Declaração de intenções

   Decidi aceitar um convite para aqui vir aventar. Não sou, no entanto, o Aventador que o Luís Moreira há dias desafiava, nem sei, aliás, que tipo de ventos cá farei.

   Não serei, isso sei, um vento constante, desses que sopra sempre com a mesma força na mesma direcção. Tão pouco me armarei em tornado, que se forma algures, se desloca e desaparece em nenhures, não ficando tábua sobre pedra à sua passagem.

   Algumas vezes serei brisa, talvez, outras ventania. Um dia soprarei de Norte, outro de Sueste, sei lá.

   Além disso, da minha parte, haverá épocas sem vento, verdadeiras calmarias. Mas é possível que surjam ocasiões em que, de repente, vos apanhe distraídos e vente despudoramente, de forma a desgrenhar algumas ideias. 

Comments


  1. É isso, Pedro! O Aventar quer, antes de tudo, ser um espaço de liberdade. Todos podem dizer o que quizerem desde que não difamem nem ofendam.Venham daí esses aventares.Abraço

  2. maria monteiro says:

    Em forma de boas vindas … Trova do vento que passa 

    (http://www.youtube.com/watch?v=xyN1A2IOtbA)