Campo Grande 190: Lisboa Arruinada


Dois prédios para demolir, no Campo Grande. Disseram-me que serão substituídos por um monstro de betão semelhante à unidade hoteleira construída na Fontes Pereira de Melo e que ostenta a placa Sana. Mais um pavor.

Quando a 31 de Agosto de 1974 cheguei a Portugal com a minha família, vivemos um ano no Parque de Campismo* de Monsanto. Com muita dificuldade, os meus pais conseguiram alugar um apartamento num prédio recém restaurado, no Campo Grande 190. Uma casa grande, com seis assoalhadas, impecável e a cheirar a tinta fresca. A renda de dois contos mensais, era cara, dado o salário do meu pai que por essa altura dava aulas no Liceu de Alcochete. No entanto, vivíamos num tempo em que a renda a pagar, correspondia a 25% do ordenado que o “chefe de família” trazia para casa. A democracia impõe-nos agora um salário médio para uma renda. Se arrendarmos uma casa, esta encontra-se invariavelmente num estado de degradação total, sendo os inquilinos obrigados a proceder a obras. Rendas mais caras do que aquelas que se pagam em muitas capitais europeias, nomeadamente a capital do nosso Reich, Berlim.

Vivi no Campo Grande 190 até 1988, quando arrendei um pequeno T0 no Príncipe Real, uma zona onde fiquei – em três casas – até 2006.

O prédio à direita é imponente e até há pouco ostentava lindos azulejos Arte Nova, hoje desaparecidos. Nem a fachada será conservada, como seria de esperar. Lá vai Lisboa…

*Nunca mais fiz campismo, sabe-se lá porquê?

Comments

  1. Luís Moreira says:

    Mais um hotel com espaço verde, os moradores vão sendo corridos…

  2. mjrijo says:

    Lá vai Lisboa e o país todo. É um deixar cair para construções milionárias e rentáveis para alguns. Vejam o Porto, os cinemas, os teatros, vejam as casas com uma arquitectura que nunca mais se vai fazer de novo. Tudo degradado a bem de alguns. E que é feito dos subsídios para restauro desses edifícios? Vai-se assim a nossa história arquitectónica.

  3. graça dias says:

    nuno o seu trabalho é gratificante.
    que tal compilar estes trabalhos e enviar para os organismos competente?
    E depois ” la vai lisboa – na marcha de st antónio ” e o padrinho é o a costa.


  4. É um escândalo. desde miúdo que adoro esse prédio do Campo Grande:


  5. Caro Luís, é mesmo assim. Não visite as ruas adjacentes à Avenida da Liberdade. Mesmo diante da Fundação Medeiros e Almeida, na Rua Rosa Araújo, prepara-se uma verdadeira catástrofe. Três belíssimos prédios já emparedados e preparados para a demolição. Isto já não vai a bem, porque estamos entregues a patifes sem escrúpulos. Até aquele belo palacete no Saldanha – que serviu de sede ao Soares 1986 -, também está condenado.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.