A frota de carros da TAP

As notícias são como as pedras, depois de lançadas não há maneira de as parar. Claro que todos nós estamos mais que fartos das batotas e dos abusos destes senhores gestores públicos, que não apresentam resultados e que auferem vencimentos milionários. Para alé dos carros topo de gama, e mais prebendas.

Esta administração da TAP tem feito um serviço de grande nível ,com uma gestão profissional e profundamente conhecedora do Transporte Aéreo. Ainda todos nos lembramos da mais recente tentativa de lá meter um orgão de supervisão que nos custarai os olhos da cara e composta por gente dos aparelhos partidáros.

Durante décadas a TAP foi pasto de gente que não fazia ideia nenhuma do que era o Negócio do Transporte Aéreo. O país perdeu milhões de contos com má gestão e com a compra de aviões que, curiosamente, era o que todos faziam mal lá chegavam.

Foi Jorge Coelho (honra lhe seja) que foi buscar um profissional do Transporte Aéreo, e foi António Mexia que não deixou que fosse substituído.

A TAP hoje é uma transportadora aérea reputada, que não foge aos problemas derivados do preço do petróleo e da crise mas que se equilibrou financeiramente e que se juntou,estrategicamente, a um grupo de grandes empresas transportadoras aéreas.

Tem, pois, muita gente poderosa contra, que quer o lugar, que o “fartar vilanagem” de então, onde todos julgavam que se podia ter tudo,volte.

E é assim que nascem estas notícias. O que se passa na verdade?

Há uma frota de viaturas que fazem parte dos contratos individuais de Directores, que está em regime de “leasing” e que paga uma determinada mensalidade. Essa frota chega áo fim da sua vida útil e é substituída por outra frota de viaturas novas, no mesmo regime, e com a mesma mensalidade,

Ao contrário do que nos querem fazer crer, a TAP não gastou milhões com novas viaturas, ficou a pagar o mesmo. Não discuto agora se merecem ou não, no contexto mais amplo do país e da crise, mas não nos podemos deixar embalar por notícias que têm interessados na origem e no destino!

Comments

  1. BlackAdder says:

    Até que enfim que alguém publica algo que fala com a razão que ninguém quer ouvir. O partidarismo está a arrasar o sindicalismo e a levar os trabalhadores a irem atrás de falsas razões para defenderem os seus direitos. A não esquecer também a suposta duplicação de ordenado do Administrador-Delegado, que afinal são prémios devidos desde 2005 e pagos em 2007, sem que tenha havido qualquer aumento de ordenado. Será que estamos todos cegos pelo combate ao poder? Será que vamos a continuar atrás de meia dúzia de ditos sindicalistas defensores dos trabalhadores que se coordenam atrás de certos partidos?Acordem e lutem.

  2. Snail says:

    E, conforme ouvi na televisão, o próprio Eng. Fernando Pinto confirmou ali – de viva voz – que os membros do CA da TAP em 11 (onze) anos de Administração não tiveram uma única revisão das suas remunerações.Quem anda a brincar então com a empresa? Com que fim? Querem chegar onde chegou a Portugàlia, antes de ser salva pela TAP?