Quando o rigor está ausente das redacções portuguesas

expresso

acabam por ser os leitores a pôr ordem na casa.

RTP, onde o rigor impera

RTP

Não é preciso ser muito versado nas áreas da economia ou da estatística para perceber que há algo de errado com este gráfico. Por um lado temos os dados relativos ao crescimento económico de Espanha, Itália, Alemanha e França no 1º trimestre de 2016. Apesar do intervalo de 2,4 pontos percentuais que separam Espanha de Itália, os quatro Estados parecem estar todos no mesmo patamar de crescimento. Por outro lado temos Portugal, que apesar de estar atrás de Itália por escassas duas décimas, parece ter crescido apenas uma. Notem a diferença entre Alemanha e França, separadas por três décimas, e retirem as vossas próprias conclusões. É o rigor informativo do serviço público prestado pela RTP. José Rodrigues dos Santos deve estar orgulhoso.

Imagem via Os Truques da Imprensa Portuguesa

 

Rigor, meritocracia e outros contos para crianças com a chancela do PSD

Passos Frasquilho

Na corte do monarca laranja que não queria reinar para dar empregos aos amigos, previsibilidade é palavra de ordem. O soberano diz-se previsível e a corte comporta-se da forma previsível a que nos foi habituando.

Assim, fiel a uma tradição de recordes na nomeação de boys à prova de austeridade que nem Cavaco, Guterres, Durão ou Sócrates conseguiram igualar, há novas panelas que nos chegam com o selo de qualidade da São Caetano à Lapa. Miguel Frasquilho, transferido da bancada parlamentar laranja para o AICEP, contratou na passada semana uma secretária-geral-adjunta que, curiosamente, foi sua assessora nos tempos em que era Secretário de Estado do Tesouro no governo do traidor que virou as costas ao país que o elegeu primeiro-ministro para exercer funções de mordomo astronomicamente remunerado. O caso está envolto em polémica, com trocas de mimos entre a Administração e a Comissão de Trabalhadores, que aponta o dedo a Fraquilho por não ter aberto um concurso interno e por estar a perseguir a actual secretária-geral, que aparentemente não apresenta o grau de obediência necessário. Segundo se pode ler ainda no Expresso, o cargo foi criado por Miguel Frasquilho e esconde uma tentativa de esvaziar a função de Luísa Neiva de Oliveira.

Noutras latitudes, o governo contratou oito novos técnicos para a REPER, que incluem um ex-adjunto do Ministro do Ambiente e uma assessora do gabinete da Ministra das Finanças. Com as eleições à porta, a casta passista tem que olhar pelos seus que a vida está difícil. Algo que, afinal de contas, é mais que previsível. São coisas do rigor.

Estranha forma de rigor

Festa dinheiro

 

Quando nos vêm falar sobre a má gestão da coisa pública, recordo-me sempre desta intervenção da parlamentarmente saudosa Ana Drago, que durante menos tempo do que seria desejável representou efectivamente os portugueses na Assembleia da República e foi entalando uma série de boys e outros fantoches arregimentados como quem tirava doces a crianças. Era inspirador vê-la reduzir produtos de universidades de Verão, do abanamento de bandeiras e de outras formas de parasitismo político-partidário ao absoluto ridículo. Tenho saudades dela e o Parlamento ficou, com a sua saída, indubitavelmente mais fraco.

[Read more…]

Rigorosamente despesistas

Passos Salazar

Foto@A Viagem dos Argonautas

Não sabemos se o compêndio de Pedro Passos Coelho sobre Salazar virá ou não incluído no novo lote de viaturas novinhas em folha que acabamos de adquirir para assessores e outros boys membros da sua equipa. No total, segundo o Correio da Manhã, são 34 viaturas que terão um custo de 18 mil euros por mês. Uma migalhinha no contexto desta crise que nos fustiga, um óptimo exemplo para os portugueses a quem os partidos beneficiários acusaram de viver acima das suas possibilidades. E se há funcionários públicos neste país a viver acima das suas possibilidades, esses funcionários são os políticos da casta.

[Read more…]

Sobre portugueses que vivem acima das suas possibilidades

PS em situação de falência técnica. E viva o rigor socialista!

Congresso milionário da ANMP

Segundo o blogue Má Despesa pública, a Associação Nacional de Municípios Portugueses gastou cerca de 100 mil euros numa reunião de dois dias, no luxuoso Tróia Design Hotel. E vivam o rigor e a responsabilidade! Haja cofres cheios!

O rigor e o medo

Muita gente embirra com Vasco Lourenço. Eu não. Aprecio a autenticidade. E não há dúvida que o “capitão de Abril” que se antecipou para Março, quando saiu inopinadamente das Caldas a caminho de Lisboa, é aquilo que parece ser.

Li isto, e ainda pensei ser anedota. Vasco Lourenço naquela coisa das Caldas a 16 de Março? Um dos dirigentes militares do MFA envolvido na trapalhada que ia deitando tudo a perder? O homem foi preso a 9 de Março e despachado para os Açores a 15. Estamos conversados sobre amnésias, e rigor.

Tudo porque Vasco Lourenço se referiu ontem a um vídeo publicado no Aventar (aqui simpaticamente reproduzido no Público, sem creditar a fonte) para o qual a direita não tem poder de resposta, já que é a sua própria hipocrisia que está em causa. E pelos vistos anda aflita com a manifestação de militares no próximo dia 12. Devo dizer que não comungo de alguma euforia à esquerda (Novembro não é grande mês para a tropa andar nas ruas) mas está-me a dar gozo o pânico de quem pensa que agora sim, a vingança chegou, aquele 25 de Novembro de 75, em que Vasco Lourenço participou e muito bem, foi frouxo, não se executaram uns comunas nem nada, agora é que vai ser.

Já agora, à atenção do rigoroso jornalista José Manuel Fernandes, Vasco Lourenço pode ter a mesma idade dos generais da Brigada do Reumático mas não demonstra a mesma senilidade, com ainda ontem se verificou. Já de José Manuel Fernandes, sendo mais novo, não se pode dizer o mesmo