Preso por ter cão e preso por não ter

Não concordo com as medidas de austeridade do governo, especialmente por não incidirem onde deviam e por penalizarem mais quem menos pode, mas este post não é sobre isso. É, isso sim, sobre o FMI, o grande advogado das políticas de austeridade e dos cortes cegos sempre a direito. Agora saíram-se com esta:

“O FMI mostra que 2011 será mais um ano para esquecer: a economia não vai crescer (0%) e o desemprego deverá acelerar de 10,7% este ano para 10,9% no próximo. A inflação deverá ser muito baixa, reflexo da total anemia em que país vai cair. Razão: as políticas de austeridade do governo e a falta de competitividade das empresas.”

É do tipo: vou dar-te duas bofetadas, uma do lado esquerdo e outra do lado direito mas, como sou muito teu amigo, deixo-te escolher qual queres primeiro. Se exerceres o direito de escolha dou-te ainda com mais força porque os amigos são para as ocasiões. Se não escolheres, vai ao murro e não te podes defender. Concordas, ou concordas?

Comments

  1. carlos fonseca says:

    É falta de decência do FMI, como da OCDE, da Comissão Europeia e do BCE. Ainda existe, em Portugal quem secundarize estas questões, em nome de lutas pelo poder. Hoje, os juros da dívida portuguesa subiram porque… a classificação da Irlanda desceu para as ‘agências de rating’. Que mundo é este?

Deixar uma resposta