A adopção gay

Creio que, na adopção, o mais importante de tudo é que os adoptantes sejam pessoas boas. Bem formadas, bem estruturadas afectivamente, com condições materiais suficientes para dar aos adoptados um bom nível de vida.
Ora, estas características podem ser encontradas, tal como no resto da sociedade, na comunidade gay. Há gente boa, gente interessada em proteger as crianças. Como tal, não parece que a orientação sexual seja elemento decisivo.
Dir-se-á que o ambiente de uma família gay, onde falta um dos sexos poderá, no mínimo, baralhar a orientação sexual da criança, ainda em formação. Nada que não possa ser explicado, acompanhado com calor e carinho.
O pior de tudo são os “armazéns” de crianças, vítimas da burocracia, do funcionário que entra “às 9 e sai às 5”, da irresponsabilidade e da voragem de muito tarado travestido de “pai de família”.
Sou pela adopção de crianças por casais gay, verificado, tal como para os casais hetero, aquele pressuposto maior que é o carácter das pessoas.
Aí está, um objectivo social e pessoal de efeitos muito mais importantes que certas reinvindicações cujo alcance não atinjo.

Comments

  1. dalby says:

    Já «comi» e digeri o útltimo parágrafo deste post, se é que ele era mesmo dirigido a mim, meu caro Luís. Fico feliz com o que dizes aqui, demonstra muita ternura humana , e confirma-te como uma boa pessoa e um bom homem. Contudo, oh SENHOR DOUTOR, vamos lá a ter calma com uma frase , um pouco «incorrecta, injusta» mas que provavelmente eu possa compreender qual o seu alcance. É esta: «com condições materiais suficientes para dar aos adoptados um bom nível de vida.». Luís, então se for pobre mas com imensa afectividade não serve…?? Os pobres não têm direito à adopção? Outra coisa, quando referes «que tenha condições minimas ou suficientes» para dar um bom nível de vida…» OH Luís mas tu vives cá cheri???É que para se ter uma vida material desafogada cá, é preciso ser e ter mais do que tu dizes! A minha mãe deu-me casa, a tia deu-me a lata que recuso trocar (porque desta vou ter de pagar!), não bebo, não fumo, não gosto d ecomprar roupa, tenho um bom salário, vivo a 600 metros a pé do emprego, de férias ou fico em casa amigos e amigas ou vou com bolsas, e o dinheiro nunca me chega!!! É preciso ser de classe média, média alta, senão não há esse desafogo, mas eu compreendo o que queres dizer. MAS SE TU VALORIZAS ALI TANTO O AFECTO, NÃO É ENTRAR EM CONTRADICÇÃO DIZERES QUE SEM A MA$$A SUFICIENTE PARA LHE DAR TUDO, AO ADOPTADO, QUE NÃO VALE A PENA??!! JÁ VI QUE EXIGES DEMAIS E TUDO A QUEM QUER SIMPLESMENTE UM FILHO.Mas compreendo, uma criança é um tesouro, mas Luís que pena o mundo não ter essa visão.Olha Luís, vou-te explicar uma coisa,apesar de seres tu por obrigação que me devias ensinar e explicar: «OS CASAIS GAY QUE TÊM MUITAS POSSES NÃO ADOPTAM. POR EXEMPLO, UM CASAL AMIGO MEU, EQUILIBRADOS, ELE JÁ FOI MÉDICO MAS PERTENCE AGORA A UMA ESTRUTURA ACTUALMENTE DO M.SAUDE, NAO INTERESSA, TEM UM SUPER SALARIO, AÍ NA ORDEM DOS 4000 MIL EUROS, O OUTRO ENGENHEIRO NUMA MULTINACIONAL FRANCESA, EM PARIS, MAS A TRASNFERIR -SE PARA CÁ, UM 50’tao , outro 30. TÊM ALÉM DISSO MUITAS POSSES..casas Lisboa, praia, nordeste etc etc etc etc..LUISINHO, PENSAS QUE VÃO ADOPTAR? NEVER JAMAIS NIEMAND!! MAI!! nunca! JA ESTÁ A EMPRESA AMERICANA A TRATAR DE TUDO. BARRIGA DE ALUGUER, ESPERMA DOS DOIS E À SORTE desse esperma sairá um ou dois filhos… SERÁ REGISTADO, UM OU DOIS BEBES..E TUDO COM ADVOGADOS, ACOMPANHAMENTO ,REGISTO,VIAGENS, SEGUROS,HOSPITAIS, PASSAPORTE, TUDO TUDO, 50.000 MIL EUROS MAS SAO FILHOS OU FILHO DELES..POR ISSO, LUIS, OS RICOS NAO ADOPTAM, OS POBRES SIM!!!. E SE SOUBESSES A QUANTIDADE DE GENTE QUE O FAZ.CÀ!! Os encontros e o contrato para se ter os bébés são feitos no Paris Ritz Carlton Hotel, au petit déjeuner, onde o chefe da organização,TUDO ABSOLUATMENTE LEGAL PROFISSIONAL E MUITO A AMERICANA, ELE PROPRIO É PAI BIOLÓGICO.Com votos de um feliz dia, ..simplesmente…dalby!!!!LUIS, JÁ VI QUE ÀS VEZES NÃO TE CONCENTRAS, POR ISSO ANTES DE ARRANJARES NOVA MULHER PARA TE ACOMPANHAR NOS «CALORES DA NOITE» E NO OUTONO FRIO, VAIS-ME PEDIR NÃO SÓ A BENÇÃO MAS CONSELHOS SOBRE ELAS! SENÃO A COISA NÃO VAI DAR CERTO!

  2. dalby says:

    p.s! AH ESQUECI-ME..E NAO PAGO NOS BARES E DISCOTECAS!!!!!

  3. Luis Moreira says:

    Não, a ideia é dizer que a criança necessita de um mínimo de condições materiais. A miséria é má conselheira e pode estragar tudo…

  4. dalby says:

    ok, eu também dei um crédito à resposta porque me apreceu que fosse isso o que querias dizer…COMO VÊS..SOU ..também…«TOLERANTE(!!!)»

  5. Luis Moreira says:

    Atem-te no essencial. O carácter das pessoas, que nada tem a ver com a sua orientação sexual!

  6. Snail says:

    Luis, nunca me enganou: essa homofobia exacerbada, esse ar de desdém com os gays era só para chamar a atenção. Lá bem no fundo, até os compreende e os ama. Porquê esconder os seus verdadeiros sentimentos? Porquê?Vá lá, seja sincero e conte-nos, verdadeiramente, o que sente…

  7. maria monteiro says:

    Ouve um tempo da minha vida em que pensei adoptar uma criança. Eu que até tinha um bom emprego e ganhava acima da média, pesava a meu desfavor o ser nova demais e não ser casada. Desisti. Comecei a viver para o trabalho e para as viagens. Aos 38 anos fui mãe e tornei-me mãe solteira. As crianças necessitam acima de tudo de amor. As condições materiais vão surgindo se enquanto pessoas soubermos abdicar de muito do supérfluo… e acreditar no milagre dum excelente ensino público e SNS.

  8. dalby says:

    Pôrra, vá lá que alguém hoje me deu algum crédito e atenção!! Pois às vezes aqui sinto-me aqui a «loura burra de serviço, a representante da futilidade!!», mesmo que lhes grite com os meus doutoramentos ,mestrados, licenciaturas… ninguém me liga nenhuma!!! Vou é chorar… buááááááááá!!» Esta Maria Monte consola-me tanto, PRECISO DE MAIS MULHERES AQUI!!! PRECISO DA PROTECÇÃO DELAS JÁ!!!!

  9. Luis Moreira says:

    Caro Snail, é como diz, foi só uma aproximação táctica…

  10. Luis Moreira says:

    Maria, você tem as condições todas para ser uma boa mãe.As burocracias perdem grandes oportunidades para tirarem as crianças da miséria.

  11. dalby says:

    Cuidado com as «aproximações»..A segurança social não dá muito para o abono!

  12. maria monteiro says:

    LM, danke

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.