Merkel, a má…


Foto dedicada aos jugulares defensores de “leis diferentes” para gente “diferente”. Na Europa, claro.

Alcorão 8:39: «Combatei-os [aos incrédulos] até terminar a intriga, e prevalecer totalmente a religião de Deus. (…)»

Alcorão 9:29: «Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem [se] abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro, até que, submissos, paguem o Jizya.»

Alcorão 9:123: «Ó fiéis, combatei os vossos vizinhos incrédulos para que sintam severidade em vós; e sabei que Deus está com os tementes.»

Comments


  1. Não sei se a imagem é uma montagem (acho que é) mas não é isso que me interessa aqui. As citações são de O Corão. Podia ser de A Bíblia, que também tem as suas partes bem violentas. Ou de outro qualquer Livro semelhante.
    A questão é que as religiões sempre – pelo menos desde que há história – deram argumento para outras intenções, desde as territoriais às financeiras, e para a violência.

  2. A. Pedro says:

    Nuno,
    apesar de algumas vezes ser idiota ( algumas delas de motu próprio) sempre tentei ser razoável – usar a razão:
    O que é que o cú tem a ver com as calças?


  3. A. Pedro.

    Acho que o “cú”= Jujulares cabe perfeitamente nas Calças=Post do Nuno. … Usa lá a Razão Y vê se assim não fica bem claro!!

    Ou seja: qualquer humano que pise esta terra ( Y se aqui chegarem extraterrestres ) deve passar a ter como referência a Declaração Universal dos Direitos humanos. Esta deve ser a exigência séc. XXI – mínima, elementar Y básica -; Y, o direito q que nenhuma vida nesta terra seja retirada por um Estado/ Leis de um estado deve constituir-se como demanda prioritária a acrescer à DHDH … Já que a Fome é mais difícil de erradicar, dado que há muitos humanos com mais olhos que barriga ( Y aqui não subsumo só os extraordinariamente ricos … … ).


  4. Estando na Suécia e numa certa cidade, bem podias começar a escrever umas crónicas sob “aquele” tema que tem posto a imprensa sushi-jugulante meio histérica. Que tal?

Trackbacks


  1. […] Merkel diz que aconteceram alguns erros. O primeiro foi o de os alemães considerarem que os imigrantes, após trabalharem na reconstrução da Alemanha, iriam embora. O segundo foi o de os imigrantes não terem conseguido integrar-se na cultura alemã. Segundo a governante, tal veio a originar que os alemães não se sintam felizes a conviver com os imigrantes no seu país, pessoas que não partilham os valores e a forma de vida germânica. Ora, esta argumentação parece-me ser uma forma atenuada da retórica de Sarkozy. Para mais, o conceito de ‘integração’ de ambos parece-me assemelhar-se muito com o de ‘assimilação’. Não será por acaso que, em ambas as argumentações, surge a não aprendizagem da língua, a incorrecta interpretação da lei, a divergência de valores que, tal como nas conclusões acerca da cultura da pobreza, acabam por responsabilizar a vítima pelo crime. Nós, ocupados com o dia a dia de sobrevivência, vamos construindo a História da maneira como esta nos é ditada, e vemo-los partir, pensando ‘ok, mas eles também não fizeram nada por se integrar’. E damos logo exemplos de islâmicos, ciganos, negros, que nos explicam como ‘aquela gente até para ela própria é má’, já que ‘as suas tradições’ assim o exigem e que, lá está, ‘isso não podemos permitir’. Menos ainda permitiremos os ataques a que nos arriscamos vindos da parte de quem, porque cumpridor de mandamentos, é uma ameaça permanente à nossa integridade como Povo e como indivíduo. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.