um ex-lacaio da CIA?

Arnaldo Matos, um revolucionário de gravatinha.

Arnaldo Matos, um revolucionário de gravatinha (foto Ana Baião).

Nos anos 70 havia fortes suspeições que o MRPP (por onde passou Durão Barroso e outros ilustres do PSD) tinha sido um partido criado pela direita com patrocínio da CIA para minar o PCP. Não sou eu que vou deslindar esse mistério, mas o que é certo é que em posteriores atos eleitorais a sigla PCTP e o símbolo do partido não pararam de roubar votos ao PCP (sou do Bloco, aviso já). Ainda nas últimas eleições, na minha mesa eleitoral, fui abordado por uma senhora com cerca de 40 anos para a ajudar a identificar o seu partido no boletim de voto. “Não consigo ver bem os símbolos”, disse-me. Acompanhei-a à saída onde estava um poster com uma réplica do boletim de voto. Vi-a passar o dedo pelo MRPP e disse “não é este”, e depois pela CDU “é este”. Esta foi a função mais relevante do MRPP na sociedade portuguesa desde que foi a votos: roubar votos ao PCP. Nunca governaram, nunca assumiram responsabilidades políticas, apenas roubaram votos ao PCP, votos estes que nunca serviram para nada a não ser a direita. Parabéns Arnaldo Matos pelos préstimos à direita. Não sei se alguma vez foste pago pela CIA (como muitos infiltrados em partidos de esquerda europeus financiados pela French Connection, essa belíssima criação da CIA), mas parece. O que escreveste no editorial da Luta Popular desta semana poderia ser um texto escrito por um órfão da CIA, ressabiado, confuso sem saber o que mais fazer para destruir a esquerda, na ressaca do fim da Guerra Fria e do fecho das torneiras que alimentavam os lacaios infiltrados nos partidos de esquerda europeus. Não sei se assim foi, mas poderia ser.

Bin Laden vivo e de boa saúde

a desfrutar de uma vida faustosa nas Bahamas, financiada pela CIA. É o mais recente assobio de Edward Snowden.