Pemas do ser e não ser

Traz-me aquela flor do fim da tarde

Subindo as escadas até mim

Traz-me a rosa a glicínia o girassol

Para que eu me iluda e me engane

Traz-me o alecrim e a alfazema

Deixa que pense que é assim

Que se faz um poema.

Não me venham dizer

Que é bom ser velho

Ser velho é uma merda

Que a gente embrulha conforme calha

Em palavras que nada dizem

Em gestos onde tudo falha.

Traz-me aquela flor do fim da tarde

Entre alecrim e alfazema

Traz-me as duas almas de um dilema

Para que eu abrace a ilusão

De criar um poema.