Ó, atrás vai vazio! (explicação)

Num «post» publicado hoje, peço que os nossos leitores me expliquem o significado daquela frase. Posso dizer que a Belina andou pertinho e o Carlos Ferreira acertou em cheio. Na «mouche».
Não era um golpe publicitário, Luís Moreira, nem precisava de recorrer aos seus compêndios, caro Carlos Loures. Afinal, trata-se apenas de uma frase repetida diariamente, milhares de vezes, nas paragens de autocarro do Porto.
Disse que não ouvia esta frase há anos e é verdade. Mas recentemente, por ter andado de autocarro, lá ouvi de novo a sacramental frase. Como explicou o Carlos Ferreira, as pessoas que estão na paragem refere-se à parte de trás do autocarro, que na sua óptica vai vazia, já que toda a gente se concentra à frente, mais perto da porta de saída. O curioso é que, muitas vezes, o autocarro ia tão cheio atrás como à frente (embora não parecesse porque só cabe uma pessoa no corredor a seguir à porta de trás), mas a frase já estava engatilhada por quem ficava na paragem e pronto, não havia nada a fazer…
É esta a expicação da frase. A explicação da Belina também ficou próxima. É usual dois autocarros da mesma carreira chegarem ao mesmo tempo à paragem, sendo que o da frente vem cheio e o de trás vazio. E a frase, «não vás nesse que o de trás vai vazio», também é muito comum.

Comments

  1. Belina Moura says:

    Fiquei desiludida, não pensei que tivesse qualquer conotação com a actualidade. Da maneira como colocaste a questão, julguei ser uma expressão antiga.

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Mas acertaste no contexto da frase