O lobo com pele de Coelho

São várias as razões, das altruístas às egoístas, que me levam a pensar em todo o vernáculo que deveria usar para exprimir aquilo que penso e aquilo que sinto, duas coisas que normalmente distingo, ao contrário do que acontece hoje, depois de ter sido, mais uma vez, roubado pelo mesmo bando que me anda a roubar há mais de trinta anos, alternando siglas. Passos Coelho nem sequer é o macho alfa da alcateia, é apenas um pobre roedor que os chefes mandam à frente.

Entretanto, podemos ver aqui alguns pobres assalariados que têm andando a perorar sobre a necessidade de nós, os outros, fazermos sacrifícios, sempre sentados no dinheirinho que têm retirado da máquina registadora, antes, quando estavam na gerência, e agora, quando mandam no gerente.

Ao melhor estilo abrantino, agora em tons laranja, Pedro Correia repete um refrão já conhecido: a culpa foi dos outros antes de nós. Os que se aproveitaram das corporações, sem sequer disfarçar o cheiro salazarento, exigem que o povo aguente. Pois.

De repente, apetecia-me que o voto deixasse de ser secreto e que os votantes se submetessem a pagar o dízimo exigido por aqueles que elegessem, já que tanto acreditaram que esta seita iria resolver-lhes a vida. Pela minha parte, vivo com a consciência tranquila: eu não tenho culpa, não votei neles. Em nenhum deles.

Comments

  1. Bruno says:

    O comentário é realista e sem necessidade de ser aprofundado. Eu nunca votei na troika governativa que tivemos desde o 25 de abril, logo não é justo que eu tenha que pagar as imbecilidades deles. Eu não sou dos iluminados que votam que nem ovelhas ao dirigirem-se para o matadouro. Defini a minha consciência política informando-me, lendo, falando com pessoas das várias correntes e até graças a um ex-militante laranja defini o rumo. Felizmente, poderei um dia dizer à minha filha que ela não tem futuro neste país, pois o pai sempre votou diferente do rebanho que conduziu a esta situação.


  2. « Pela minha parte, vivo com a consciência tranquila: eu não tenho culpa, não votei neles. Em nenhum deles.»…eu também não!


  3. Nem eu, mas a verdade é que a “injecção” de notícias falsas e de carácter duvidoso como o futebol e os master plan ou fechados no galinheiro ou lá o que é… invadem as cabeças dos portugueses e formam “burros” da sociedade, em que aceitam tudo o que os “políticos” dizem, já não há vontade de lutar, e somos todos “ovelhoas” metade ovelhas metade pessoas…

  4. Fátima sousa says:

    Nem eu….e, no entanto, fomos barbaramente roubados!

  5. jorge anyunes says:

    Somos todos gregos.Ao invés de nos fazermos passar por bons alunos deverimos há muito tempo fazermos lobi dentro da Europa com gregos,espanhois ,italianos e irlandeses.
    Estamos a ser vitimas de fenómenos de especuladores que não controlamos,mas vai-se sempre passando a imagem que fomos vivendo bem de mais nos últimos anos.Ridículo pensamento que se vai entranhando quando um quinto da populaçáo portugesa vive no limiar da pobreza.Obrigam-nos a ser pobres até no pensamento.A cair caimos todos e de pé, ao invés tentamos safarnos como podemos que nem ratos.

  6. viajantedecasaascostas says:

    Eu não só não votei neles, como nem sequer tenho nada a ver com a Madeira. Aliás , se não fosse o facto de não ter dinheiro para a viagem (eles andam a comer-mo todo como acontece contigo), até lá ia para espetar um murro entre os olhos míopes de certo balofo fascista!