Não podem entrar todos, mas sair já podiam?

Desde que o homem é homem e a mulher é mulher que se nasce num lugar e se morre noutro. Foge-se da miséria e da desgraça. Procuram-se vidas melhores. Muito antes de haver fronteiras, países, Estados, governos, leis. As migrações não são um fenómeno novo, nem velho. Fazem parte da condição humana: a da luta pela sobrevivência. As fronteiras vieram depois. Combater a imigração é como combater a chuva ou o sol. Sempre existiram, sempre existirão. E, talvez seja necessário dize-lo, ainda bem.

Daniel Oliveira escreve tudo o que eu gostaria de escrever sobre migrações. Leiam, sff.

Comments


  1. Sem tirar nem pôr.

  2. Ricardo says:

    És grande Daniel!

  3. dalby says:

    Por acaso até acho que o Daniel e aquele tropa toda do Eixo do Mal perderam a piada toda..DEIXEI DE VER!Quando se entra na fasezita da «arrogância» estraga-se tudo..Mas sim, pobre daqueles que não podem sair de um país e entrar noutro..mas também é verdade que não temos tido muita sorte com quem nos «entra» pela porta dentro..vocês pintam o imigrante «simples, à busca do sonho» MAS A PINTURA FICA ESTRAGADA COM ALGUNS EXEMPLOS ROMENOS, MARROQUINOS, ALBANESES…NÃO quero particularizar, nem estragar o comentário e sobretudo a base da razão do FAIR DANIEL, mas pressinto que ele não viva perto de marroquinos, albaneses, romenos, ciganos «complicados» e Carla, antes que me venhas com lições de moral, NEM TU TAMBÈM. E mais, não estou a ser , PORQUE NÃO O SOU MESMO, racista, mas que há camadas de imigrantes portadores de gravíssimos problemas… há lá isso há!!!..assim como os há de portugueses e outros «BRANCOS»..mas não pintem o trop déjá vu do «coitadinho do emigrante»..Há de tudo, haverá sempre de tudo…BOM e MAU! COMO NÒS!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.