Martim & Gonçalves, a nova música portugesa

Apadrinhada pelo saudoso Relvas eis a nova boy band portuguesa, Martim & Gonçalves, uma dupla nacional empreendendo-lhe os ouvidos numa renovada mocidade portuguesa perto de si.

E se de repente tiver vontade de dizer parvoíces sobre o desemprego

…isso é impulso jovem.

Passos Coelho criticado

“Muitos dos desempregados não querem trabalhar ou são maus a fazê-lo”

Há mais vida para além de “bater punho”

Miguel mostra alternativas a "bater punho"

Miguel mostra alternativas a “bater punho”

“Bater punho com a Tânia até às tantas…”: Esta frase do Miguel Gonçalves, o rapaz do Impulso Jovem que acabou antes de começar, martela de forma impiedosa na minha cabeça suscitando-me várias perplexidades:
– porque razão duas pessoas jovens e saudáveis não encontraram nada mais interessante para fazer?
– e depois, será que nunca lhes passou pela cabeça variar?
– ou ainda, e porquê até às tantas? Podiam, por exemplo, começar por bater um bocado de punho no carro; em seguida ir comer uma refeição ligeira a um sítio giro; fazer depois um passeio romântico e filosofar sobre os mistérios do Bom, do Belo, do Justo e do Verdadeiro; trocar promessas eternas, quaisquer que fossem; querendo mesmo, bater mais um bocado de punho, vá; e, por fim, passar aos capítulos seguintes do empreendedorismo com paixão em local mais recatado.
Perante tão escatológicas dúvidas decidi atirar-me aos escaninhos da minha memória, não deixando gaveta por revirar, almofada por levantar ou canto por espiolhar e, após alguns minutos, o meu subconsciente regurgitou outro pensamento do Miguel Gonçalves que trouxe alguma luz sobre o assunto e, ao mesmo tempo, aportou novas interrogações. Suponho que o processo do Conhecimento seja sempre assim: niilismo, cinismo; sarcasmo e orgasmo!
Que terá dito o tipo de tão interessante que justifique tais prolegómenos? Helás! aqui vai: “se não os sentes a tremer é porque não está a acontecer”. Como vêem este pensamento, se conjugado com o anterior, abre todo um universo de respostas e interpretações. Mas também vem prenhe de um alargado conjunto de interrogações e perplexidades.
Talvez não haja contradição entre “senti-los a tremer” e “bater punho”, podendo “estar a acontecer” o primeiro em consequência do segundo. Ou talvez seja outra coisa… Não tenho uma resposta pronta, mas prometo continuar a debruçar-me sobre o assunto e, muito em breve, voltar a ele mal encontre algumas respostas.

Desta vez a culpa não é do Relvas

Foi do Luís M. Jorge.

Muito bem lembrado

De Carolina Patrocínio a Miguel Gonçalves. Memória de elefante.

Ah ganda Relvas

Qual currículo, licenciatura, qual caralho, um gajo vai à empresa e diz ao patrão: tenho aqui uma ideia, e bate o punho, o patrão vem-se e pimba, emprego.

Miguel Relvas encontrou o seu gémeo em novo. No Youtube.

Ó puto Passos Coelho, toma lá este para ministro dos transportes: [Read more…]

Ó Miguel?

Tu? Ao lado do Relvas?

Confesso que estava mais à espera do apoio do PCP ao Governo do que … Desilusão!

Para Começar Bem 2012 – De Braga para o Mundo…

TEDx_BRAGA com Miguel Gonçalves, sempre a bombar, e com sotaque à Braga.

Mete qualquer jotinha no bolso…