FUTAventar – felizmente que falhei no prognóstico

Alguma vez seria a primeira, falhei fragorosamente em tudo o que disse acerca da selecção. Felizmente!

Esta equipa, curiosamente, jogou como deveria sempre jogar. O Ronaldo entrava de ínicio, marcava ou dava a marcar um golo e a seguir saía. Os outros ao verem-no sair, arregassavam as mangas e lutavam como se fosse o último jogo. Do primeiro ao último minuto!

O Deco está sem ritmo, não joga no Chelsea e a equipa viu-se atrapalhada no meio do campo, onde o Pedro Mendes fez uma exibição notável, sempre a correr e a cortar bolas. O Simão marcou hoje duas bolas mais dificeis do que as que falhou contra a Dinamarca. Está visto que só se marcam golos com um “terrorista” a jogar dentro da área, que coloca minas e armadilhas aos defesas, chateia, vai lá sempre e quando alguem se esquece dele aí está, bola dentro da baliza. O Leadson é esse tipo de jogador. Três jogos dois golos.

O Bosingwa viu-se bem que veio de uma lesão, jogou bastante mal e o Duda fez o trabalho que se lhe exige. Fecha bem e quando ataca causa perigo. Os centrais vê-se bem que têm a escola do Dragão, são do melhor e o Meireles até cansa vê-lo a ocupar os vazios…

O Nani tem tudo para ser um jogador de primeira mas tem que deixar de acertar no guarda-redes, se não está como eu, falha nos momentos decisivos.

Comments


  1. Esqueceste-te do Pedro Mendes. Jogou muito bem. O Nani é o chamado «brinca na areia» – muito habilidoso, mas sem sentido prático, egoísta e convencido. Joga para ele, não para o colectivo (na selecção, porque no Manchester está mais disciplinado). Enquanto não crescer, não merece ser seleccionado. O Simão fez um dos melhores jogos de sempre. E o Liedson continua letal.