Como ouvir YouTube no Android em segundo plano

Este post foge aos temas habituais do Aventar, excepto se considerarmos que políticas de utilização de software também são Política. O que até é o caso, como veremos.

O problema
Quem use a app do YouTube cedo descobrirá que o vídeo que esteja a tocar parará logo que esta deixa de estar em primeiro plano ou se se bloquear o ecrã. O mesmo ocorrerá com vídeos a serem reproduzidos no browser (na maioria destes, como veremos). Quem concebeu este comportamento talvez tenha querido proteger o utilizador de apps mal comportadas em termos de consumo de energia – daí as suspender ao deixarem de estar em primeiro plano.

Mas não é disso que se trata no caso do YouTube. Os termos de utilização deste serviço explicitam que o acesso aos seus vídeos, seja pela app oficial, seja por outros serviços, têm que parar a execução do vídeo sempre que a app deixa de estar em primeiro plano ou se o ecrã for desligado.

No entanto, quando os vídeos são tocados num computador, essa limitação já não é imposta, o que se perfila como sendo uma dualidade de critérios. [Read more…]

Nuno Carvalho da Padaria Portuguesa não convive bem com a verdade dos factos

nuno-carvalho

Ontem, interroguei aqui, confesso que a título exploratório, o porquê do vídeo publicado aqui  neste post, e de outras versões dos mesmos conteúdos republicados no Youtube terem sido misteriosamente retirados ou terem misteriosamente desaparecido da vista humana no referido site de partilhas de vídeos.

A resposta está dada: as republicações no Youtube foram retirados graças a vários reports à administração do site, declarando que o vídeo em causa violava os direitos de propriedade intelectual? Propriedade intelectual? As declarações de Nuno Carvalho devem ser entendidas como propriedade intelectual? Os pais do liberalismo moderno ou neoliberalismo como Hayek, Milton Friedman ou Von Mises devem estar às voltas na tumba porque no fundo ninguém gosta de andar à roda anos e anos a estudar os fenómenos da vida social e económica para depois ser surripiado intelectualmente à má-fé por um simples padeiro, fazendo jus à profissão por si declarada publicamente aqui na entrevista que saiu hoje no Caderno do Expresso.

[Read more…]

Esconde, esconde Nuno!

Já se aperceberam que depois de Nuno Carvalho, o repugnante sócio-gerente da Padaria Portuguesa ter dado um cravo na ferradura numa 2ª oportunidade concedida pelo Expresso, todos os vídeos do 1º acontecimento desapareceram do Youtube? 

Ah ganda Relvas

Qual currículo, licenciatura, qual caralho, um gajo vai à empresa e diz ao patrão: tenho aqui uma ideia, e bate o punho, o patrão vem-se e pimba, emprego.

Miguel Relvas encontrou o seu gémeo em novo. No Youtube.

Ó puto Passos Coelho, toma lá este para ministro dos transportes: [Read more…]

Porta dos Fundos 3

inclui:

uma foda, o cu não é de vocês

Pedro Passos Coelho e a EMI

passos coelho youtubeEis o que acontece quando tentamos ver um dos vídeos de resumo da campanha que levou Passos Coelho à presidência do PSD. Aparentemente alguém se deve ter esquecido que usar, no youtube, a mesma música todos os dias sem pagar direitos de autor ia trazer problemas.

Amadores, tão amadores como o chefe, vê-se agora em pleno governo.

 

Porta dos Fundos

Parece que  são cinco humoristas mais uns actores, e uma equipa de filmagens que faz baratinho mas muito bem feito. Porta dos Fundos não é numa televisão,  é num canal do Youtube. Começaram por moer o juízo a uma cadeia de restaurantes. Como no Brasil há quem perceba de marketing viral não foram processados, foram contratados.

Um humor arraçado de britânico (esta Versão Brasileira é tão monty que até já foi fedorentada), non sense e descontracção brasileira, ou seja: muita bicheza, muita foda, muita blasfémia.

O português, ao contrário do que acha o Dario (que já aqui publicou a sobre mesa,  obra-prima até ver) não é tão fácil de entender como isso, mas tem legendas, em caso de desespero.

Vídeos curtos à 2ª e 5ª,  na primeira 2ª de cada vez programa de 15 minutos.

Fica o primeiro:
[Read more…]

Youtube vai ter que aumentar

Pois é.

Em cada Mega – agrupamento, mais de 50 professores serão despedidos. Nos agrupamentos “normais” o número andará à volta dos trinta.

Os números apresentados pela FENPROF que elevam os números totais para a casa dos vinte mil parecem pequenos.

Isso – dia 1 de setembro de 2013 mais de vinte mil professores que hoje educam os nossos filhos serão despedidos em nome da TROIKA.

O youtube vai ter que crescer. E não faltarão bolachas.

Aviso à navegação

A página no Facebook de Artigo 21.º desapareceu sem deixar rasto.
Consta que já havia sido apagada uma vez, vá lá saber-se por quem e porquê. Aconteceu o mesmo a todos os seus vídeos no Youtube.
Agradeço a quem tiver conhecimento do motivo que o faça saber.
Obrigado.

Jorge Meireles

imagem do artigo 21º guardada no Aventar

A orca que matou a treinadora


O vídeo está no YouTube e noutros sites. As imagens são impressionantes. Uma orca atacou a treinadora, Dawn Brancehau, num parque temático da Flórida. Só por si, o facto de ser notícia demonstra que estamos na presença de um caso muito raro, por isso a questão que me traz aqui é outra.
No meio da tragédia pessoal, o que me interessa neste «post» é levantar a questão da utilização dos animais para o divertimento do ser humano. E dentro desta área, podíamos abordar espectáculos mais bárbaros, como a tourada, o circo ou as corridas de cavalos, ou outros que à partida parecem menos violentos, como os «shows» com orcas ou golfinhos ou os passeios de póneis. Os próprios Jardins Zoológicos, que retiram animais do seu «habitat» natural e os confinam a uma prisão para sempre. Maior ou menor, o grau de sofrimento do animal nestes espectáculos é sempre considerável. O sofrimento, a ansiedade, o desconforto, o «stress».
Poderia recordar aqui o artigo 10.º da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, que Portugal assinou – 1. Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem. 2. As exibições de animais e os espectáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.»
Mas claro que todos sabemos isso. Sabemos mas, mesmo que concordemos, não praticamos. Acredito que não seja fácil explicar a uma criança as razões pelas quais não deve querer ir a um circo. Acredito, mas da minha parte, quando chegar a altura, é o que vou tentar fazer.

Como o "youtube" mudou a minha vida!

Foi há  cinco anos que nasceu o youtube tal qual o conhecemos hoje disse-me quem sabe disto e sabe como tratá-lo e como usá-lo, e assim por diante, de modo que deve ser verdade. O que eu quero aqui dizer muito dramaticamente é que nos primeiros nunca tive acesso ao “youtube”. O meu filho vivia cá em casa e achava que eu  perseguia no “youtube” coisas que ele considerava não apropriadas para a minha idade e, como tal, não tinha acesso, ou porque o computador não estava “up-to-date” e o vídeo não corria ( francamente, nunca vi nada em condições…) depois porque a minha vida era muito intensa e eu também não tinha muito tempo, a verdade é que só há dois, três anos é que comecei a ver o que se encontra no “youtube”. [Read more…]

O youtube dos tesouros ocultos

Seguindo o mapa, ou navegando à deriva, os novos navegadores encontram tesouros insuspeitos:

Os Wodaabe, os pastores do sol, filmados por Werner Herzog.

[Read more…]

Do YouTube ao PornoTube

http://www.pornotube.com/player/v.swf?v=bT0xNjk5NzYxJmFtcDtsb2NhbD1mYWxzZSZhbXA7dT0zNg==
O YouTube abriu há 5 anos um novo mundo na pantalha virtual. Como o Google, por exemplo, embora a uma dimensão menor. Hoje em dia, faz parte do nosso dia-a-dia. E como não poderia deixar de ser, começaram a surgir os derivados. Só se copia o que é bom. E assim nasceu o TeacherTube, dedicado aos professores; o Tangle, dedicado aos cristãos; o Totlol, dirigido às crianças; o GifTube, especializado em animações; o ShoeTube, sobre sapatos; o PornoTube, para amantes do porno, e muitos mais.
Completamente ao calhas, escolhi este último para destacar. É um site que funciona exactamente como o YouTube, com a diferença de que é restrito a menores de 18 anos. Quem quer aceder tem de colocar a sua data de nascimento, o que, como se supõe, evita desde logo a entrada de menores. Iam agora os putos mentir quanto à sua idade!
Depois de entrar, tem várias secções, dirigidas a hetero ou gays e uma caixa de pesquisa que permite ir directo ao tipo de vídeo que se quer ver. Diz que é um site muito educativo. Eu não sei, que nunca lá entrei…

Youtube e o valor da memória

Há cinco anos atrás, pelas mãos, e génios, de Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim, abriu-se um espaço de memória fantástico, que nos permite recordar pérolas como esta:

Filmes de animação para ver no Youtube

Pigeon:Impossible, é um filme de animação realizado pelos estúdios Martell Animation e colocado no Youtube pelo seu criador, Lucas Martel. Em pouco mais de um ano atingiu o número fantástico de quase quatro milhões de visualizações.

O Youtube como poderoso instrumento de divulgação…

… revela-se igualmente no caso de Muto, do autor que assina BLU, uma animação de baixo orçamento, filmada nas ruas de Buenos Aires aproveitando grafitis e elementos da chamada street art. Mais de seis milhões de visitas até agora, confirmando o Youtube como gigantesca plataforma onde projectos aparentemente dirigidos a públicos minoritários encontram, afinal, os olhos abertos do mundo.

[Read more…]

O youtube do humor

Nunca tivemos à mão tantos e tão eficazes antídotos para os dias cinzentos. Para cada estado de espírito de tendência depressiva, o seu particular remédio.

A pílula nonsense:

[Read more…]

O meu Youtube

Sou do tempo em que o acesso à NET se fazia com uma banda sonora muito particular: os ruídos de um modem capaz de nos conectar através de uma linha telefónica a essa velocidade de sonho: 56 K.
Modem 56K
Lembro-me de fazer páginas com meia dúzia (literal) de KB, seguindo o lema, less is more.

Recordo, sem saudades, a primeira imagem que coloquei num site e o cuidado que tinha com o seu tamanho – vídeos era coisa que ninguém ousava colocar na Web. [Read more…]

O primeiro vídeo do youtube

Este é o primeiro vídeo colocado no youtube, onde se vê um dos seus fundadores e nada de especial acontece.

Uma boa metáfora para muito do que o youtube viria a ser. O nada de especial pode ser importante para uma ou duas pessoas (certamente para os progenitores do rapaz, por exemplo), e a exposição ao mundo dessas coisas sem importância passou a uma forma de expressão cultural, chamemos-lhe assim por enquanto.

Nota: Hoje comemora-se a constituição de empresa youtube, por 3 funcionários da Paypal. O 5º aniversário do ínicio das emissões será a 23 de Abril.

O youtube censor em nome dos maus costumes

http://www.dailymotion.com/swf/x5udbj

Este vídeo,o excelente Gobbledigook dos Sigur Rós, foi retirado do youtube por pressão daqueles tarados sexuais que se excitam só de verem pessoas nuas nomeadamente as do seu próprio sexo e têm vergonha.

Está mal, e é o youtube no seu pior.

Como hoje é Sábado…

Ficamos a saber que Menezes não é candidato a líder, seguindo o exemplo de Marques Mendes e de Marcelo. Já só falta Aguiar Branco e Paulo Rangel. Já MFL prepara-se para juntar os trapinhos com José Sócrates.

Entretanto, Pinto da Costa bate recordes no Youtube e o Liedson ficou a saber que pode andar à batatada que nada lhe acontece, direitos de mercenário, segundo Duque.

Por fim, os Homens da Luta perderam a guerra e cortaram-lhes o pio. Mais um problema para a Justiça. Até o Twitter anda atarefada por estes dias e já nada é seguro. O que vale é que Cavaco quer um final feliz.

Continuação de bom fim-de-semana…

O que se diz por aí

Após o jogo com o Mafra, terá havido confronto físico entre Sá Pinto e Liedson no balneário, com murros á mistura. Entretanto o preço parece ter sido a demissão de Sá Pinto e eventual castigo a Liedson. Sá Pinto volta aos velhos tempos, a lembrar a selecção nacional e Artur Jorge. É de leão!
Do Haiti, vão chegando notícias díspares, desde resgates com sucesso, passando por expulsão de jornalistas no aeroporto por banda dos norte-americanos, até ao desespero de muitos haitianos e a evasão por mar rumo aos EUA.
Por cá, fala-se em redução acentuada do preço das chamadas telefónicas . A ver vamos em que é que isso se traduz em euros a cada um de nós.
Os condutores podem trocar a carta nos CTT. Para evitar a imobilização em filas no Instituto da Mobilidade e Transportes Terrestres.
Nesta praça global, parece que já há escutas do processo “Apito Dourado” disponíveis na Internet, tendo sido anunciada a sua disponibilidade no Youtube.
Também é noticiado que a embaixada espanhola em Portugal estaria a ser usada por rede mafiosa, segundo a “Operação Trufas Odesa” – que mais nomes irão inventar para operações de investigação criminal?!
Por fim, continuam os sinais de que em Portugal não há aumento de criminalidade violenta. Isto dos juízes quererem aulas de tiro deve ser apenas uma questão de enriquecimento curricular. Vamos ver daqui a uns tempos se os magistrados serão tão exigentes com os seus pares como são com os agentes policiais ou os cidadãos habilitados quando recorrem a armas de fogo para sua defesa pessoal.

A Década das Redes Sociais:

Este texto foi (ou vai ser) publicado no semanário Primeira Mão e foi escrito no passado dia 29 de Dezembro. Porém, ao ver ontem o programa Eixo do Mal da SIC Notícias, cuja escolha foi idêntica, decidi partilhar com o Aventar esta minha opinião de facto mais relevante da década finda. E já agora: qual foi, para vocês, o facto mais relevante?

Quando se olha para trás e se pensa em tudo o que passou de 2000 até 2009 podemos sempre procurar fazer uma escolha, subjectiva, daquilo que foi mais relevante. O 11 de Setembro e o terrorismo Islâmico, a eleição de Obama, a campanha pelo ambiente e nesta a forte componente mediática de Al Gore, a China e as restantes potências emergentes (Índia, Brasil, etc.), o Iraque, o Euro e o alargamento da União Europeia, a crise internacional dos últimos anos, entre tantos outros factos relevantes.

A ter de escolher um e apenas um, não posso deixar de sublinhar a força adquirida por um dos mais relevantes fenómenos da Era Digital: as Redes Sociais. Basta pensar num dado impressionante: o número de utilizadores das redes sociais na internet é de tal grandeza que, se todos habitassem no mesmo país, este seria o 3º mais populoso do planeta. O Myspace, o Facebook, o hi5, a blogosfera, o Orkut, o YouTube, o Twitter, o Flickr, o Second Life ou o Linkedln, fazem parte do quotidiano de milhões e milhões de pessoas, instituições e empresas. No caso português, somos o 3º país europeu com maior penetração das redes sociais (fonte: Comscore).

[Read more…]

Youtuibe

Não sei se é o chinês ou o caralho!

Dá-me o pito

Jónsi e Alex:

No passado dia 17 de Julho foi publicado um dos mais impressionantes trabalhos do ano e fortíssimo candidato a álbum do ano: Jónsi e Alex (Riceboy sleeps). Mais um projecto soberbo nascido na Islândia e sob a batuta dos Sigur Rós e das suas Amiina. Caros amigos, estamos perante a mais pura definição da excelência e mais uma pérola da música alternativa ainda pouco conhecida em Portugal.

Músicas que não me canso de ouvir…

Pedro Abrunhosa #2

O Concerto do Pedro Abrunhosa foi muito bom, como quase sempre.

Claro que passou toda a noite a criticar o Rui Rio, o que me deu um gozo especial por ver o ar atrapalhado de um ilustre sentado ao meu lado. Pois que não havia necessidade, eheheheheh. Pelo caminho fez o favor de apresentar uma música do seu novo trabalho, previsto para este ano. Muito boa e mexida. O PA é um provocador e fez jus a essa característica ao longo de todo o concerto que, por sinal, teve momentos absolutamente geniais.

O Pedro é um dos meus “cantautores” preferidos e aqui incluo os internacionais. Claro que já sei que me vão dizer que não tem voz, que é um facínora e mais do género. Como não o conheço pessoalmente nem tive hipótese do contraditório (as coisas que me pintam sobre o homem!), fico-me pelo autor de letras e músicas magníficas. Que canta como ninguém a minha amada cidade do Porto, que criou um dos melhores álbuns da história da moderna música portuguesa (Viagens). Que cantou Gisberta de uma forma comovente e corajosa; que defendeu o Coliseu como poucos se atreveram e lembrando que nós somos assim, de antes quebrar que torcer e muito senhores do nosso nariz, da nossa cidade, do que é nosso.

A música de Abrunhosa é poesia, é um cantar sentido, vindo das profundezas do ser e que nos toca, que nos leva rumo aos nossos fantasmas. É um génio. Uma vez, num artigo de opinião, escrevi que ele é o nosso Brel, o nosso Chico Buarque. Aqui “D´el Rey” gritaram alguns e insultaram-me outros tantos. Caguei. Só discuto com quem quero e no tocante a música, a poucos reconheço validade para uma discussão. Quem escreve músicas como “Será”, “Momento”, “Quem me leva os meus fantasmas”, “Se eu fosse um dia o teu olhar” ou “Balada de Gisberta” merece o Olimpo.

Aliás, “Balada de Gisberta” é uma das mais comoventes músicas algum vez escritas e cantadas em língua portuguesa e ficará, estou certo, na história. A coragem de Pedro ao criar este verdadeiro hino ao direito à diferença, ao chamar a atenção para esta profunda injustiça e para esta vergonha que se passou na nossa cidade merece mais que palavras. Fico-me com as suas “O Amor é tão longe e a dor é tão perto”.

Obrigado Pedro.

Em que estás a pensar?

Desde que abri uma conta no Facebook (FB) tendo aprofundado a suspeita de que vivemos vidas de fachada. Para quem não conhece, o FB transmite a cada uma das pessoas que compõem a nossa rede de amigos informação sobre as nossas actividades, mostra-lhes as fotos que colocamos online, as ligações para videos do youtube, conta os resultados dos testes tipo revista Maria que pululam por lá, das frases que se escrevem em resposta à pergunta central que o FB faz a cada um dos inscritos: “Em que estás a pensar?”.

Que essa seja a pergunta isco, aquela com que o FB espicaça os seus utilizadores, já não augura nada de bom, claro. Há perguntas demasiado perigosas e essa é uma delas. Tomem como exemplo o meu amigo A. (as letras são completamente aleatórias, claro). O A. é um artista, um homem de sensibilidade e talento, cujas noites, pensava eu, se consumiam numa boémia criativa onde não faltariam álcool, mulheres, poetas malditos, nuvens de fumo…

Mas quando ligo o FB e recebo a lista das suas actividades recentes, descubro que ele passa essas noites a ver videoclips dos anos 80, que busca, em sucessivos testes, a resposta a perguntas como “quem eras noutra vida?” e “de que cor é a tua aura?” e que, nas raras noites em que parece sair de casa, anuncia-o três dias antes em parangonas “Vai ser de arromba!!!”

Não é o único a surpreender-me, claro. A B. é uma mulher de muitas qualidades, solteira, atraente, profissionalmente bem sucedida, mas que, por ainda não ter encontrado o parceiro amoroso com que sonha, dá como resposta ao tal “em que estás a pensar?” confissões acerca do homem ideal, dos desencontros das suas relações amorosas, e até declarações explícitas que fazem corar de vergonha alheia.

E que dizer do C., que descreve cada uma das suas comezinhas actividades diárias com o detalhe de um maníaco? E fotografa a comida antes de tocar no prato para poder publicar uma imagem do seu jantar?

Uma atrás de outra, abrem-se janelas para um desamparo que por vezes é ridículo, mas nem por isso menos pungente. O que nos leva a contar o inconfessável, quando, na solidão das nossas casas, o único elo de ligação com o mundo é um teclado e no monitor se acende esse aguilhão. “Em que estás a pensar? Em que estás a pensar? Em que estás a pensar?”

Aliciaram-me com o argumento de que o FB seria uma ferramenta que me permitiria manter o contacto com os amigos geograficamente distantes, ou estabelecer contacto com pessoas com quem dificilmente me cruzaria de outro modo, mas quer-me parecer que o FB é muito mais do que isso. É uma janela para a solidão alheia. Eu que o diga, naquelas madrugadas em que me ponho à procura de videos da Nina Simone.