O BE e o PRD

Lembram-se do PRD, o partido que à sombra de Eanes obteve 17% dos votos nas legislativas ?

E que depois nas eleições autárquicas teve uma derrota estrondosa ?

Tinha algumas parecenças com o BE, não na ideologia, claro, mas como apareceu e como se desenvolveu. Cresceu depressa à custa de muito descontentamento face aos partidos existentes, especialmente o PS, era tambem um partido urbano que captava votos de um eleitorado volúvel, sem nenhuma implantação no terreno, nas autarquias, nas juntas de freguesias.

Quando o PRD teve aquele elevado resultado nas legislativas e depois nas europeias, os quadros e os que já tinham tarimba de política correram para esses lugares, ficando o partido entregue a si próprio. O trabalho de partir pedra junto das populações não foi feito e depois ruiu na primeira manifestação a sério de peso eleitoral.

O CDS aguenta-se porque não tem ninguem à sua direita para absorver e refugia-se nos braços do PSD nas autárquicas, fazendo de conta que o resultado do PSD é tambem o dele. O Portas hoje nem sequer apareceu.

Esta é uma explicação para a derrota do BE e lança desde já um limite muito sério ao crescimento do partido a nível nacional!

Comments


  1. Creio que há grandes diferenças entre o PRD e o BE. O PRD foi um fenómeno circunstancial, para não dizer mesmo oportunístico – surgiu à sombra de Ramalho Eanes, sem ideologia e com objectivos programáticos indefenidos. Foi buscar votos aos partidos do poder, porque se anunciava como um partido de poder. Quando o seu eleitorado viu que o PRD não sabia para onde ia, desapareceu e o PRD acabou. O BE, não tendo uma ideologia específica, defende uma série de princípios e tem alguma consistência ideológica. Teve muitos votos nas legislativas, porque votar BE foi uma forma de não votar PS – o BE viu-se inflado pelo voto de protesto contra políticas impopulares do Governo – os seus dirigentes pensaram era para continuar – mas não era. Nas autárquicas, o eleitorado «votou útil» (seja lá isso o que for!) e o BE regressou à sua dimensão natural. Mas não corre, como o PRD, o risco de desaparecer – tem um pequeno eleitorado fiel.

  2. Luis Moreira says:

    Pequeno dizes bem. tive a esperança que podia crescer mas tenho a partir de ontem muitas dúvidas.

  3. isac says:

    o PRD, lembro-me bem, viveu apenas e só do Eanes. Mais nada. Assim que o Eanes saiu, o PRD desapareceu. Não é o acontece com o BE. O BE é um partido com estrutura só que assente numa ideologia um pouco (para não dizer totalmente) radical e extremista que por natureza afasta votantes. Tem o seu eleitorado fiel, como diz o Carlos, e pode, dependendo das situações, juntar mais votos. Mas o natural é ficar sempre ao nível do PC. Mais do que isto não é possível. E isso nota-se mais em questões autárquicas, em que a desconfiança é ainda maior. A ideologia e política do BE nem sequer é compatível com autarquias. Já é uma sorte terem Salvaterra de Magos.

  4. Luis Moreira says:

    o PRD perdeu, por muitas coisas, a falta de estrutura foi uma delas. Mas um partido que não se implante a nível local não tem capacidade de crescimento.

  5. isac says:

    exacto. não é por nada que o louçã disse que tinha muito a aprender com estes resultados autárquicos.